RIO BRANCO

TUDO SOBRE POLÍTICA II

“O risco que corre o pau, corre o machado”: Ex-senador Jorge Viana poderá disputando o governo e o deputado Jenilson Leite o Senado

Publicados

TUDO SOBRE POLÍTICA II

O rescaldo da pesquisa Real Time Big Data, da TV Gazeta, movimentou os bastidores dos partidos de esquerda em vias de formar um bloco para as eleições de 2022. O PT, PSB, PCdoB e PSOL já discutem a formação de uma aliança majoritária. A ideia inicial é a de que o deputado Jenilson Leite (PSB) dispute o governo e Jorge Viana ou Sanderson Moura o Senado.

Porém, a escalação pode ser mudada. De acordo com um dos principais articuladores do movimento, a pesquisa demonstra que o governador Gladson Cameli é o favorito, podendo levar no 1º turno contra o senador Petecão (PSD).

“Jorge Viana lidera para o Senado, mas diante do quadro só ele seria capaz de empurrar a disputa para o 2º turno”. A questão é que, “o risco que corre o pau, corre o machado”. Gladson pode derrotar Jorge Viana também.

Para o PCdoB, o ex-governador deveria disputar o governo e não o Senado. As contradições internas e rachas no grupo que ganhou a eleição em 2018 podem trazer à esquerda de volta ao Palácio Rio Branco. A saída do bloco governista do vice major Rocha, da deputada Mara, do senador Petecão e de parte do MDB enfraqueceria Gladson. Porém, as pesquisas não traduzem isso. Gladson é o favorito.

Leia Também:  Governo anuncia pagamento de R$ 4,7 milhões em verbas rescisórias e indenizações para servidores ativos e aposentados

Nas eleições de 2014 muitos candidatos, entre eles secretários de estado na ocasião, trataram de cuidar de suas próprias candidaturas, deixando os candidatos majoritários (Tião Viana e Perpétua Almeida) em segundo plano. Por muito pouco Tião Bocalom não venceu a eleição. O governador Gladson precisa prestar atenção em quem está fazendo de suas secretarias e cargos trampolins eleitorais para seus projetos particulares.

Jorge Viana comentou e não pediu segredo. Na sua avaliação o maior erro político que o governador Gladson Cameli comete é repartir o governo entre deputados estaduais, federais e senadores. Na campanha é cada um por si e Deus por todos.

O conselho político do governador Gladson Cameli (PP) está exigindo do presidente da Aleac, deputado Nicolau Júnior (PP) uma sala especial na Assembleia para que possam se reunir e discutir as estratégias políticas do governo. Era só o que faltava! Deputados, assessores e servidores já não têm espaço adequado. Em que buraco vão socar o conselho político do governo?

E veja também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: A gestão do prefeito Jailson Amorim e seu vice-prefeito Pr. Nilson vem desenvolvendo ao longo destes sete meses um excelente trabalho voltado para o bem star da população e visando o desenvolvimento do município. Durante o início da gestão, houve alguns problemas que o município enfrentou como por exemplo a alagação em algumas comunidades rurais o que gerou prejuízos para os moradores. Mas apesar de tantos transtornos a prefeitura de Rodrigues Alves prestou todo o apoio às famílias atingidas, inclusive levou atendimento médico a comunidades rurais.

Leia Também:  Bolsonaro: Amigo de miliciano, linguajar de miliciano, comportamento de miliciano

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter 3 de Julho Notícias

Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook 3 de Julho Notíci

Veja o Vídeo:

Inscreva-se no Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe.

Inscreva-se no Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Inscreva-se na Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

TUDO SOBRE POLÍTICA II

”O Brasil está sendo comandado pelo mercado financeiro”, diz deputado Leo de Brito

Publicados

em

“O banqueiro André Esteves disse quem é que manda no nosso país. Diga-se de passagem, quem manda sem ter nenhum voto. Ele mostra a força que o mercado financeiro tem sobre as instituições brasileiras no governo Bolsonaro”, declarou o deputado federal Leo de Brito (PT) durante discurso no plenário da Câmara dos Deputados nesta terça-feira, 26.

O parlamentar fez referência a um áudio atribuído a André Esteves divulgado na imprensa, no último fim de semana. Leo de Brito ressalta que, entre outras coisas, no áudio, Esteves usou palavras de misoginia contra a ex-presidenta Dilma e fez comparações ao golpe de 64 com o golpe de 2016.

“A gente aqui votando vários projetos, várias matérias e o senhor André Esteves rindo da ligação que o presidente da Câmara, Arthur Lira, fez para ele, para saber como ficaria a situação depois do pedido de demissão de diversos secretários do Ministério da Economia, na semana passada”, comentou.

Leo de Brito destacou ainda que enquanto os brasileiros sofrem com o país voltando ao mapa da fome, com constantes aumentos nos preços dos alimentos, do gás de cozinha, dos combustíveis e da energia elétrica, o governo de Bolsonaro favorece o mercado financeiro.

Leia Também:  Mais um processo para a Nandinha: Vereador Leomar afirma que entrará com uma representação na justiça contra a prefeitura de Brasileia para que acidente seja investigado

“André Esteves disse que o presidente do Banco Central ligou para ele para saber se tinha que baixar ou não a taxa de juros, inclusive, manifestando a opinião que a taxa de juros estaria muito baixa. É essa a realidade das votações que nós tivemos na Câmara. Inclusive, que eles vieram na Casa fazer emendas escritas, como na reforma trabalhista, na PEC do teto de gastos, na PEC das terceirizações, das diversas emendas constitucionais que só favorecem o mercado financeiro, enquanto isso o povo está sofrendo”, concluiu Leo de Brito.  

Entenda o vazamento de áudio de Esteves

O áudio atribuído ao banqueiro André Esteves foi gravado durante um evento fechado do BTG Pactual com clientes. No áudio Esteves dono do banco BTG revela que recebeu ligações do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira e de Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, em conversas que, segundo o banqueiro, ele discute e opina sobre a política econômica do Brasil.

Além disso, o banqueiro compara o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2016, com o golpe militar de 1964.

Leia Também:  Paulo Teixeira conclama sociedade a pressionar o Parlamento pela abertura do impeachment de Bolsonaro

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: Vereadora Neiva Badotti – “Não me manda recado, mais! Este tipo de recado é de quem deve, é de quem está com medo, eu vou continuar fiscalizando, denunciando doa a quem doer. Eu tenho certeza que essas denuncias não vão passar despercebidas, eu confio plenamente no Poder Judiciário na Policia Federal que não vão usar dois pesos e duas medidas para ninguém. Ninguém está acima da Lei, nem a senhora prefeita, nem o Governo do Estado e nem o presidente da República interfere na PF, não me mande mais recado!!”, concluiu a parlamentar.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter 3 de Julho Notícias

Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook 3 de Julho Notíci

Página do Instagram 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA