Tudo sobre Política

Governador do Rio de Janeiro apóia criação de fundo para a segurança pública

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, defendeu em seu discurso durante o 1º Encontro de Governadores do Brasil a criação de fundo para a segurança pública.

Publicados

Tudo sobre Política

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, defendeu em seu discurso durante o 1º Encontro de Governadores do Brasil a criação de fundo para a segurança pública.

 Por Samuel Bryan 

O representante da Guanabara falou em nome da Região Sudeste durante as proposições dos chefes dos executivos estaduais, logo após as falas dos quatro ministros.

“Hoje não dá para sonharmos, principalmente no estado do Rio de Janeiro, em combater o crime organizado, que se divide em três facções mais as milícias, só com nossas forças policiais. Temos que ser urgentes. De levarmos para o Congresso Nacional uma proposta de criar um fundo de segurança nacional”, disse Pezão.

O governador  destacou, ainda, a articulação do governador do Acre, Tião Viana, que movimentou os demais colegas e promoveu a realização da reunião nacional.

“Quero agradecer a você, Tião, pela sua dedicação para que este encontro se concretizasse. Você está de parabéns por dar luz a esse tema importante para todos nós. Não é fácil reunir quase 20 governadores, e aqui estamos nós. Não é fácil o que a gente enfrenta”, reforçou o governador do Rio de Janeiro.

Leia Também:  Vereadores de Cruzeiro do Sul seguem trabalhando para ajudar a solucionar diversos problemas da cidade, veja um resumo da última sessão ordinária

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Tudo sobre Política

Na Fieac, Dr. Jenilson se reúne com representantes da indústria e apresenta propostas para o Senado

Publicados

em

O candidato ao Senado, Dr Jenilson Leite (PSB), se reuniu com representantes das indústrias do Acre e com membros da diretoria da Federação das Indústrias do Acre (Fieac), na tarde desta quinta-feira (11), para apresentar suas propostas e ouvir as demandas de um dos mais importantes setores da economia acreana.

Para o candidato, investir em setores que possam tirar o Acre da dependência de repasses públicos é a solução para o desenvolvimento.

“Nós precisamos encontrar saídas econômicas para além das rotinas de repasses federais. Hoje a nossa agricultura e pecuária representam, juntos, apenas 8% do nosso PIB, indústria 7% e comércio 13% , a saída hoje é estimular o crescimento desses setores ou vamos seguir nessa ciranda de um limite prudencial do estado estourado e sem poder gerar expectativa de trabalho para nossa população e ao meu ver precisamos ter políticos que lá em Brasília lutem por isso, pelo crescimento do comércio, da indústria, da pecuária, da agricultura e os demais setores”.

As estradas são um dos principais entraves para o desenvolvimento econômico do Acre, de acordo com a visão dos empresários que afirmaram que os setores estão carentes de incentivos fiscais e esbarram constantemente em burocracias que intimidam a expansão dos negócios.

Leia Também:  Comissão aprova relatório de Jesus Sérgio que cria Área de Livre Comércio em Cruzeiro do Sul e amplia a de Brasileia para municípios do Vale do Acre

Para Jenilson o Senado será o local crucial para alcançar importantes melhorias para o Acre.

“Eu não tenho dúvidas que chegando ao Senado, iremos nos articular para que leis, incentivos e mediar junto ao governo federal, uma série de ações que ao meu ponto de vista são importantes para o estado. Eu tenho uma visão de que uma das principais responsabilidades de um político é trabalhar pelo desenvolvimento do estado nos mais diferentes aspectos. As leis votadas lá são fundamentais por melhorias para nosso estado e país. Algumas decisões federais negligenciaram nosso estado em alguns aspectos, e um deles é a infraestrutura, sobretudo as BRs”, afirma.

Além do Dr. Jenilson, participaram da reunião lideranças do PSB, José Afonso Boaventura, presidente do SINDGRAF, Augusto Nepomucena, Presidente do SINDMOVEIS; Márcio Agiolfi presidente do SINDICER; José Luiz, presidente SINPAL; Carlos Afonso presidente SINCON; Francisco Agacis Presidente SINDISORVETES e Jorge Afonso Tomás, Edival Diniz, Antônio Leonidas, Denise Pinho e João Albuquengi, membros da diretoria da Fieac.

Leia Também:  Leo de Brito cobra explicações sobre liberação de crédito para empregadores da lista de trabalho escravo

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA