RIO BRANCO

Tudo sobre Política

Apesar de promessa do senador Gladson, Temer retira recursos da BR-364

Um fonte interna ao Ministério dos Transportes afirmou, nos bastidores, que é dado como certa a falta de dinheiro para a BR-364.

Publicados

Tudo sobre Política

Um fonte interna ao Ministério dos Transportes afirmou, nos bastidores, que é dado como certa a falta de dinheiro para a BR-364.

A afirmação de que irá faltar dinheiro para a BR teria sido feita a um político acreano. Para o trecho entre Feijó e Sena, não haverá recurso para as obras.“Não terá dinheiro para fazer tudo. Serão realizados alguns pontos, mas vai faltar dinheiro”, teria dito.

Em dezembro de 2017, o Governo Federal decidiu o corte de cerca de 2 bilhões para o Departamento Nacional de Infraestrutura dos Transportes (DNIT). As alocações de R$ 8,1 bilhões em 2017 foram reduzidas para R$ 6,1 bi.

Em abril, Temer destinou R$209 milhões para a publicidade de seu governo de aprovação pífia, retirando recursos de outras áreas. Apesar dos míseros 5% de aprovação, Temer sonha em ser candidato à reeleição.

O papel dos aliados

Diante do quadro, cumpre rememorar os ‘regabofes’ promovido pelo senador Gladson Cameli na ponte do Juruá para anunciar o ‘total apoio’ do governo federal na recuperação da BR.

Leia Também:  Deputado Fagner Calegário afirma que Previdência precisa ser fruto do diálogo com trabalhadores

Os cortes em uma obra prioritária, tanto do ponto de vista prático da população, quanto para sua eleição, demonstram que o ‘prestígio’ alegado por Gladson na ocasião é apenas uma fantasia. Ou de fato, ter ‘prestígio’ em um governo sem legitimidade política e eleitoral, não vale lá grande coisa.

Juruá em Tempo
COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Tudo sobre Política

Jenilson Leite cobra retorno do Auxílio Covid e antecipação da Etapa Alimentação aos servidores da Saúde

Publicados

em

O Acre registrou somente esta semana, entre segunda-feira (17) e quinta (20), 1.679 novos casos de Covid-19, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde. Além destes dados oficiais do Estado, a Secretaria Municipal de Saúde de Rio Branco, disse que nesta quinta, o drive-thru montado na Arena da Floresta positivou 724 casos, apenas na Capital.

O deputado estadual e médico infectologista Jenilson Leite (PSB), divulgou um vídeo nesta sexta-feira (20), onde pontua ações que podem ser adotadas pelo Estado para mitigar a situação da população e dos servidores da Saúde diante desta terceira onda do coronavírus.

Entre as ações propostas pelo parlamentar estão o retorno do pagamento do Auxílio Covid, que começou a ser pago aos servidores em julho do ano passado e foi encerrado em dezembro. Ele pede também que o Governo antecipe o pagamento da Etapa Alimentação.

“Com aumento de internações, vamos precisar novamente dos nossos servidores de saúde que estão enfrentando uma terceira onda, e o Governo precisa retomar com o Auxílio Covid, precisa trazer para fevereiro aquela Etapa Alimentação que tínhamos pactuado e que seria para março, e precisa anunciar o reajuste linear para todos os servidores, inclusive os da saúde que mais uma vez se expõem diante da pandemia, e precisa ainda anunciar o concurso público para saúde”, pontua Jenilson.

Leia Também:  Jogo do impeachment já começa a virar no senado, afirma Cristovam Buarque

O parlamentar levanta outra questão: a necessidade de ampliação da vacinação no estado. O Acre continua no topo entre os estados que menos vacinaram contra a covid-19. Segundo dados nacionais, o estado imunizou 47,09% da população com duas doses, ficando atrás apenas de Amapá e Roraima, com 38,73% e 38,64%, respectivamente.

Com este cenário, Jenilson pede que o Governo ajude os municípios a traçar e desenvolver estratégias. “Em tese a responsabilidade direta da vacinação é dos municípios, mas em um momento como esse não podemos deixar isso só na mão das prefeituras. Precisamos criar estratégias para ampliar essa capacidade”, destacou.

O avanço da vacinação é a estratégia fundamental para evitar um colapso na rede pública de saúde e mortes, pois garante que o paciente não desenvolva um quadro grave da doença em que precise de oxigênio e ser internado em uma unidade de terapia intensiva (UTI).

“Quando estão com duas doses, essas pessoas evoluem de forma tranquila, mas temos aquelas que não tomaram nenhuma ou só tomaram uma dose e estamos vendo elas adoecerem e precisar de internação hospitalar”, alerta.

Leia Também:  Deputado Fagner Calegário afirma que Previdência precisa ser fruto do diálogo com trabalhadores

O deputado acredita que estas medidas demonstraram o comprometimento do Governo no enfrentamento de mais uma onda de covid-19 no Acre.

Veja o Vídeo:

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA