Tudo sobre Política

Proposta defendida por Jesus Sérgio que obriga planos de saúde a cobrir tratamentos fora do rol da ANS é aprovada na Câmara

Publicados

Tudo sobre Política

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou na sessão da última quarta-feira (03), o projeto de lei que estabelece a cobertura de exames ou tratamentos de saúde que não estão incluídos no rol de procedimentos e eventos da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Em recente decisão, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou o Rol de procedimentos da ANS como taxativo. Isso significa, na prática, que os planos de saúde podem negar atendimento para os tratamentos que não constam na lista elaborada pela ANS. Segundo Jesus Sérgio, a decisão traz sérios prejuízos aos usuários de planos de saúde, sobretudo aos que mais precisam desse serviço contratado, muitas vezes com grande sacrifício do orçamento familiar.

Em defesa dos usuários dos planos de saúde, o deputado federal Jesus Sérgio (PDT) apresentou uma proposta para que os planos de saúde tenham obrigação de cobrir tratamentos não previstos na lista, mas indicado pelo médico do paciente como necessários para a recuperação de sua saúde.

Leia Também:  Mara Rocha participa de entrega da Policlínica da PM com emenda do Vice-governador Wherles Rocha

Um Grupo de Trabalho formado por parlamentares de vários partidos juntou as propostas em tramitação na Câmara e o texto final foi aprovado pelo Plenário. A proposição que segue agora para ser votada no Senado determina que a lista de procedimentos e eventos cobertos por planos de saúde será atualizada pela ANS a cada incorporação. O rol servirá de referência para os planos de saúde contratados desde 1º de janeiro de 1999.

“Foi uma grande vitória para todos nós, pois não podíamos ficar de braços cruzados vendo tantos usuários de plano de saúde sendo prejudicados em seus tratamentos”, afirmou Jesus Sérgio.

A cobertura dos planos de saúde deverá ser autorizada se:

– existir comprovação da eficácia, à luz das ciências da saúde, baseada em evidências científicas e plano terapêutico;

– existir recomendações pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS;

– existir recomendação de, no mínimo, um órgão de avaliação de tecnologias em saúde que tenha renome internacional, desde que sejam aprovadas também para seus nacionais.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Tudo sobre Política

Ex-deputado federal César Messias é escolhido como suplente de Jenilson Leite ao Senado Federal

Publicados

em

O PSB Acre referendou na última sexta-feira (5), durante convenção partidária, o nome do deputado estadual e médico infectologista Jenilson Leite como candidato ao Senado Federal.

Além do nome de Jenilson, o partido também homologou o nome de César Messias como primeiro suplente.

César é ex-vice governador por dois mandatos, ex-prefeito de Cruzeiro do Sul e atual presidente da sigla no Acre. Ele também foi deputado estadual e federal.

Jenilson Leite afirma que a experiência e comprometimento de César fortalece a sua candidatura.

“O nosso grupo é muito qualificado. Nós temos um companheiro, que se hoje nós fossemos comparar essas eleições à uma partida de futebol, nós diríamos que temos um dos melhores técnicos, que é o nosso companheiro César Messias. César te agradeço muito pela firmeza”, reconheceu Jenilson.

Cada candidato escolhe dois suplentes que não recebem salário no Senado, a menos que o titular do cargo seja afastado e eles tomem posse.

Sobre César Messias

Foi eleito deputado estadual do Acre, em 1990 e reeleito em 1994 e 1998. Foi ainda secretário estadual de Assistência Social entre 1997 e 1998.

Leia Também:  Grupos prioritários: Prefeitura de Brasileia inicia vacinação contra a Covid-19 em idosos

Em 2000 deixou a Assembleia Legislativa para concorrer à Prefeitura de Cruzeiro do Sul, sendo eleito.

Em 2006 foi eleito vice-governador de Binho Marques e em 2010 foi novamente eleito vice-governador, desta vez no mandado de Tião Viana e, em 2014, elegeu-se deputado federal com 26.448 votos.

Atualmente é presidente estadual do PSB no Acre.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA