RIO BRANCO

Saúde

Saúde Itinerante atende mais de 40 mil pessoas em três anos

O Saúde Itinerante existe há mais de 13 anos

Publicados

Saúde

O Saúde Itinerante existe há mais de 13 anos 

Marcelo Torres

O principal foco do programa é atender a população de locais de difícil acesso (Foto: Sérgio Vale/Secom)

O principal foco do programa é atender a população de locais de difícil acesso (Foto: Sérgio Vale/Secom)

Nos últimos três anos, o governo do Estado intensificou os trabalhos desenvolvidos pela equipe do programa Saúde Itinerante. Em todos os fins de semana, os profissionais levam atendimento médico especializado aos municípios.

“No decorrer desses anos, ouvimos diversas histórias e conhecemos várias pessoas, muitas até nos consideram parte da família”

Celene Maia

Em 2011, o programa registrou mais de 12 mil atendimentos, no ano seguinte foram mais de 11 mil. De janeiro a outubro de 2013, este número saltou para mais de 17 mil. Neste período, foram mais de 10 mil procedimentos, como exames e cirurgias, e um total de 40,8 mil pessoas atendidas.

O Saúde Itinerante existe há mais de 13 anos e tem como principal foco levar atendimentos, consultas e exames à população de locais de difícil acesso, como ribeirinhos, moradores da zona rural (colônias, vilas, colocações e seringais distantes) e população indígena.

Leia Também:  Profissionais de Saúde levam esperança a pacientes com câncer

“Tenho um imenso orgulho em trabalhar nesse programa, que ajuda a salvar vidas. No decorrer desses anos, ouvimos diversas histórias e conhecemos várias pessoas, muitas até nos consideram parte da família”, comenta a gerente do Saúde Itinerante, Celene Maia.

Celene explica que não é fácil realizar o programa, por causa da logística que envolve levar à população todo o aparato de atendimento médico. “Um dia antes, preparamos todos os insumos e medicamentos que iremos levar. Deslocamo-nos de carro, barco ou avião. O importante é garantir que as pessoas tenham acesso aos serviços de saúde que o governo oferece”, explica.

Atendimentos ofertados

Os profissionais de saúde do programa ofertam consultas de clínica geral, clínica médica, gastroenterologia, ginecologia, pediatria e dermatologia, além da realização de exames preventivos, laboratoriais, ultrassonografias e eletrocardiogramas, e mutirões de cirurgias, como hérnia, apêndice e vesícula, por exemplo.

investimentos-sesacre-infografico-thennyson-passos-png8

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Saúde

Vacina contra a Covid é aplicada em 9 unidades de saúde e na Vigilância Epidemiológica de Rio Branco

Publicados

em

Vacinação contra a Covid é feita em uraps e no prédio da Vigilância Epidemiológica de Rio Branco — Foto: Paulo Eduardo Campos / Prefeitura de Bauru

A 1ª, 2ª e dose de reforço contra a Covid-19 são aplicadas em Rio Branco em oito Uraps e na Vigilância Epidemiológica, na Avenida Ceára, nesta segunda-feira (17). O atendimento é feito das 8h às 16h com a 1ª, 2ª e dose de reforço na capital. (Veja pontos abaixo).

Quem tomou a primeira dose da Janssen há 2 meses ou mais deve comparecer à Urap Vila Ivonete e tomar a dose de reforço. É necessário apresentar a carteirinha de vacinação comprovando que tomou a 1ª dose da Janssen há mais de 60 dias.

A segunda dose do imunizante da CoronaVac é aplicada no prédio da Vigilância Epidemiológica Municipal, que fica na Avenida Ceará. A aplicação é feita por agendamento pelo telefone (68) 3227-3165.

A 1ª e 2ª dose são disponibilizadas para pessoas com mais de 12 anos. Adolescentes precisam comparecer acompanhados dos pais ou responsáveis e apresentarem RG e CPF ou o RG e o cartão do SUS na hora da vacinação.

Já a dose de reforço de outros laboratórios é aplicada em adultos acima dos 18 anos que tenham completado 4 meses desde a última dose e pessoas com baixa imunidade (imunossuprimidos).

Vacinação infantil

A vacinação contra a Covid-19 em crianças de 11 anos começa nesta segunda-feira (17) no Acre. Na capital do estado, Rio Branco, cinco unidades de saúde vão estar abertas com atendimento exclusivo para esse público. O atendimento é feito das 8h às 12h e das 14h às 16h. (Veja locais abaixo)

Leia Também:  Governo entrega Centro de Diagnóstico em Rio Branco

Segundo a Saúde municipal, a vacinação deve começar com crianças de 11 anos e seguir de forma decrescente, conforme a chegada de mais lotes.

As crianças precisam estar acompanhadas do pai ou da mãe ou de outro responsável legal na hora da imunização. Essa pessoa precisa assinar um Termo de Autorização e receber as informações referente a possíveis reações da vacina, como por exemplo: inchaço, vermelhidão no local da injeção, febre, fadiga, dor de cabeça e outros

A vacinação em crianças vai ser feita nas seguintes unidades de saúde:

USF Maria Áurea Vilela Santos – bairro Cadeia Velha;

USF Dr. Mario Maia – bairro Cidade Nova;

USF Gentil Perdomo da Rocha – Conjunto Esperança;

USF Vitória – bairro Vitória;

USF Manoel Alves Bezerra – Conjunto habitacional Cidade do Povo.

Vacinação em adultos e adolescentes

Reforço para pessoas que tomaram a 1ª dose da Janssen há 2 meses ou mais

Urap Vila Ivonete

12 anos ou mais 1ª e 2ª dose da Pfizer (antecipação 21 dias) e dose de reforço

Urap Eduardo Assmar

Urap Rozangela Pimentel

Urap São Francisco

Urap Vila Ivonete

Urap Hidalgo de Lima

Urap Ary Rodrigues

Urap Valdeisa Valdez

Urap Bacurau

Policlínica Barral Y Barral

Segunda dose Astrazeneca com 60 dias ou +

Urap São Francisco

Urap Bacurau

Urap Valdeisa Valdez

Urap Vila Ivonete

Policlínica Barral Y Barral

Segunda dose Coronavac

Vigilância Epidemiológica – por agendamento pelo número 3227-3165

Atendimento exclusivo síndrome gripal

Urap Maria Barroso

Urap Cláudia Vitorino

Vacinação no Acre

De acordo com informações do portal de transparência do governo, o Acre já recebeu 1.015.363 doses de vacinas e foram aplicadas 1.021.379 doses na população até o dia 9 de dezembro, data da última atualização. Das doses, 566.240 pessoas tomaram a primeira dose, 420.673 a segunda, 12.193 a dose única e 18.411 a de reforço.

Leia Também:  Governo convoca nesta quinta mais 307 novos servidores efetivos para saúde

No último domingo (9) completou um mês desde que os dados do painel de vacinação do Acre estão sem ser atualizados após falha no ConectSUS.

O aplicativo e o site do ConecteSUS ficaram indisponíveis para a emissão do Certificado Nacional de Vacinação Covid-19, que é exigido para acessar órgãos públicos e outros estabelecimentos entre os dias 10 a 23 de dezembro quando voltou, mas com instabilidade, após 13 dias fora do ar.

Ministério da Saúde rebate

O Ministério da Saúde informou que a integração entre os sistemas locais e a rede nacional de dados foi restabelecida na última sexta-feira (7). Destacou ainda que isso não deveria ter interferido nos dados da vigilância epidemiológica de síndromes agudas respiratórias, incluindo a Covid-19.

“Desde então, as informações inseridas pelos estados e municípios nos sistemas estão retornando gradualmente às plataformas nacionais, possibilitando que os dados de saúde possam ser acessados por todos os usuários. A pasta esclarece que a instabilidade nos sistemas não interferiu na vigilância epidemiológica de síndromes agudas respiratórias, incluindo a Covid-19. O Ministério da Saúde continua realizando o monitoramento no Brasil para tomada de decisões frente ao atual cenário”, destaca. Veja mais no G1 Acre

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA