RIO BRANCO

Tudo sobre Política

Governo do Estado intercede por empresários para desburocratizar transporte de madeira

Publicados

Tudo sobre Política

Assessoria – O governador em exercício, Major Rocha, foi procurado nesta segunda-feira, 25, pela Federação das Indústrias do Estado do Acre (Fieac) para tomar conhecimento do risco de desabastecimento de lenha no mercado local. 

Como o estado não é autossuficiente na produção de lenha, grande parte do insumo é trazido de Rondônia. Com a intensificação de operações ambientais federais na região amazônica, divergências relacionadas à medição da madeira estão prejudicando a entrada de cargas no Acre.

“Estamos tendo várias operações dos órgãos ambientais no país e aqui no Acre temos algumas especificidades da nossa região. Infelizmente, essas operações em nível nacional aplicam a legislação baseadas em fatores que não se adequam à nossa realidade. Isso fez com que vários veículos que transportam madeira para o nosso estado fossem apreendidos e acabou gerando desabastecimento no setor industrial”, explicou Rocha.

Durante videoconferência, que contou com a participação de representantes do Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac), Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e empresários, a situação foi exposta, assim como medidas para a solução definitiva do impasse.

Leia Também:  Tuchaua comemora desempenho

Major Rocha mostrou-se preocupado com a situação das indústrias acreanas, sobretudo devido à crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. De acordo com o governador em exercício, uma nova instrução normativa referente ao cálculo de medição será elaborada pelo Imac, de maneira que obedeça a legislação vigente e, ao mesmo tempo, atenda à realidade local. A proposta será colocada em discussão na próxima semana com os participantes da videoconferência.

“Na próxima segunda-feira, os órgãos ambientais vão sentar junto com o setor produtivo para encontrar essa alternativa que vai contemplar tanto a proteção ambiental, que é o que nós queremos, como também a garantia de que o setor industrial não tenha prejuízo como, por exemplo, o desabastecimento da lenha no estado”, pontuou.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Tudo sobre Política

Prefeita Nandinha diz que 90% das escolas estão climatizadas, o que existe são 90% de inverdades da prefeita

Publicados

em

Diz o ditado que “Santo de casa não obra milagre”, uma visita que a Vereadora Neiva Badotti fez nesta quinta-feira pela manhã na escola municipal Rui Lino provou o contrário está um verdadeiro caos.

A primeira escola na agenda de visitas da vereadora Neiva já surtiu efeito, na intenção de fazer uma fiscalização a respeito de reformas e climatização de 90% das escolas municipais, anunciadas pelo executivo, a vereadora se deparou com outra realidade.

A suposta reforma feita na referida escola, na verdade, não passa de uma colocação de alguns “capotes”, peça de alumínio colocada no cume da cobertura, que ainda resiste desde a fundação da escola, no tempo da ex-prefeita Leila Galvão.

O remendo novo no pano velho não resolveu muita coisa, além de ficar um tremendo contraste na paisagem da cobertura, a escola vive sob cachoeira quando desce a chuva nesse período invernoso.

Sobre a climatização de 90% das salas de aulas, o que existe é 90% de inverdades, existe sim os ar condicionados, 28 no total para atender as escolas urbanas e rurais nucleadas, mas ainda estão encaixotados em uma sala de aula na escola.

Leia Também:  Apedreja essa mão vil que te afaga: Toma um fósforo. Acende teu cigarro! O beijo, amigo, é a véspera do escarro, a mão que afaga é a mesma que apedreja

Mas como Brasiléia é um município de muro baixo, em pouco mais de 40 minutos de visita da parlamentar, a escola recebeu a visita inesperada da secretária de educação e sua equipe, que souberam da visita e foram averiguar do que se tratava.

Mas a visita surtiu efeito, sabendo da fiscalização e da repercussão que seria negativa, a secretária já pediu para a gestora fazer um orçamento de uma verdadeira reforma e segundo informações já chegaram telhas novas na tarde desta quinta-feira.

O difícil vai ser explicar o porquê de duas reformas em pouco espaço de tempo, nas imagens abaixo dá para visualizar um pouco da última reforma, reboco de alvenaria nos pilares de madeira e capotes rematando a cobertura.

Tirando a parte estrutural, a parlamentar relata que encontrou uma escola limpa, equipe acolhedora, ambientes em total higiene, onde a parlamentar parabeniza a gestora da escola.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA