Um barco que transportava combustível pegou fogo no final da manhã desta quinta-feira (12), no Rio Juruá, em Marechal Thaumaturgo. A embarcação estava no porto fazendo a retirada de combustível quando começou o incêndio.

Havia apenas um tripulante no barco no momento e ele não ficou ferido. As chamas consumiram toda embarcação.

O jornalista Paulo Amorim, que estava próximo do local, disse que o tripulante fazia a retirada de combustível do barco para um posto com um motor a gasolina quando começou o fogo. Segundo Amorim, a embarcação chegou de Cruzeiro do Sul nesta quinta.

“A perda foi só material e o combustível que estava dentro. A informação que temos é que pode ter saído uma faísca e provocado o incêndio. Ele não explodiu, só pegou fogo”, relembrou.

Ainda segundo o jornalista, o dono do barco é um empresário da cidade, mas não estava no local no momento do acidente. O município não conta com equipes do Corpo de Bombeiros e o fogo foi apagado pela chuva, que caia na cidade no momento do acidente.

“Quem apagou foi São Pedro que mandou chuva. A embarcação já estava afundando, descendo o rio, e na hora entrou água e apagou o fogo. Foi rápido, destruiu tudo muito rápido. Aqui não tem bombeiro na cidade”, destacou.

Amorim acrescentou que não foi revelada a quantidade de combustível que tinha dentro do barco no momento do incêndio.

“O barco afundou. Só tinha gasolina e pegou fogo, não vazou pro rio. O incêndio não foi maior porque uma pessoa viu quando o fogo estava indo pela bomba que transportava a gasolina para o posto e o cara cortou a mangueira”, concluiu.

Tragédia no Juruá

No dia 7 de junho do ano passado, um barco explodiu quando era abastecido por um caminhão-pipa com 5 mil litros de gasolina que seriam levados em vasilhas para o município acreano de Marechal Thaumaturgo. Além do combustível, a embarcação também levaria os passageiros e outras cargas.

A explosão resultou na morte de seis pessoas e deixou mais 12 feridos. A Marinha do Brasil e a Polícia Civil do Acre investigaram as causas da explosão.

Ainda segundo o jornalista, o dono do barco é um empresário da cidade, mas não estava no local no momento do acidente. O município não conta com equipes do Corpo de Bombeiros e o fogo foi apagado pela chuva, que caia na cidade no momento do acidente.

“Quem apagou foi São Pedro que mandou chuva. A embarcação já estava afundando, descendo o rio, e na hora entrou água e apagou o fogo. Foi rápido, destruiu tudo muito rápido. Aqui não tem bombeiro na cidade”, destacou.

Amorim acrescentou que não foi revelada a quantidade de combustível que tinha dentro do barco no momento do incêndio.

“O barco afundou. Só tinha gasolina e pegou fogo, não vazou pro rio. O incêndio não foi maior porque uma pessoa viu quando o fogo estava indo pela bomba que transportava a gasolina para o posto e o cara cortou a mangueira”, concluiu.

Tragédia no Juruá

No dia 7 de junho do ano passado, um barco explodiu quando era abastecido por um caminhão-pipa com 5 mil litros de gasolina que seriam levados em vasilhas para o município acreano de Marechal Thaumaturgo. Além do combustível, a embarcação também levaria os passageiros e outras cargas.

A explosão resultou na morte de seis pessoas e deixou mais 12 feridos. A Marinha do Brasil e a Polícia Civil do Acre investigaram as causas da explosão.

A reportagem tentou contato com o dono do barco e com um gerente dele, mas não obteve resposta até a última atualização desta matéria.

Do G1 Acre