RIO BRANCO

TUDO SOBRE POLÍTICA II

Bolsonaro pede volta de aulas e diz que sindicatos de professores têm interesse que alunos “não aprendam”

Publicados

TUDO SOBRE POLÍTICA II

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) defendeu nesta quinta-feira (17), durante sua transmissão semanal nas redes sociais, o retorno às aulas dos estudantes brasileiros e criticou os sindicatos.

Apesar de a taxa de mortalidade diária do Brasil continuar acima de 700 – é o terceiro país do mundo com maior número de mortes nos últimos sete dias, atrás apenas de Índia e Estados Unidos –, Bolsonaro afirmou que “é inadmissível” que os estudantes percam o ano letivo.

“A questão de deixar garotada em casa. Nós somos o país com maior número de dias com a molecada sem aula. Só está faltando nós”, disse o presidente. “Hoje mandei mensagem para o ministro Milton [Ribeiro, Educação] para ele se preparar e começar a orientar – já que decisão não é nossa, é de governadores e prefeitos – para que se volte às aulas. É inadmissível perder o ano letivo”, afirmou.

Em seguida, Bolsonaro atacou os sindicatos de professores que se colocaram contrários ao retorno das aulas considerando a situação atual da pandemia, afirmando que as associações têm interesse que os alunos “não aprendam as coisas”.

Leia Também:  Polícia abre linha de investigação sobre Marielle que envolve Carlos Bolsonaro

“O pessoal deve saber como é composta a ideologia dos sindicatos dos professores pelo Brasil quase todo. É um pessoal da esquerda radical, e para eles está muito bom ficar em casa. Por dois motivos: primeiro que, eles, do sindicato, ficam em casa e não trabalham”, atacou.

“E outra: isso colabora para que garotada não aprenda mais coisas, que não volte a aprender, a se instruir”, acusou Bolsonaro, sem detalhar sobre quais associações se referia.

Além de pedir a volta às aulas, o presidente também disse esperar o retorno em breve dos jogos de futebol com público no Brasil, mesmo que de forma reduzida. “Com 10%, 20%, 30% [da capacidade], acho que já pode começar a abrir o estádio”, disse ele, afirmando esperar um parecer da Anvisa que referende essa decisão.

“Moro não tem que perguntar nada para mim”

Na live, Bolsonaro ainda comentou sobre a decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, de suspender o inquérito que o investiga de interferência na Polícia Federal, segundo afirmou seu ex-ministro da Justiça Sergio Moro.

Leia Também:  Por 6 votos a zero, Tribunal Regional Eleitoral do Acre inocenta o deputado Fagner Calegário

A suspensão acontece após o relator do caso no STF, ministro Celso de Mello, de que Bolsonaro prestasse o depoimento sobre o caso presencialmente, respondendo a perguntas do próprio Moro e de dois advogados do ex-ministro.

“O Moro não tem que perguntar nada para mim”, declarou. “O ministro Marco Aurélio deu liminar suspendendo tudo no inquérito até que meu pedido de ser ouvido por escrito, como já aconteceu no passado com presidentes que me antecederam, valesse para mim também, porque tem que valer pra todo mundo.”

“O Supremo vai decidir e, se Deus quiser, a gente enterra logo esse processo e acaba com essa farsa desse ex-ministro da Justiça, que me acusa de forma leviana. No depoimento dele, o Sergio Moro alega que não me acusou, e que ‘trouxe fatos’, e cabe ao MP e o Supremo aprofundar as investigações. Está de brincadeira esse Sergio Moro, mas tudo bem”, reclamou. Por Yahoo Notícias

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

TUDO SOBRE POLÍTICA II

Câmara de Cruzeiro do Sul esclarece o fato sobre a nomeação citando o apelido de nomeada no Diário Oficial

Publicados

em

A Câmara de Vereadores do Município de Cruzeiro do Sul emitiu uma nota de esclarecimentos sobre uma polêmica nomeação que consta no Diário Oficial citando apenas o apelido da nomeada.

A publicação chamou a atenção e foi noticiada nos mais diversos meios de comunicação do Estado, por esse motivo a Câmara de Vereadores emitiu a nota para esclarecer que o fato se deu devido há um erro de digitação, mas este problema será resolvido em breve.

Nota de Esclarecimento:

A Câmara de Vereadores de Cruzeiro do Sul, vem a público esclarecer um fato noticiado nos meios de comunicação, referente a uma publicação no Diário Oficial de uma nomeação de Cargo em Comissão citando apenas o apelido da pessoa nomeada:

Trata-se apenas de um erro de digitação referente a uma pessoa nomeada para exercer função de Assessora Parlamentar, no Gabinete do Vereador Gilmar da Saúde que, por uma falha do Servidor responsável, o nome foi publicado de forma indevida, fato que será devidamente corrigido e republicado no Diário Oficial.

Leia Também:  Bolsonaro e Guedes articulam congelamento das aposentadorias por dois anos e desvinculação do mínimo

Destacamos que, apesar do erro de digitação o Ato de Nomeação de pessoas para exercer Cargo em Comissão, está respaldado em lei e é prerrogativa do Vereador, legitimamente eleito para exercer o mandato parlamentar.

Cruzeiro do Sul, Acre, em 16 de Janeiro de 2022.

Franciney Freitas de Souza

Presidente da Câmara de Vereadores de Cruzeiro do Sul

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA