Hospital de Senador Guiomard atende com um médico por plantão, diz direção. Mãe buscou atendimento para filha, de 4 anos, que tinha machucado o braço.

Uma microempresária de Senador Guiomard, interior do Acre, buscou atendimento para a filha de 4 anos no hospital da cidade e saiu de lá revoltada. A mãe afirma que a unidade tem apenas uma médica e tinham várias pessoas doentes no local, nesta quarta-feira (24).

A mãe, que pediu para não ter o nome divulgado, afirmou que um dos pacientes que esperava atendimento chegou a deitar no chão do hospital com dor. Segundo ela, o homem ficou gemendo no chão e ninguém o ajudou.

“Tinha um senhor lá passando mal, estava sentido tanta dor que deitou no chão do hospital. Ninguém atendeu, ficou deitado gemendo, perguntei onde estava a médica e a atendente falou que não sabia e não tinha como informar nada para gente”, afirmou.

Um médico por plantão

O diretor administrativa do hospital, Igor da Silva, confirmou que a unidade recebeu uma grande demanda de pacientes nesta quarta. Ainda segundo ele, geralmente é apenas um médico por plantão, mas que a direção tenta melhorar o atendimento.

“Já aconteceu de ter dois médicos no plantão e não dar nenhum paciente. São casos isolados. Hoje, infelizmente, foi um dia que deu muita gente no hospital para uma médica só. Teve acidente de carro, picada de cobra, mulher grávida e um médico só para atender tudo isso”, acrescentou.

Espera

A moradora contou que buscou atendimento para filha que tinha machucado o braço durante uma brincadeira com outras crianças. Ela chegou por volta das 7h30 desta quarta na unidade, fez a pré-consulta e foi informada que a única médica que atende no local estava para Rio Branco acompanhando um paciente.

“Por volta das 9h ela chegou, entrou e falou que ia atender uma grávida e ia atender a gente. Atendeu essa grávida, encaminhou pra Rio Branco e deixou a gente lá plantada, não atendeu ninguém, reclamou.

Ainda segundo a mulher, os pacientes que procuravam atendimento faziam a pré-consulta e só depois eram informados que a médica não estava na unidade.

“Falei para avisarem antes, que as pessoas ficavam com expectativa esperando. Uma médica para atender vários pacientes, pessoal passando mal, doente, crianças tossindo e não atenderam”, frisou.

Revolta

A mãe afirma que passou a manhã toda na unidade esperando o atendimento e só conseguiu após às 14h, quando a médica passou a atender os pacientes.

“Depois do almoço ela começou a atender porque viu que o povo estava revoltado. Se a médica estava para Rio Branco atendendo, porque não ligaram para outro profissional? Fiquei chateada porque tinha muita gente passando mal, vomitando”, lamentou.

Paciente no chão

O diretor administrativo da unidade lamentou que um paciente tenha ficado no chão do hospital. Segundo ele, a unidade procura evitar esse tipo de situação.

“Infelizmente, pelo fluxo de gente que deu hoje, foi um caso isolado. Não é todo que acontece”, falou. Do G1 Acre