TUDO SOBRE POLÍTICA II

Agricultora viaja 60 km com a filha deficiente e se desespera ao encontrar agência do INSS fechada em Cruzeiro do Sul

Publicados

TUDO SOBRE POLÍTICA II

A notícia de que as agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) reabririam a partir desta segunda-feira (14) deu esperança a muitos beneficiários. Uma dessas pessoas foi a agricultora Maria Viana da Silva, de 58 anos, que saiu da zona rural de Rodrigues para tentar atendimento na cidade vizinha de Cruzeiro do Sul e não conseguiu. Ela saiu da agência aos prantos, com filha de 13 anos no colo.

No estado, apenas uma agência do INSS, que fica na capital Rio Branco, retomou os atendimentos presenciais.

Essa era a segunda vez que Maria tentava resolver a situação da filha adolescente, que tem paralisia cerebral e está com o benefício suspenso desde abril.

Para chegar até Cruzeiro Sul, Maria viajou cerca de 60 quilômetros e gastou R$ 300 de táxi. A agricultora mora na Comunidade Agrovila Muju.

Ao saber que apenas uma agência no estado inteiro estava atendendo, Maria não se conteve e chorou.

“Fico sofrendo de viagem com minha filha, carrego ela nos braços, ela não fala, não escuta. Estou lutando pelo direito da minha filha. Falaram que tem que fazer a perícia presencial, se eu pudesse resolver sozinha, mas tenho que trazê-la. Não é fácil para uma mãe lutar, quando fica sem remédio ela não dorme. Fico à noite acordada com ela. Somos pobres, mas não somos cachorros”, lamentou.

Leia Também:  Editorial do Estadão diz que Bolsonaro elevou o charlatanismo à condição de política de Estado

Retorno

No Acre, apenas a agência do INSS na Avenida Getúlio Vargas, Centro de Rio Branco, retomou os atendimentos presenciais a partir de segunda-feira (14), das 8h às 13h, com agendamento e restrições. São atendimentos apenas segurados com agendamentos.

Nesse retorno, após quase seis meses, o INSS disponibiliza apenas os seguintes atendimentos: Serviços de perícia médica; Avaliação social; Cumprimento de exigência; Justificação administrativa; Reabilitação profissional.

Maria afirmou que fez o agendamento prévio com ajuda do Sindicato dos Produtores Rurais de Rodrigues Alves, marcado para esta segunda. Porém, ela não conseguiu nem conferir se o agendamento estava realmente feito porque a agência de Cruzeiro do Sul estava sem energia elétrica.

“Falam que está em análise, em análise, e não consigo revolver. Ela toma remédio controlado, compro duas caixas de remédio que custam R$ 100 as duas, estou me valendo do meu benefício para tudo para ela, desde a fralda [descartável]. Paguei táxi para trazê-la para cá, veio sofrendo bastante porque vivo doente da minha coluna, não aguento mais lutar, tenho problema de pulmão também”, lamentou a agricultora.

Leia Também:  É de graça: Prefeitura de Assis Brasil cria programa para oferecer gratuitamente próteses dentárias

À Rede Amazônica Acre, o gerente da agência, Fernando Júnior, explicou que ainda não há uma previsão para a agência voltar a atender. Mas, garantiu que o local passa por adaptações para seguir os protocolos de segurança e voltar a funcionar em meio à pandemia do novo coronavírus.

“Estamos aguardando que a agência seja adaptada para o retorno das atividades. Como foi comunicado pela presidência, esse retorno vai ser gradual e conforme as agências são adaptadas. Ainda não temos uma previsão certa para os retornos, mas o que podemos avisar é que conforme a agência for reabrindo alguns serviços vão ser feitos”, destacou.

Sobre o caso de Maria, o gerente disse que não tinha conhecimento da situação, mas lamentou que a segurada tenha voltado sem atendimento.

“Não estamos sabendo de nenhum caso especifico, mas a pessoa foi indicada pelo sindicado e não temos como confirmar sem a data. Mas, lamentamos o deslocamento, sabemos que em nossa região esse deslocamento é muito difícil, mas também estamos de mãos atadas”, finalizou. Do G1 Acre.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

TUDO SOBRE POLÍTICA II

Prefeitura de Rodrigues Alves realiza a II Conferência municipal de igualdade racial do município

Publicados

em

A Prefeitura de Rodrigues Alves, através da Secretaria Municipal de Assistência Social e a Coordenação de Igualdade Racial, realizaram a II Conferência municipal de igualdade racial do município.

O tema deste ano é o enfrentamento ao racismo e outras formas correlatas de discriminação étnicos racial e intolerância religiosa: política de estado e responsabilidade de todos nós.

O evento teve como palestrante o promotor de Justiça, Dr.Ildon Maximiano Peres Neto, da Vara Criminal de Cruzeiro do Sul e menbro do grupo de combate ao crime organizado do Ministério Público/AC – GAECO.

O ato contou com a presença do prefeito Jailson Amorim, do vereador Tiago Matos, da secretária de Assistência Social Rosimeire Teixeira, da coordenadora de promoção da igualdade racial Francisca Costa Amaral, da chefe da divisão de promoção de igualdade racial do município de Rio Branco, Goreth da Silva Pinto, e da presidente do conselho municipal de promoção da igualdade racial Rosa Maria.

A conferência contou ainda com participação e apresentação da Guarda Mirim , sob o comando do Sargento PM Raimundo Sampaio e da cantora Suiane Magalhães na execução dos hinos nacional e municipal.

Leia Também:  Veja o Vídeo: "Governo incompetente, sem capacidade de gestão é o que temos sob o comando do Estado do Acre", diz vereador Jurandir Queiroz

O prefeito Jailson Amorim destacou que a II Conferência da igualdade racial foi organizada graças à adesão do município ao SENAPIR , para que o Rodrigues Alves tenha mecanismos de combate ao racismo. ” Queremos que o nosso município viva em harmonia com as raças, com as cores, e a Coordenação de Igualdade Racial por meio da conferência trabalha no sentido de a gente minimizar cada vez mais essa discriminação e esse racismo que existe no mundo”, ponderou.

No final da conferência, foram eleitos 03 delegados, sendo dois da sociedade civil e um representante governamental, além de ter sido escolhido três suplentes. Que irão participar do 5° CONAPIR, em Rio Branco , nos dias 14 e 15 de junho de 2022.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA