RIO BRANCO

Tudo sobre Política

Basquete: acreanos encaram ‘saga’ para participar de teste no Rio

Acompanhados pelo presidente da Federação, os jovens Lucas Assem e Lucas Xapuri chegaram ao Rio de Janeiro

Publicados

Tudo sobre Política

Acompanhados pelo presidente da Federação, os jovens Lucas Assem e Lucas Xapuri chegaram ao Rio de Janeiro

Lucas Assem e Lucas Santos com o presidente da Feab, Atevaldo Santana (Foto: Arquivo Pessoal)

Lucas Assem e Lucas Santos com o presidente da Feab, Atevaldo Santana (Foto: Arquivo Pessoal)

Dois jovens e um sonho em comum: Lucas Assem, 17 anos, e Lucas Santos, o Xapuri, 15 anos, estão no Rio de Janeiro para participar de um teste na categoria de base do Tijuca Tênis Clube. Entretanto, para chegar na capital carioca, as promessas acreanas enfrentam uma longa viagem acompanhados pelo presidente da Federação Acreana de Basquete (Feab), Atevaldo Santana.

A ‘saga’ começou na sexta-feira (13), quando os três embarcaram para Porto Velho (RO), de ônibus. Da capital rondoniense o trio seguiu de avião para o Rio, com conexão em Manaus e Campinas.

– Promessa é divida. Eu tinha prometido levar o Lucas Assem e Lucas Santos para um teste no Rio de Janeiro. Então, promessa cumprida – postou Atevaldo Santana em uma rede social após chegar ao Rio, neste domingo (15).

Leia Também:  Vídeo: Polícia Federal investiga participação do Planalto na organização e financiamento de atos bolsonaristas de 7 de setembro

De acordo com o dirigente, os testes dos jogadores estão agendados para esta segunda e terça-feira. Lucas Assem e Lucas Xapuri foram destaques na disputa dos Jogos Escolares da Juventude Sub-17 e também do Brasileiro Sub-15 (caso do jogador de Xapuri).

 Rio Branco, AC

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Tudo sobre Política

Desportistas do handebol lamentam a falta de apoio da prefeita Fernanda Hassem com a modalidade

Publicados

em

Os jogadores de handebol do município de Brasileia lamentam a falta de apoio e incentivo da prefeitura de Brasileia, que mesmo o time levando o nome do município nas maiores competições e mais importante, não receberam apoio da gestão.

Os desportistas denunciam que na gerência de esportes de Brasileia está havendo favoritismo e que para a gestão não são todas as modalidades que importam e sim aquele onde praticam secretários e vereadores do município, enquanto os jogadores de Handebol fazem cotinha para tentar arcar com as despesas do time.

Além da cota entre os jogadores, o grupo recebe apoio do presidente do clube Ressaca, Clebson Venâncio e de Rodolfo que é da Central de bebidas que tem contribuído significativamente para que o time siga sempre levando o nome de Brasileia e até mesmo conquistando títulos.

Nos foi repassado também que a deputada estadual Maria Antônia e o ex-prefeito Dêda sempre ajudam, mas o time sequer pode anunciar pois causa sérios transtornos na região de fronteira. O que o grupo busca é apenas ajuda nos custos para participar de torneios e campeonatos de forma descente e não apenas no sufoco.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Supremo Tribunal Federal julga liberdade do ex-ministro José Dirceu
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA