RIO BRANCO

Crica

“Não posso votar em quem nunca pediu meu voto”, diz Bittar

Liberdade de expressão, sempre! Onde houver notícia, que se divulgue a notícia. Gostar ou não é outra história.

Publicados

Crica

Liberdade de expressão, sempre! Onde houver notícia, que se divulgue a notícia. Gostar ou não é outra história.

O senador Márcio Bittar (MDB) me ligou para dizer que jamais se negou a votar no senador Sérgio Petecão (PSD) para a presidência do Senado, por um motivo simples: “não posso votar em quem nunca pediu meu voto”. Bittar enfatiza que, o voto que o Petecão veio lhe pedir foi para o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), candidato a presidente. Bittar lhe disse que foi textual: “em você eu voto, mas no Davi não, porque o meu partido terá um nome na disputa e vou votar na senadora Simone Tebet (MDB-MS)”. Completa dizendo que nunca viu no Senado nenhuma movimentação em torno da candidatura de Petecão. Desta feita a coluna registra as versões do Petecão e do Márcio, como manda o bom jornalismo e ponto.

NÃO BRIGO COM A NOTÍCIA

Se há uma coisa com a qual não brigo é com a notícia. O espaço sempre estará aberto aos políticos para questionamentos e para o exercício do contraditório. E assim continuará.

PERDENDO TERRENO

O Gladson Cameli perdeu o domínio que teve na campanha nas redes sociais, onde foi quase unanimidade. Esta quase unanimidade a favor virou unanimidade contra, com a nomeação de uma figura de proa do PT para a diretoria financeira do DEPASA. Foi pancada de todos os lados em cima do lombo do governador. Diga-se: foi nomeação de próprio punho, não é portaria.

COORDENADOR POLÍTICO

Todas as amarrações que aconteceram ontem na formação de um grupo para apoiar o deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS) para presidência e o deputado Luiz Gonzaga (PSDB) à primeiro secretário, envolvendo políticos de oposição, foram conduzidas pelo deputado Ney Amorim. Que ao que tudo indica, Ney será o coordenador político do governo.

GLORIOSO DE FORA

A coluna tem informação que o grupo decidiu não aceitar composição com a deputada Meire Serafim (MDB), que rompeu com o governo, em qualquer cargo da mesa diretora.

ROCHA EUFÓRICO

Que saiu ontem à noite eufórico da reunião que redundou num blocão para a eleição da mesa diretora da ALEAC foi o vice-governador Major Rocha (PSDB), que acompanhou de perto.

BOLA DENTRO

A volta dos vôos diurnos para o Acre foi uma bola dentro do governador Gladson Cameli.

MESA TEM QUE SER PLURAL

Concordo plenamente com o deputado eleito Edvaldo Magalhães (PCdoB) de que a eleição da mesa diretora da ALEAC não pode ser uma disputa travada entre situação e oposição e que a sua composição tem de ser plural, com todas as forças que integram o parlamento.

EVIDENTE QUE PESA A MAIORIA

É evidente que os cargos mais importantes como a presidência da Assembléia Legislativa e a sua primeira secretaria devam ser ocupados com nomes da base do governo. E os demais cargos divididos entre os partidos da oposição dentro da proporcionalidade.

Leia Também:  Deputados vão para a eleição da Aleac com chapa de consenso

DIFÍCIL DE DECOLAR

Ontem se ensaiavam uma candidatura para disputar com a do deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS) á presidência da ALEAC, mas meio sem fôlego. Até a votação, dia 2 de fevereiro, haverá muito tempo para conversas e se chegar a um chapão de consenso.

VAI PARA O VOTO

O deputado eleito Roberto Duarte (MDB) garantiu ontem à coluna de que não se trata de briga com nenhum colega, mas que levará o seu nome até a votação no plenário na disputa da primeira secretaria da ALEAC. Uma ALEAC afinada com a população é uma de suas propostas.

MISSÃO CUMPRIDA

A missão humanitária de atendimento médico-odontológico que o saudoso Dr. Baba, morto covardemente, tinha planejado para acontecer nas comunidades ao longo do trecho entre Tarauacá-Jordão, foi cumprida com sucesso pelo médico e deputado Jenilson Lopes (PCdoB).

ESTADO QUEBRA

O governo não vai mandar aos demais poderes nenhum recurso além do duodécimo como quer o TJ, foi o que me garantiu ontem importante fonte do governo. E mesmo que o governo pretendesse alocar algum recurso extra-orçamentário, não poderia pela falta de caixa, completou a fonte. É um cabo-de-guerra para muitos capítulos.

CADA QUAL NO SEU TAMANHO

Executivo, Legislativo, Judiciário, MP, TCE, cada um tem de adequar os gastos ao seu tamanho.

NÃO TERÁ VALIDO A PENA

Se o governo Gladson Cameli não se limitar a passar o estritamente legal aos órgãos de outros poderes vai acabar todo encalacrado e não conseguindo pagar os seus servidores ao final do mandato, como aconteceu com a administração passada. Há que haver um entendimento.

UMA CORREÇÃO

O PSL elegeu um deputado estadual na última eleição, Wendy Lima. Fica feita a correção.

MULHERES PEDEM PASSAGEM

Aumentou a bancada das mulheres na Câmara Municipal de Rio Branco. Eram duas vereadores: Elzinha (PDT) e Lene Petecão (PSD). Fará o trio a vereadora Sandra Asfury.

SAINDO DA TEORIA

Tem muito secretário do novo governo ficando na teoria. Quem já está agindo na prática é o secretário de Infraestrutura, Thiago Caetano, que já definiu como prioridade para os primeiros 100 dias a conclusão de obras como Huerb, Upa de Cruzeiro do Sul e o Museu do antigo META.

OBRAS QUE SE ARRASTAVAM

Uma boa notícia. Huerb, Upa de Cruzeiro do Sul e Museu do antigo META, foram obras abandonadas pelo governo que saiu e que tiveram que ser retomadas na nova administração. Secretário tem que agir como o Thiago Caetano, trazendo soluções. A eleição terminou.

OUTROS ABACAXIS

E existem outros abacaxis a serem descascados na área de obras abandonadas pelo governo passado, como o Complexo do Peixe, em Cruzeiro do Sul, ZPE e Parque Industrial de Tarauacá.

TOCANDO O TERROR

Duplas de motoqueiros continuam a tocar terror pela cidade com assaltos e alguma coisa precisa ser feita. O roubo de motos parece que virou moda no mundo da bandidagem.

Leia Também:  Governador Tião Viana pede para assumir trecho da BR-364 que corta a capital

MAIOR DO ESTADO

O Colégio Militar de Cruzeiro do Sul está projetado para ser o maior do Estado.

NOME PARA COMPOSIÇÃO

As chances do deputado Wendy Lima (PSL) ganhar a eleição para a primeira secretaria da mesa diretora da ALEAC são remotas. O próprio Wendy, de segundo mandato, sabe como é o jogo.

PONTO PARA A PM

Ponto para a PM de Tarauacá, que em tempo recorde prendeu os bandidos que assaltaram um ônibus que vinha de Cruzeiro do Sul para Rio Branco. Quem reagiu á prisão teve de ser morto.

UM NOME PARA A DISPUTA

Caso entre em um partido que tenha estrutura no município, que lhe dê condições mínimas de fazer uma campanha, a vereadora Janaína Furtado (REDE) será um forte nome na disputa da prefeitura de Tarauacá. Tem um requisito essencial nestes tempos bicudos: moral inatacável.

DISPUTA PARTIDÁRIA

Virou uma briga entre MDB e PSDB a disputa pela presidência da Assembléia Legislativa. Os principais caciques de ambos partidos estão envolvidos em viabilizar as candidaturas de Luiz Gonzaga (PSDB) e Roberto Duarte (MDB). Montaram um esquema para lavar o MDB.

OUTROS VETORES

O projeto “florestania” dos governos petistas foi mais um conceito que morreu na teoria. Os investimentos em produtos agroflorestais foi um fracasso em termos de desenvolvimento da economia. Pelo menos não gerou emprego, renda e riqueza. Que venha o agronegócio.

BANCADA RACHADA

O MDB entra com a sua bancada rachada por conta da briga do prefeito Mazinho Serafim (MDB) com o governo Cameli. Não contará para tomadas de decisões conjuntas em projetos, com a deputada Meire Serafim (MDB), mulher do prefeito Mazinho.

MUITO IMPROVÁVEL

O grupo Vagner Sales (MDB) terá candidato a prefeito de Cruzeiro do Sul. Mas é muito improvável que venha ser o próprio, a deputada Antonia Sales (MDB) ou a deputada federal Jéssica Sales (MDB). Deverá buscar outro nome do grupo para lançar na dura disputa.

MAIS DO QUE NATURAL

O prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, se nega em falar na reeleição. No que está certo, é muito cedo. Mas nada mais natural que em franco processo de recuperação da imagem saia candidato novamente. As definições devem acontecer no próximo ano.

MORRERAM OU VIRARAM CHURRASCO

O Acre não pode mais ficar na improvisação, no amadorismo de projetos malucos sem o devido planejamento. Um desses exemplos negativos do governo passado foi a compra e distribuição de milhares de ovinos no meio rural. Por falta de técnica e não adaptação da raça ao clima úmido do Estado, as ovelhas que não morreram viraram churrasco. Não sei quem foi o autor desta ideia maluca, que chegou a ser comemorada com banda de música e foguete.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Crica

Cabeças coroadas começam a rolar na saúde

O secretário de Saúde, Alysson Bestene, revelou ontem ao BLOG DO CRICA que deu início a uma série de demissões de diretores de unidades como UPAs e setores administrativos da secretaria.

Publicados

em

Por

O secretário de Saúde, Alysson Bestene, revelou ontem ao BLOG DO CRICA que deu início a uma série de demissões de diretores de unidades como UPAs e setores administrativos da secretaria.

“Serão oito os que serão substituídos inicialmente, podendo chegar a mais”. Os nomes dos que sairão e dos que foram convidados para compor a equipe já foram enviados ao governador para avaliar. Ontem, em Brasiléia, em conversa com o blog, Gladson Cameli anunciou que tinha convocado uma reunião com a equipe de diretores da Saúde e determinado ao Alysson: “ou ele faz as mudanças necessárias para melhorar o sistema de saúde, ou também vai ter que sair. Não posso esperar mais, é muita cobrança”. Durante o seu discurso no ato de lançamento do programa de ramais no município, Cameli fez também muitas reclamações de que o atendimento na Saúde não é o que almejava para a população, e que quer ver mudanças rápidas. Outra medida anunciada ontem pelo secretário Alysson ao BLOG DO CRICA, foi a que formou uma comissão especial, composta por médicos, enfermeiros, assistentes sociais, que vão detectar os pontos de estrangulamento e demandas do HUERB e apresentar sugestões para melhorar o sistema. Foram duas decisões sensatas: a primeira de pedir a demissão dos diretores que não se adequaram às novas normas. E a segunda de criar uma comissão plural, para chegar a um diagnóstico sobre como melhorar o atendimento. Quando se faz no BLOG uma crítica não se torce contra, mas sempre a favor que melhore.

CHINA CONTINUA FORTE

O homem que comanda o setor financeiro da Saúde, o popular China, não será demitido como chegou a ser especulado na imprensa. Seu nome andou envolvido em suposto pedido de propina. Por nada ter sido provado, o secretário Alysson diz que o manterá no cargo.

PORTAS ABERTAS

Com a perda do deputado Neném Almeida, o SOLIDARIEDADE da deputada federal Vanda Milani (SD) abriu as suas portas para a entrada do deputado Fagner Calegário (PV).

OPOSIÇÃO ESCANGALHADA

Ontem, estive em Brasiléia, e perguntei a amigos como andava a oposição para a disputa da prefeitura. O comentário mais positivo: “escangalhada”. Bem definido. Nenhuma cara nova para ameaçar a prefeita Fernanda Hassem (PT) e com o grosso das lideranças com problemas penais. Some a isso estar a Fernanda fazendo uma boa gestão e também ser política.

AMIGUINHOS DE INFÂNCIA

O leitor se lembra da briga ferrenha do Major Rocha com o Coronel Ulisses Araújo? Pois bem, viraram amiguinhos desde a infância e aliados. Ulisses é um dos assessores mais próximos do secretário de Segurança, Paulo César, e irá coordenar o programa de vigilância da fronteira.

Leia Também:  Sinhasique é oficializada como candidata a prefeita de Rio Branco

SEMPRE DIGO NO BLOG

Tenho avisado várias vezes alertando para que não tomem partido em brigas de políticos, porque eles acabam se acertando, e quem entrou na briga acaba dando com a cara no chão.

A VIDA É UMA RODA VIVA

Encontrei ontem com um amigo das antigas do PT, que nos últimos 20 anos ocupou cargo de confiança de destaque nos governos petistas e papeamos um pouco em meio a compras no supermercado. Disse que “a barra está dura”, teve até que se desfazer do carro e me perguntou se não sabia de algum emprego. A velha questão: cargo de confiança não é eterno.

VALE PARA OS ATUAIS

O exemplo deste meu amigo serve para os ocupantes de cargos de confiança deste governo.

OPINIÃO DE QUEM ENTENDE

Empresário do setor de comunicação e gráfica me confessou que não vê como a questão da licitação da mídia do governo no valor de 5,4 milhões ser resolvida de forma definitiva, dia 15 de junho, quando sairá a decisão. Avalia que haverá recursos e a briga vai para justiça.

DEIXOU DE SER MAU PAGADOR

O Estado, que estava punido por o governo anterior ser mau pagador ao atrasar parcelas de empréstimos junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID, agora voltou a ser adimplente junto ao Tesouro Nacional. Ponto positivo para a equipe econômica do governo.

GUERRA ÁS MULTAS

O governador Gladson conclamou a que os produtores rurais que foram multados pelo IMAC não paguem as suas multas, porque vai anistiá-las. A ordem é licenças ambientais rápidas.

FIM DE UM PESADELO

Se a anistia vai de fato acontecer não sei, como São Tomé, prefiro esperar para ver. Mas só o anúncio de que o homem do campo não terá mais o batalhão de multadores nas suas porteiras, já é o fim de um pesadelo que era fato corriqueiro nos governos petistas.

NÃO ESCOLHE CANDIDATO

O prefeito de Epitaciolândia, Tião Flores, disse ontem ao BLOG do CRICA, que prevê três candidaturas a prefeito fora a dele: do Chiquinho Chaves (PSD), a do PT e a dos Hassem. Mas fez a ressalva de que não escolhe candidato: “quem vier, Crica, será surrado nas urnas”.

Leia Também:  Coluna do Crica

COM A GUILHOTINA EM PONTO DE CORTE

No seu discurso de ontem em Brasíléia, o governador Gladson Cameli se mostrou angustiado com a falta de resultados na área da Saúde. Ocupou bom espaço da fala prometendo que não vai mais esperar, que não agüenta mais as cobranças, e que cabeças vão rolar no setor.

ENTROU EM HIBERNAÇÃO

Depois de tantos anúncios da sua queda do cargo, o secretário de Agricultura, Paulo Wadt, continua firme mesmo com a pressão dos políticos tucanos. Entrou em hibernação e sumiu.

NÃO TEM RECLAMAÇÃO

Se na secretaria de Saúde do Estado chove problema, o mesmo não acontece no município de Rio Branco, onde o secretário de Saúde, Otoniel, consegue fazer uma gestão afinada e com poucas reclamações. Se fosse ao contrário as críticas estariam pipocando nas redes sociais.

COMANDANTE DEMOCRÁTICO

O bom gestor sabe que o cargo não lhe pertence e que deve satisfação ao povo. Fiz críticas contra a falta de policiamento ostensivo em rondas no bairro Tropical, e recebi a seguinte resposta do Comandante da PM, Coronel Ezequiel Bino, que mostrou que democracia não se fala, se pratica: “Olá, Luis Carlos. Como grande parte dos acreanos sou leitor da sua coluna e por entender que a Polícia Militar está afinada e atenta às reclamações, sugestões, opiniões, aflições da sociedade, quero dizer que tratarei do policiamento do Tropical e entorno com a Comandante imediata da área, Maj Jokebed e logo daremos uma resposta. Obrigado pela sua manifestação. Cmt Geral da PMAC, Cel Bino”. Um exemplo para os gestores do governo.

SAIRÁ POR CIMA

Política é momento. Construindo as prometidas pontes de Brasiléia e de Xapuri, o governador Gladson Cameli ficará em alta eleitoral na região do Alto Acre, onde, por sinal foi campeão de votos. Não se analisa a política com base no imediatismo de quem mal começou o governo.

NÃO É BESTA

O governador Gladson Cameli me disse certa feita em uma entrevista que tem gente que pensa ele ser “besta”. E, não é mesmo! Tanto não é que, ele desarmou qualquer movimento no seu grupo de aliados sobre sua sucessão ao dizer que será candidato á reeleição.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA