RIO BRANCO

Tudo sobre Política

Com salários atrasados, Agentes Comunitários de Saúde realizam manifestação em frente a Prefeitura de Cruzeiro do Sul

Agentes Comunitários de Saúde realizaram uma manifestação, em frente à Prefeitura Municipal de Cruzeiro do Sul.

Publicados

Tudo sobre Política

Agentes Comunitários de Saúde realizaram uma manifestação, em frente à Prefeitura Municipal de Cruzeiro do Sul para reivindicar salários atrasados e cumprimentos de acordo não realizados pelo Prefeito Ilderlei Cordeiro.

Zuíla Lima, delegada sindical, falou sobre a decisão de paralisar as atividades realizadas pelos Agentes Comunitários de Saúde no dia de hoje para cobrar da Prefeitura o atraso de salários e cumprimento de acordos que tinham sido realizados com a atual gestão pública.

” O Sindicato vem a um ano tentando negociar com a gestão a deliberação do regime dos Agentes Comunitários de Saúde, porque sobre o regime tem uma lei federal que diz que o Agente de Saúde é regido pela CLT, salve se o município tiver seu regime próprio, que é o caso da nossa prefeitura, que possui o regime estatutário.

Os primeiros Agentes de Saúde que fizeram o concurso público, no qual o edital dizia que eles fariam parte do regime estatutário do município, até o momento, 11 anos depois, a categoria está a ver navios, pois não tem direito de estatutário e nem direito de celetista. Conversamos com o prefeito em meados de novembro para dezembro e ele prometeu que tudo que era de direito dos agentes de saúde iria ser dos agentes de saúde e não é isso que está sendo cumprido.

Leia Também:  Empresário confessa em Juizo esquema de combustível em troca de votos para Marilete Vitorino em Tarauacá

Nós estamos em atraso com incentivo adicional, que tem uma portaria ministerial na qual diz que a décima terceira parcela que vem é destinado a incentivo adicional para os agentes de saúde que alcançarem a meta, sendo que o dinheiro que tem nos cofres públicos da Prefeitura é para ser divido em partes iguais entre os agentes que irão receber o incentivo de produtividade.” Disse Zuíla.

Com esse manifesto, os agentes tentaram mais uma conversa com o Prefeito Ilderlei Cordeiro, caso não consigam resolver essa situação será tomada outras atitudes.

“Essa nossa paralisação já foi informada para gestão que é com ponto indicativo de greve e nós iremos conversar com a categoria e iremos decidir se vamos deliberar a greve por tempo indeterminado pelo regime. Em relação ao dinheiro, do repasse nós estamos vendo se iremos entrar com um mandato de segurança ou com a liminar de urgência e emergência, uma vez que temos como comprovar que esse dinheiro caiu nos cofres do município em dezembro.

Leia Também:  No Dia das mães, Jenilson distribui flores e máscaras às produtoras rurais de Tarauacá

Sem contar com os pagamentos dos agentes de endemias, que as competências de 2017 consta no fundo a fundo que foram todas repassadas, então não entendemos o motivo do atraso.” Ressaltou a delegada sindical.

Vinilson Sombra de Albuque, presidente do núcleo do sindicato trabalhadores em saúde em Cruzeiro do Sul disse que a prefeitura vem atrasando o pagamento dos trabalhadores provisórios na área de saúde do município.

“Na realidade a Prefeitura de Cruzeiro do Sul vem atrasando o pagamento dos trabalhadores provisórios, que seria o mês de novembro e de alguns trabalhadores também o mês de dezembro. Os trabalhadores que são provisórios não podem participar de movimentos que são demitidos e os trabalhadores procuraram o sindicato para tentar resolver administrativamente com o prefeito, se não conseguirmos vamos estar encaminhando a denúncia ao Ministério Público Estadual.”, disse Nilson.

O Prefeito Ilderlei Cordeiro recebeu a comissão e disse que até amanhã, 28, seria resolvido o problema dos adicionais. Mas, não indicou nenhuma solução para o pagamento dos funcionários provisórios em atraso desde novembro de 2017.

acrereal.com

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Tudo sobre Política

Jenilson Leite cobra retorno do Auxílio Covid e antecipação da Etapa Alimentação aos servidores da Saúde

Publicados

em

O Acre registrou somente esta semana, entre segunda-feira (17) e quinta (20), 1.679 novos casos de Covid-19, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde. Além destes dados oficiais do Estado, a Secretaria Municipal de Saúde de Rio Branco, disse que nesta quinta, o drive-thru montado na Arena da Floresta positivou 724 casos, apenas na Capital.

O deputado estadual e médico infectologista Jenilson Leite (PSB), divulgou um vídeo nesta sexta-feira (20), onde pontua ações que podem ser adotadas pelo Estado para mitigar a situação da população e dos servidores da Saúde diante desta terceira onda do coronavírus.

Entre as ações propostas pelo parlamentar estão o retorno do pagamento do Auxílio Covid, que começou a ser pago aos servidores em julho do ano passado e foi encerrado em dezembro. Ele pede também que o Governo antecipe o pagamento da Etapa Alimentação.

“Com aumento de internações, vamos precisar novamente dos nossos servidores de saúde que estão enfrentando uma terceira onda, e o Governo precisa retomar com o Auxílio Covid, precisa trazer para fevereiro aquela Etapa Alimentação que tínhamos pactuado e que seria para março, e precisa anunciar o reajuste linear para todos os servidores, inclusive os da saúde que mais uma vez se expõem diante da pandemia, e precisa ainda anunciar o concurso público para saúde”, pontua Jenilson.

Leia Também:  No Dia das mães, Jenilson distribui flores e máscaras às produtoras rurais de Tarauacá

O parlamentar levanta outra questão: a necessidade de ampliação da vacinação no estado. O Acre continua no topo entre os estados que menos vacinaram contra a covid-19. Segundo dados nacionais, o estado imunizou 47,09% da população com duas doses, ficando atrás apenas de Amapá e Roraima, com 38,73% e 38,64%, respectivamente.

Com este cenário, Jenilson pede que o Governo ajude os municípios a traçar e desenvolver estratégias. “Em tese a responsabilidade direta da vacinação é dos municípios, mas em um momento como esse não podemos deixar isso só na mão das prefeituras. Precisamos criar estratégias para ampliar essa capacidade”, destacou.

O avanço da vacinação é a estratégia fundamental para evitar um colapso na rede pública de saúde e mortes, pois garante que o paciente não desenvolva um quadro grave da doença em que precise de oxigênio e ser internado em uma unidade de terapia intensiva (UTI).

“Quando estão com duas doses, essas pessoas evoluem de forma tranquila, mas temos aquelas que não tomaram nenhuma ou só tomaram uma dose e estamos vendo elas adoecerem e precisar de internação hospitalar”, alerta.

Leia Também:  1ª Copa Rio Branco de Motocross

O deputado acredita que estas medidas demonstraram o comprometimento do Governo no enfrentamento de mais uma onda de covid-19 no Acre.

Veja o Vídeo:

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA