Tudo sobre Política

De última hora, é confirmado Mailza Gomes como vice de Gladson Cameli e Ney Amorim vai concorrer ao senado

Publicados

Tudo sobre Política

Gladson Cameli disputa reeleição pelo Progressistas – Foto: Reprodução 

Gladson Cameli, candidato do Progressistas ao governo do Acre pelo segundo ano, oficializou a candidatura nesta sexta-feira (5) ao lado da senadora Mailza Gomes como vice. Ela era suplente de Cameli e assumiu a cadeira após ele ser eleito para governador em 2018.

A coligação tem como tema ‘Avançar para Fazer Mais’ e também apresentou o nome de Ney Amorim (Podemos) para vaga no Senado.

A convenção ocorreu no ginásio do Sesc-Bosque, em Rio Branco, após muita polêmica envolvendo o nome do vice. Cameli possui cargo político desde 2007, quando foi deputado federal por dois mandatos, senador e atualmente governador do estado.

A oficialização das candidaturas ocorreu no último dia do prazo estipulado pelo Tribunal Regional Eleitoral. Após isso, todos os partidos precisam encaminhar os documentos ao tribunal.

Propostas

Cameli destacou que, assim como a primeira, vai tentar desenvolver todos os setores no estado, mas que a prioridade é:

geração de empregos;

avanço no atendimento à Saúde;

Leia Também:  Morador de Cruzeiro do Sul afirma que Gladson só dá entrevista embriagado e ele é um vagabundo

melhorias na Educação;

desenvolvimento

O progressista diz ainda que a pandemia fez com que a saúde fosse a prioridade na tomada de decisões, não só no Acre, mas em todo o país.

“Priorizamos a proteção à vida. Ainda assim, impulsionamos o agronegócio como gerador de empregos, construímos e colocamos para funcionar dois hospitais em tempo recorde, tivemos na Segurança a maior queda de homicídios do Brasil e pela primeira vez na história, o Acre subiu em competitividade no ranking dos estados e começamos grandes obras de infraestrutura”, destacou.

Caso seja eleito, ele disse que o desafio é colocar em prática todo o Plano de Desenvolvimento criado para colocar o Acre entre os estados que mais crescem no país. “Se apesar da pandemia fizemos muito, agora vamos ter a oportunidade de fazer mais”. declarou.

Alianças

A aliança é formada pelo Progressistas, PSDB, Podemos, PDT, Solidariedade, Cidadania, Democracia Cristã, Brasil 35, Patriotas e PMN.

Trajetória

Gladson de Lima Cameli nasceu em Cruzeiro do Sul, segunda maior cidade do estado, tem 44 anos, e, além de político é engenheiro civil e empresário. Ele se mantém em cargos políticos há 15 anos, sendo o primeiro mandato iniciado em 2007 como deputado federal pelo estado acreano. Ele é sobrinho do ex-governador Orleir Cameli, que morreu em 2013.

Leia Também:  Prefeito Jailson Amorim vai revitalizar fábrica de banana de Rodrigues Alves e adquirir novos equipamentos

Em 2011, ele foi eleito novamente deputado federal, onde seguiu por quatro anos e logo em seguida, em 2015, iniciou seu mandato de senador. Porém, deixou o cargo para concorrer às eleições em 2018, quando foi ele 223.993 votos (53,71% dos votos válidos), contra 141.071 (34,54%), de Marcus Alexandre, PT. Do G1 Acre

Gladson Cameli disputa reeleição pelo Progressitas – Foto: Agatha Lima/Rede Amazônica Acre

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Tudo sobre Política

Ex-deputado federal César Messias é escolhido como suplente de Jenilson Leite ao Senado Federal

Publicados

em

O PSB Acre referendou na última sexta-feira (5), durante convenção partidária, o nome do deputado estadual e médico infectologista Jenilson Leite como candidato ao Senado Federal.

Além do nome de Jenilson, o partido também homologou o nome de César Messias como primeiro suplente.

César é ex-vice governador por dois mandatos, ex-prefeito de Cruzeiro do Sul e atual presidente da sigla no Acre. Ele também foi deputado estadual e federal.

Jenilson Leite afirma que a experiência e comprometimento de César fortalece a sua candidatura.

“O nosso grupo é muito qualificado. Nós temos um companheiro, que se hoje nós fossemos comparar essas eleições à uma partida de futebol, nós diríamos que temos um dos melhores técnicos, que é o nosso companheiro César Messias. César te agradeço muito pela firmeza”, reconheceu Jenilson.

Cada candidato escolhe dois suplentes que não recebem salário no Senado, a menos que o titular do cargo seja afastado e eles tomem posse.

Sobre César Messias

Foi eleito deputado estadual do Acre, em 1990 e reeleito em 1994 e 1998. Foi ainda secretário estadual de Assistência Social entre 1997 e 1998.

Leia Também:  Proposta defendida por Jesus Sérgio que obriga planos de saúde a cobrir tratamentos fora do rol da ANS é aprovada na Câmara

Em 2000 deixou a Assembleia Legislativa para concorrer à Prefeitura de Cruzeiro do Sul, sendo eleito.

Em 2006 foi eleito vice-governador de Binho Marques e em 2010 foi novamente eleito vice-governador, desta vez no mandado de Tião Viana e, em 2014, elegeu-se deputado federal com 26.448 votos.

Atualmente é presidente estadual do PSB no Acre.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA