‘É questão de honra apoiar Ilderlei e Zequinha na eleição de Cruzeiro,” afirma Gladson Cameli

O governador Gladson Cameli cumpriu extensas e importantes agendas, uma delas foi a participação do encerramento da festa em homenagem à Padroeira do município: Nossa Senhora da Glória

Gladson autorizou a recuperação da BR-401, que faz ligação entre: Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima e Rodrigues Alves, também falou dos últimos detalhes para inauguração da UPA – Unidade de Pronto Atendimento, marcada para o dia 28 de setembro; dia do aniversário da cidade.

O governador já adiantou que irá reformar o hospital do Juruá, este ganhará mais dois pavilhões e por fim, falou que irá autorizar a transferência de R$ 1 milhão para a prefeitura municipal, uma maneira de ajudar e apoiar as ações do prefeito Ilderlei Cordeiro nas mais diversas áreas.

Em uma entrevista que teve o vídeo bastante reproduzido em grupos de whatsapp, Gladson Cameli aparece entre o prefeito Ilderlei Cordeiro e seu vice Zequinha Lima, ambos do (Progressista), onde fala de seu total apoio administração municipal. O governador afirma que ainda não pode dar o apoio esperado a sua cidade natal, dirigida por um grande amigo; se referindo à Ilderlei Cordeiro.

A partir do próximo ano eu agudarei mais, pois tenho um grande compromisso com o Acre e devo muito ao Ilderlei, afirmou.

Gladson ainda falou sobre as eleições de 2020, onde Cruzeiro terá um dos cenários mais acirrados do estado, com dois partidos aliados do Palácio em guerra. O Progressista de Ilderlei e Zequinha tem oposição ferrenha do MDB de Vagner Sales, que em convenção do partido na sexta feira (16), já disse ser questão de honra derrotar o grupo do hoje desafeto ilderlei Cordeiro.

Vou trabalhar e fazer campanha para reeleger o Ilderlei e o Zequinha, pois eles estão fazendo um grande trabalho para desenvolver o município e terão meu total apoio, declarou o governador Gladson Cameli.

A fala do governador virou notícia nas principais rodas de conversa de hoje por toda cidade, além de ter sido muito repercutida nas redes sociais.

Veja o Vídeo:

Aliados de Gladson Cameli e Major Rocha, transformam o governo em um ambiente de confusões e interesses nada coletivo

Poucos imaginaram um início de governo tão problemático e com tantos problemas de relações, provocadas não por oposição derrotada, mas sim pelos próprios aliados do governador Gladson Cameli 

Não bastasse os inúmeros gargalos na saúde, educação e segurança pública, sendo estas as áreas mais urgentes de cuidados, o governador precisa atuar quase que diariamente, para aparar as arestas e confusão de seus aliados.

O bolo mau dividido, criou um ambiente político insalubre e de confrontos ferrenhos entre os que estavam habituados a brigar 20 anos não com aliados, mas com os adversários da FPA – Frente Popular do Acre.

O governo sequer tinha sido montado e já estavam se digladiando para saber quem mandava mais, quem indicaria o melhor candidato para as eleições de 2020 e pasmem, já estão brigando pela sucessão de 2022, isso em apenas 7 (sete) meses de governo.

Muitos dos que agora estão no inverso da luta política, não se prepararam para ser governo em tempos de rede sociais, em tempos de transparência e órgãos de controle bastante rigorosos.

Estes querem fazer do governo Gladson Cameli, um instrumento de apropriação do poder, de seus interesses e projetos individuais, esquecendo que caso fracasse na opinião pública, vão todos no mesmo barco.

Talvez nunca se viu um governo com tanto Nepotismo, familiocracia e falta de alinhamento.

Parlamentares aliados entupiram as secretarias de filhos, esposas, irmãos, cunhados e até namorados (as) dos filhos (as), deixando o governo com a cara de negócio e não com ferramenta de transformação de um estado como um todo.

Tem tempo para corrigir, afinal o povo ainda acredita no governo, mas já desconfia, o que é um péssimo sinal.

Enquanto as forças de segurança se voltam para a Expoacre, a guerra nas periferias de Rio Branco assusta população

Desde que assumiu a pasta de secretária de empreendedorismo e turismo do Acre em janeiro, a gestora da pasta Eliane Sinhazinque vinha trabalhando para realização da festa.

A população da capital Rio Branco respira as festividades da maior feira agropecuária do estado; Expoacre. 

Ao abrir oficialmente a maior festa de negócios do Acre, o governador Gladson Cameli se dizia feliz porque segundo o mesmo, a Expoacre traria outro olhar na economia do estado. Com formato diferente dos últimos anos, o governo aposta na evolução do setor agrícola e que fazer uma megafesta, iria criar um ambiente propício ao surgimento de novos negócios.

De fato, a feira estar sendo um sucesso, mas o estado não pode se resumir apenas a feira agropecuária. A iniciativa de levar as representações de todas as secretarias para o Parque de exposição, fragiliza o andamento das ações fora da festividade.

 Levando em consideração a calamidade em que se encontra a saúde e segurança, poderiam ter feito planejamento externo durante a festa.

As UPAS estão com quadro deficitário de corpo médico, equipes reforçadas trabalham ininterruptas para garantir pronto atendimento durante a feira de negócios.

O que menos deixou de ser planejado, foi o esquema de segurança da cidade durante a Expoacre. Nos dias que antecederam a Expoacre o secretário de segurança Paulo Cesar, anunciou para imprensa o esquema montado para garantir a tranquilidade durante o período festivo. Acontece que a cidade não vai toda para o Parque de Exposição, a maioria dos casos de violência estão acontecendo nos grotões e periferias de Rio Branco.

Colocar um grupamento de 500 homens das forças de segurança por noite, realmente garante a segurança de quem vai se divertir na Expoacre, mas como fica o restante da sociedade? De sexta-feira até a madrugada desta segunda, a cidade de Rio Branco tem vivido dias de terror.

As facções disputam territórios e atiradores em motocicletas estão atuando a torta e a direita na região da baixada, com mortos e feridos passando despercebidos por conta da festança.

Que essa feira acabe logo, sendo assim a secretaria de empreendedorismo, precisa trabalhar políticas públicas com foco nos pequenos negócios. A juventude estar matando e ao mesmo tempo morrendo e o estado assiste em berço explêndido.

O secretário de segurança deve satisfação à sociedade, pessoas estão refugiadas em seus lares. Faz muito tempo que o povo não sabe o que é sentir sensação de segurança, sendo esta um direito de quem paga seus impostos.

Que a Expoacre termine, que os negócios sejam satisfatórios e que o estado possa respirar dias melhores, não somente na economia, cultura e entretenimento, mas na geração de emprego e novas oportunidades.

Será que Gladson Cameli, sairá de mais um encontro com Bolsonaro sem trazer nada para o Acre?

Depois de fazer uma viagem ao Estados Unidos com a comitiva de Bolsonaro no meado de maio deste ano, Cameli, chegou anunciar uma nova era, se tratando de relações entre o Acre e Brasília.

Depois daquela ida de Gladson Cameli como membro da comitiva de Bolsonaro aos Estados Unidos, ficou uma euforia e clima de solução para muitos dos nossos problemas.

Gladson presenteou Bolsonaro, teve a oportunidade de estar próximo do responsável pelas liberações de recursos, ao homem capaz de achar saída para muitos entraves pendentes na administração.

O fato é que passados mais de dois meses da viagem a terra de Trump, nada por aqui apareceu, ao menos que o povo tenha tomado conhecimento. 

Como dizem que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar, parece que para nós deu certo. O governador mais uma vez teve uma oportunidade de estar cara a cara com o presidente Jair Bolsonaro, desta vez no encontro de governadores da Região Norte.

Ao que tudo indica, o raio caiu duas vezes no mesmo lugar, Gladson esteve cara a cara com Bolsonaro, mas investimentos que é bom; ALMA. Bolsonaro tem desprezado o socorro aos estado, tem se concentrado em políticas entreguistas e em satisfazer seu cunho ideológico. Vamos aguardar para ver qual vai ser o retorno propositivo dessa viagem, que mais parece protocolar.  

Resultados práticos mesmos, só se tiver anúncios de fato feito pelo governador Gladson Cameli em seu retorno.

O encontro estar acontecendo em Manaus – AM, tendo como objetivo levantar as demandas da Amazônia, tendo em vista a proposta de desenvolvimento apontada pelo plano de governo de Bolsonaro. 

O governador do Acre Gladson Cameli saiu para esse importante Fórum bastante confiante, levando anseios e reivindicações do estado, que por sinal já deu a maior vitória ao presidente Bolsonaro na disputa de 2018.

A proposta do governo federal desenhada para Amazônia causa espanto, pois o ministro do meio ambiente em sido muito claro quando faz suas declarações. O governo pensa em explorar as reservas ambientais e terras indígenas, sem uma política definida sobre a conservação, da manhã área de floresta do planeta.

Tião Viana entrega Cavalo de Tróia

Nos últimos meses, com a derrota da Frente Popular, foi revelado, com a transição, um “Cavalo de Tróia” a ser entregue ao novo governador eleito Gladson Cameli.

Na passagem da faixa, o novo gestor herdará uma uma dívida de mais de 4 bilhões de reais, contraídas do sistema financeiro brasileiro e dos organismos internacionais autorizados pelo governo federal.

Ao comparar com a história narrada na obra “Ilíada” de Homero em que o Cavalo de Tróia era feito de madeira e totalmente oco por dentro, assim se encontra o Estado segundo algumas lideranças consultadas.

Para o futuro deputado estadual José Bestene (PP), Gladson vai receber um estado que nada funciona na saúde, educação e segurança pública. “Um Estado que não produz nada e o que produzia foi embora por falta de incentivo, mostrando que estamos num momento de paralisia e de incertezas para a população”, finaliza

Apesar do presidente do PP reconhecer o cenário sinistro, ele admite que é necessário a retomada do funcionamento da máquina, na melhoria do atendimento da educação, saúde, segurança, infraestrutura, saneamento e habitação.

Outro que se mostrou cético com as medidas iniciais do futuro governo é o professor economista João Correia (MDB), no qual acredita que muita coisa ficou debaixo dos panos no governo que largará a faixa com descredito. “Suspeito que o Governo que assumirá com sua equipe de transição não logrou identificar os picos da realidade que administrarão. E não por própria culpa; é que além de bem difícil, o Governo em ocaso negou o essencial das informações” disse.

Segundo ele, o Governo do PT no Acre tentou a prática de um modelo sintetizado no inteiramente insensato “Governo da Floresta” e obteve para sua implementação um acúmulo de poder jamais visto: Governo Federal, Governo Estadual, Prefeituras, órgãos financiadores internos e externos de todas as instâncias.

“Mesmo com toda essa estrutura, o modelo fracassou rotundamente e lançou o Acre na fenda do atraso diante a economia brasileira,” acrescentou Correia.

Ainda na opinião do membro do MDB, é fundamental compreender as nuances dessa situação para empreender à procura da prática de um modelo que harmonize o Acre com o Brasil. “Não basta o voluntarismo e, especialmente, a maldição do que foi feito, mesmo porque muitos compromissos foram assumidos pelo Governo que sai e não podem simplesmente ser anulados por meros atos de vontade, finaliza João Correia.

No Alto Acre, o Vereador Charbel Reis (PP), acredita em uma mudança positiva, apesar de criticar as falhas do modelo de governo atual. “Não precisa inventar nada. A fórmula está pronta. Basta corrigir os erros da política fracassada que foi implantada pela frente popular nos últimos 20 anos, porque a equipe técnica escolhida pelo governador Gladson Cameli é bem capacitada”, pontua Reis.

A poucas horas de Tião deixar de ser governador, sem passar a faixa, não é conhecido ao certo como a nova equipe do governo fará para contornar tantos problemas que devem passar. Porém algo está bem claro para todos: haverá uma ruptura da “florestania” e suas roupagens e também a retomada das “lutas” ambientalistas, sindicais, centrais e todo tipo de bandeira vermelha.

Colaborador – Allaff Cruz

 

Presidente Nacional do PP envia mensagem ao governador Gladson Cameli

“Considero que a eleição do nosso querido senador Gladson Cameli como governador do Acre marca a inequívoca vontade de mudança do povo acreano, expressa, sobremaneira, na maiúscula vitória obtida ainda em primeiro turno. Uma mudança que certamente resultará em dias melhores, maior progresso econômico e social, o que sem dúvida resultará em investimentos em setores estratégicos para o Estado acreano.

Estou convicto de que os próximos quatro anos, sob a regência do governador Gladson Cameli, serão carregados de maior crescimento na economia, de responsabilidade na condução dos destinos fiscais, tributários e administrativos do Acre.

De minha parte, tenho a desejar ao estimado governador que sua gestão corresponda para além das melhores expectativas – o que fará do Acre, sem dúvida, um estado melhor daqui a quatro anos”.
Ciro Nogueira (PP – PI).

Coluna do Amaral

Gladson "Liberal" poderá levar a floresta acreana abaixo

Governo "liberal"

Parece que o Gladson Cameli (PP) quer atrair o Tião Bocalom (DEM) com um discurso “desenvolvimentista”. Isso se deduz com divulgação pelo Instituto Liberal do Acre – ILAC, de um documento que sinaliza com o rompimento de uma Política de governo petista “conservacionista” para um governo do agronegócio, com ênfase na agricultura e pecuária. (a volta da destruição em massa das décadas anteriores da motosseras e tratores skidder´s). Se o retrovisor for o caso de Rondônia que citam como Estado à frente de nossa economia, deveriam falar sobre os impactos na natureza e na sociedade. No mundo atual não basta apenas ser liberal, precisa ser um liberal contemporâneo. A ideia de destruir tão somente para gerar riquezas a qualquer custo, não encontra mais guarida na sociedade global. Nem "vaca mecânica", nem só agricultura e "boi verde". As proposta do pré candidato precisam ser claras quando ao futuro do ecossistema acreano.


Galeria dos presidentes decadentes

Para a tristeza dos brasileiros e insônia dos políticos, Gleice não é um caso isolado de envolvimento com acusações em investigações de corrupção. Também fazem parte dessa galeria vergonhosa: o Presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB), acusado de receber propina para liberar MP para Odebrechet (na planilha “índio”); Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), apelidado de Botafogo, acusado de fazer parte de um esquema de propinas da construtora Odebrecht com dois inquéritos na Lava Jato; Presidente Temer (PMDB), primeiro Presidente denunciado por corrupção e responder crime durante mandato; E não se pode esquecer do Aécio Neves (PSDB) que foi afastado da presidência do partido acusado de corrupção passiva e obstrução de justiça.

Campanha de acusações

Imagina-se que a campanha eleitoral para presidente terá poucos dias para o cavalheirismo até que saia a primeira pesquisa de intensões de votos. O ideal seria que todos se poupassem, visto que não há quase ninguém que não esteja acusado de alguma coisa. Mas, isso é irreal. O contra ataque será inevitável para deixar gaguejando o adversário e o público balançando sua opinião.

Ovos “à la carte” em 2018

Chuva de ovos em direção a Dória (PSDB-SP), sofrida em Salvador pode ser um sinal de que a sucessão presidencial de 2018 virá cheia de revanchismo e com rusgas do racha do país dos pró PT e anti PT. Se os políticos forem tratados com saraiva de ovos como na Bahia, que as granjas aumentem a produção para o ano que vem. Esse é o nível da política que os políticos deixaram alcançar no país. Perderam o respeito e agora nada mais interessa ao povo a não ser esperar uma reforma política de verdade.

Dória divide a gema com Maduro

No desconforto de ter tido sua cabelo penteadinho no gel sujo por um ovo, Dória se revoltou em Salvador, quando ia receber o título de cidadão Soteropolitano na Câmara Municipal. Chegou a dizer que os manifestantes deveriam ir para a Venezuela “defender o (presidente Nicolás) Maduro: “Vá para Venezuela, os esquerdistas que querem o mal do Brasil, vão lá defender o Maduro, jogar ovo lá na Venezuela.

Maduro quer carnificina na Venezuela

O presidente da Venezuela que busca se perpetuar no poder a qualquer custo a base de mudança constante na Constituição, perseguição de opositores e morte de civis, quer fazer o enfrentamento da maior crise da América Latina com fuzil e milícias, já matou pelo menos 73 civis desde abril, denuncia investigações da ONU. Nada pior poderia sair de um governo que anunciou no mesmo período que iria treinar e armar uma milícia de 1 milhão de partidários de Chaves e do bolivarianismo.

Evo Morales observa a Venezuela

Os países de projeto bolivarianos(Bolívia, Colômbia, Equador, Panamá, Peru e Venezuela), observam atentos aos desdobramentos do que acontece na Venezuela. Evo Morales, Bolívia (MAS) que está em seu terceiro mandato ambiciona criar condições para reeleição de maneira indefinida em seu país. Se isso fosse no Brasil seria o caos. Com mandatos de 8 anos já é sofrido para o povo, imagina perpétuo como acontecia no regime militar.

Recolonização da América Latina

Evo Morales alertou ontem a comunidade latino-americana sobre a possibilidade de intervencionismo dos Estados Unidos na América do sul a fim de se apossar das riquezas dos pobres. Em suas palavras, eles sempre inventam uma manobra pra justificar as invasões nas terras estrangeiras: “O pretexto é o mesmo de sempre: democracia, direitos humanos, terrorismo, tudo com o mesmo verniz, a mesma comédia midiática que os EUA usam desde sempre para se apropriar dos recursos naturais”.

Relógio da violência

A Lei Maria do Penha completa 11 anos de existência (07 de agosto de 2006) e cria o”Relógios da violência”, que faz uma contagem, minuto a minuto, do número de mulheres que sofrem violência no país.

Acre é o 5º estado em feminicídio no Brasil

Segundo pesquisa Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) que resultou no Atlas de violência publicado em 2016, o Acre é o 5º estado em feminicídio no período de 2004 a 2014, que apresentou taxa de mortalidade por homicídio de mulheres acima da média nacional (4,6), sendo eles: Amapá (4,8), Bahia (4,8), Pernambuco (4,9), Paraná (5,1), Rio de Janeiro (5,3), Acre (5,4). Isso mostra que a Lei Maria da Penha não tem muito o que ser comemorada por não resolver o problema dos homens doentios e homicidas e a insegurança das mulheres que denunciam seus parceiros. Elas morrem muito antes de receberem socorro do Estado brasileiro.

Bloqueio da comunicação dos presidiários

A ideia difundida de implantar bloqueadores de celulares em todos estado, embora pareça interessante aos olhos da população e do governo, podem não sair do papel a tempo ou esbarrarem com o tempo nas brigas de tribunais por interromper o sinal das operadores nas circunvizinhanças. Problema este verificado em outras unidades da federação que percorreram o mesmo caminho.

Serviço de vigilância do Acre

“A situação está devidamente controlada, mediante a ação das forças de segurança pública, que estão em campo, para prevenir e reprimir as práticas criminosas, além do constante monitoramento realizado pelos serviço de Inteligência.” Esse é o tipo de pronunciamento dos agentes de segurança pública que deixa qualquer um encucado. Como será o serviço de inteligência que os criminosos furam o bloqueio e a previsibilidade vai por terra…

Emenda que precisa de remendo

As emendas dos deputados federais Flaviano Melo e Jéssica Sales (ambos do PMDB) que destinaram recursos para Rondônia tem dado pano para as mangas. E a justificativa da deputada não ajudou muito não. Segundo ela, atendeu ao pedido da também deputada federal Marinha Raupp (PMDB), esposa do senador Valdir Raupp (PMDB). O dinheiro seria para o Hospital do Câncer de Porto Velho. Se for pedido por pedido, quantos não foram feitos pelas prefeituras falidas do Estado. Passa até a impressão que estamos bem obrigado e vamos dar a sobra pra quem precisa. Apoiar uma entidade de saúde, principalmente quando se trata de Câncer não deixa de ser importante. Mas será que haverá recíproca dos parlamentares rondonienses em relação ao Hospital de Câncer do Acre – UNACON?

Ninho espatifado

A vereadora Elzinha Mendonça (PDT), está com nome a disposição para disputar a vaga de deputada estadual nas próximas eleições. Depois da separação com o atual deputado Heitor Júnior (PDT), tendo desvinculado do mesmo projeto, agora os dois disputarão vaga no mesmo nicho da Associação de Portadores de Hepatite do Acre. Nessa situação, o ditado ou vai ou racha tá de pé.

Pérolas da semana

“Não tenho muito entusiasmo pelo que estou vendo. O PSDB está se enrolando todo. Vai acabar perdendo a chance”. Armínio Fraga (ex presidente do Banco Central na gestão FHC – PSDB)

“Quanto a Janot (Procurador Geral da República), eu o considero o procurador mais desqualificado que já passou pela história da procuradoria. Ele não tem condições. Na verdade, ele não tem preparo jurídico nem emocional para dirigir um órgão dessa importância”, afirmou ontem o ministro do STF, Gilmar Mendes em entrevista à Rádio Gaúcha. (Folha)

Coluna do Amaral

Brasiléia

Rede de intrigas

Em Brasiléia as redes sociais servem para brigar mais do que para informar.  Parece uma torre de babel de muitas línguas estranhas que não convergem. Vomitam o que querem, mas quando outro diz: "aí"! A resposta é imediata: "Vou te processar." Essa é a realidade das redes socias dos "conhecidos" e "amigos," que ao mesmo tempo se veem numa arena de gladiadores que todos se tornam inimigos por uma razão moral inexistente.

Foco total

A prefeita Fernanda Hassem (PT) não cai no jogo da  politicagem como muitos gostariam. Ela não é um TRUMP da  vida que faz clinche com seus adversários.  Segue trabalhando e mantendo seu foco para superar os inúmeros desafios que herdou de uma "cidade abandonada."

Mão amiga

É fato que o governo do Estado coopera com a Gestão da prefeita Fernanda. Mas isso não é tudo. Basta lembrar que Xapurí esteve nos domínios do PT e nunca virou a cidade modelo, regrada com dinheiro da causa ecológica. Nem mesmo garantiram o glamour de "Princesinha," pelos desmandos que seus gestores fizeram. Mas do que apenas "ser" é preciso "ter". TER COMPETÊNCIA e compromisso.

Sem norte

A oposição liderada pelo PMDB na Câmara de Brasiléia precisa encontrar um ponto de equilibrio. Já está mais do que provado que bater em quem está trabalhando é um "tiro no pé." É preciso encontrar uma maneira mais coerente pra representar os oprimidos e cumprir o papel do legislativo. 

Sem norte 2

Por falar em oposição, o discurso utópico de "União" defendido por um pequeno grupo para a escolha de um representante do Alto Acre só tende a naufragar. Esqueceram que a "escolha ou venda do voto" vem do povo e não de reuniões de pseudos líderes. E por fim, nenhuma União prevalece aonde tem ambição e egoísmo. E o povo do Jurua já sabe como beliscar votos da regional a revelia de todos.

E o Joelson Pontes?

O Joelson (PP) tem comido pelas beiradas como mineirinho. Se tem gente querendo unificar nome pra disputar vaga com a candidatíssima Leila Galvão (PT), podem fazer outro grupinho, pois o Vereador mais do que nunca deverá ser o indicado do Gladson ou que receberá a benção que ele precisa. 

Acre

DEMasiada teimosia

Tião Bocalom (DEM), de tanto insistir e querer ser o representante máximo da oposição, criou antipatia dos demais que desde a última eleição já o tinham isolado. Agora insiste na candidatura de senador sem estrutura financeira e sem apoio dos caciques oposicionistas. O que tem coseguido até agora é retornar o fechamento das alianças e composições em todas as esferas. Enquanto isso o PT navega vendendo seus nomes ao Senado e governo nos quatro cantos do Acre. 

ZEN I

O deputado estadual Daniel Zen (PT) está se esforçando pra ser o candidato a governo, mas isso é quase uma missão impossível. A briga das correntes lideradas pelo governador, pelo Sibá, Jorge Viana, Ney Amorim e outros está bem acirrada. E o JV, que sempre teve uma participação ativa no partido, precisa se garantir mantendo os tentáculos do Ney mais curtos e tirando de tempo o Zen pelo seu pupilo Marcos Alexandre (ou Viana como queiram).

ZEN II

Um outro obstáculo vivenciado pelo Zen é que ele não tem mais a simpatia de setores da educação que o tinham como representante, mas que reclamam de seu distanciamento de seu público alvo. É bem verdade que esse é o preço de ser líder do governo pra um grupo que ainda é saudosista da Naluh Gouveia (ex parlamentar que agora ocupa cadeira no TCE). Mas uma coisa é certa, se demorar demais nessa indefinição, não garante nem a reeleição. O ninho dele já vem sendo explorado por outros.

Pré candidato na agulha

Alguns políticos acham que a decisão em torno de Marcos Alexandre (PT) é mais segura, tendo à última eleição como referência. Em tempos difíceis de se manter no poder com eleições apertadas, abririam mão pela primeira vez do cargo antes de completar pra garantir o prosseguimento da FPA. Por enquanto está blindado dos ataques sem anunciar seu nome.

Passa, repassa

O que tem causado estranheza entre os opositores de Marcos Alexandre (PT) é o fato dele EVITAR assuntos polêmicos que deveriam ser encarados de frente por ele. Todos sabem que o transporte coletivo da Capital na gestão recebe atenção especial com subsídios e isenções fiscais para que os CUSTOS não sejam repassados para os usuários que pagam R$ 1,00. Então como acreditar que o mesmo apoio o UBER na cidade? 

Por esse motivo tem tranferido o assunto para o RBTrans; Secretários e procuradores. O importante é EVITAR o confronto com as categorias dos taxistas também.  O serviço está na Capital é fato. E como fugir dessa realidade sem se queimar?

Vice de Gladson

O vereador Roberto Duarte (PMDB) tem sido um dos nomes cotados para ser vice de Gladson Cameli (PP). Seria a Chapa do "bate e assopra" na oposição. Gladson cumpriria o papel "angelical" entre as massas e o advogado de oposição raivosa como tem feito na prefeitura, causando temor entre seus pares e o executivo.

Brasil

Procrastinação

Rodrigo Maia (DEM-RJ), segue a enrolação na Câmara dos deputados para não por na ordem do dia as dezenas de pedidos de Impeachment. Segue a passos de tartaruga como fez seu antecessorPor muito menos Dilma caiu.

Rombo da Corrupção 

Na capa do Estadão deste domingo,  a Polícia Federal revela que os desvios com a corrupção contabilizam cerca de 123 bilhões. É muito "laranja" no Brasil pra acobertar tanto dinheiro de seus titulares…

Pérola do dia

"Existem sim políticos bons. Generalizar é ótimo para os bandidos, que adotam a tática do gambá, espalhando o mal cheiro para confundir geral." (Hélio Tello, Twitter)

Coluna do Amaral

ZUM nomeia os buracos

O Prefeito Zum de Assis Brasil (PSDB), tem a mania de associar os buracos das vias públicas com a pessoa próxima ao problema. No grupo "Assis Notícias", criou um diálogo cômico: Hein "fulano"! E o buraco do "cicrano"? Já foi resolvido? Já pensou se essa onda pegasse e cada prefeito resolvesse "colocar nome no buraco dos outros? "deusulive!"

Puxa saco na canela

"Quero só lembrar que: quem puxa saco, puxa tudo. Inclusive tapete". Esta frase tem deixado os colaboradores de campanha do prefeito Zum (PSDB) um tanto cabreiros. Trata-se de uma postagem de Valéria Moraes, em que a primeira dama resolveu comentar: "verdade! Aqui está cheio! Tenho é nojo…Nojo é pouco." Pegou mau o comentário e muita gente está com medo sem entender quem está sendo visto como puxa saco ou traidor.

A força de Bil Rocha

O ex-vereador Bil Rocha (PMDB), que ficou um tanto desgostoso pela falta de apoio de uma ala de seu partido, nunca, porém, cuspiu no prato que comeu, nem jogou pedras no PT. Mostra do respeito e consideração pelo seu “capital político” de bem votado nas últimas eleições, garantiu uma vaguinha para sua esposa na Câmara. Quem não chora não mama…

Bil Rocha 2

Há quem diga que as malas do ex – parlamentar estão prontas desde o final de 2016, quando ficou de mãos abanando sem salário de vereador e recebendo apenas ajuda de custo dos velhos caciques do partido. Como diz o ditado dos jogadores de peteca: está só por um “bila. ”

Eduardo do Guló botou banca

O ex – petista Eduardo do Guló, hoje filiado no PDT, foi convidado pela prefeita Fernanda Hassem para ser Coordenador de Esportes e ele não aceitou. Tudo indica que o salário que recebe pelo Estado na Capital é maior. Coisa de quem não gosta de “teta” magra…

Leila de olho na AMOPREAB

O vereador Rosildo (PT) e a deputada Leila Galvão (PT), vão se empenhar em eleger a competente jornalista Leila Ferreira na presidência da Associação dos Moradores e Produtores da Reserva Extrativista Chico Mendes – AMOPREAB. Martelo batido e ponta virada em reunião de portas fechadas. Esperar pra ver…

Chá de sumiço

O vereador Rúbens Rodrigues (PSD) de Epitaciolândia fazia duas a três denúncias por semana contra Tião Flores (PSB). Mas, tomou um chá de sumiço repentino. Nas redes sociais só “espia” (olhinhos) o assunto dos outros no “caladinho. ” Por que será hein?

Nem pintado de ouro

Quando os funcionários da prefeitura veem o vereador Alcione (PSD) se aproximar, não fica um cristão para protocolar suas “bombas. ” O ninho da pata espatifa geral. A instrução do Tião deve estar bem firme para isso. “E o rapaz não queria nada demais na última visita. Só a documentação da compra das 300 lixeiras. ”

Aliás, o vereador está de orelha em pé com um de seus pares que está envolvido com a entrega das lixeiras. Isso pode Arnaldo? Vai dar MP moço!

Saúde da mulher em foco

Em Brasiléia aconteceu na quarta passada, 10, a I Conferência Municipal da Saúde da Mulher. "Esta conferência é um grande avanço para as políticas públicas voltada para as mulheres aqui do município de Brasiléia, e eu fico muito feliz pelo fato de Brasiléia ser o primeiro munícipio a realizar a conferência…" (Prefeita Fernanda Hassem empolgada com a realização da conferência numa cidade dirigida por uma mulher).

S.O.S guru máster

Parece que a ausência momentânea do "guru" Aldemir Lopes (PMDB), apelido carinhoso atribuído por seus seguidores e adversários, pela sua habilidade nata de articulador, tem causado uma confusão interna na oposição. Eles não conseguem ficar uma semana unidos. "É muito cacique pra poucos índios." Já se aproximam de 8 pré-candidatos a deputado estadual. Se depender do "guru mirim" que se acha  liderança, todos cairão em ruínas. Cadê o gurú sênior?

Zen troca farpas com internauta

O deputado estadual Daniel Zen (PT), aproveitou ontem para cutucar os peemedebistas: Eduardo Cunha, Sérgio Cabral, Eliseu Padilha, Romero Jucá e Aécio Neves (PSDB), dizendo que estes tinham comprovação de ilícitos, enquanto Lula "nunca se apropriou de nada indevidamente ou locupletamento." Foi rebatido várias vezes pelo Engenheiro Florestal, Quelyson Souza. Em uma de suas falas disse que "o deputado estava fazendo seu papel de militante, defendendo o Lula e tentando desqualificar o Moro, mas que a população estava atenta e as máscaras estavam caindo…"

BR – 364

O Senador Gladson Cameli (PP), comemorou o início dos trabalhos do DNIT na BR 364, mas criticou o gasto de quase 2 bilhões de reais para uma vida útil tão curta de trafegabilidade da rodovia, reclamou o parlamentar.

Gladson na frente

Pesquisa do Instituto Delta, realizada entre os dias 29 de abril a 4 de maio, coloca o Senador Gladson Cameli (PP) na frente na disputa do governo em 2018 com 38,50% e Marcos Alexandre (PT) 35,58% e Tião Bocalom com 6,91% das intenções de votos. A pesquisa ouviu 1200 pessoas em 14 municípios do Estado e tem margem de 2,2% para cima ou para baixo. Já em relação a corrida para o Senado, Jorge Viana vence em todos os cenários possíveis. 

Acre transparente

No ranking de notas da 3ª avaliação da transparência dos governos estaduais, da Controladoria Geral da União, o Estado do Acre, cresceu + 5,97 pontos na Escala Brasil transparente e ficou em 19º lugar, com nota 9,30. Se comparado a 2ª avaliação que o estado tinha 3,30 pontos, houve um salto significativo. Mas, atrás de Rondônia e Tocantins, com 10 pontos cada e bem melhor que os estados do Rio de Janeiro (5,0); Distrito Federal (5,0) e Amapá (0,0).

Reforma em xeque

O Senador Jorge Viana (PT), levantou algumas questões no facebook acerca dos "danos" da proposta que ele denomina de rolo compressor do governo Temer: "Querem levar as relações de trabalho para uma era pré Vargas, do começo do século passado. Isso não é justo. (…)"

400 mil para devolver

A Corte do Tribunal de Contas do Estado do Acre (TCE – AC), decidiu por unanimidade, aplicar multa para o ex prefeito Humberto Filho (PSDB), além de devolução de 400 mil para os cofres do Consórcio de Desenvolvimento Intermunicipal do Alto Acre e Capixaba (CONDIAC).