Saúde

Saúde aos idosos: Fundhacre leva consultas odontológicas a residentes do Lar Vicentino em Rio Branco

Publicados

Saúde

Todos os residentes foram examinados – Foto: Danna Anute 

Assessoria – Um sorriso no rosto proporciona benefícios sociais e interpessoais, contribuindo também com a saúde física, na redução da pressão arterial, além elevar o ânimo e a autoestima, aumentando a confiança e diminuindo o sofrimento de quem sorri.

Foi pensando em todos esses benefícios que a Fundação Hospital do Acre (Fundhacre), por meio do Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), esteve na manhã desta quarta-feira, 16, no Lar Vicentino Dona Raimunda Odília, em Rio Branco, realizando o primeiro contato dos dentistas com todos os residentes. A iniciativa é também alusiva ao Dia Mundial da Saúde Bucal, comemorado em 20 de março.

“Trouxemos dois especialistas em próteses que fazem parte do CEO da Fundhacre, para avaliarem e iniciarem o processo de próteses dentárias dos residentes. As próteses irão facilitar a absorção dos nutrientes, sem contar da importância do sorriso”, ressaltou a coordenadora-geral do CEO, Christiane Lopes.

A diretora do Lar, Waldenize Rebelo, relatou os pontos positivos da vinda dos profissionais. “O Lar Vicentino fica honrado de receber a equipe do CEO, pois 80% dos nossos idosos não têm dentição. Isso incomoda e entristece, deixa muitas vezes os residentes depressivos, recolhidos, sem se socializar. Então, para muitos isso pode ser uma ação simples, mas para eles é um sonho a ser realizado”, observou.

Leia Também:  Inauguração da UPA da Cidade do Povo é adiada para quarta

O Lar Vicentino conta com uma equipe multiprofissional, composta por fisioterapeutas, nutricionistas, geriatra e equipe de enfermagem completa. Serão beneficiados com as próteses 49 residentes da instituição.

O coordenador da equipe de saúde da instituição, Pablo Leite, relata que o sentimento é de alegria: “Saber que a cada dia podemos melhorar a qualidade de vida deles é algo que nos deixa felizes; externo aqui meu carinho e gratidão ao apoio e sensibilidade do governo do Acre, Sesacre e toda equipe da Fundhacre, que está presente no dia de hoje, contribuindo na realização desta importante ação”, disse.

Maria Geralmira Bandeira Santos, chegou no Lar Vicentino em 2020, ao lado do seu namorado, também residente, Ivo Vandir da Silva , de 65 anos. A residente transbordava alegria pela ação realizada pela equipe do CEO: “Sorrir é muito importante, quem sorri proporciona alegria e felicidade para quem vê”, afirmou.

Para o senhor Francisco César da Silva, 62, que se encontra instituição há quase três anos, a ação trará muitos benefícios para quem reside no local: “Quero parabenizar aos organizadores por essa belíssima ação que irá beneficiar todos nós”, disse.

Leia Também:  Mourão atribui queda de popularidade de Bolsonaro a “ruído” sobre vacinação e sobre Manaus

Serão beneficiados com as próteses 49 residentes da instituição. Foto: Danna Anute

E Veja Também no 3 de Julho – Acre 24 Horas

Veja o Vídeo Abaixo: Em apoio às reivindicações dos servidores da Educação, Saúde e Segurança do Estado. Leo de Brito anunciou que entrou com uma ação popular, na Justiça Federal, para que o governador Gladson Cameli restitua aos cofres públicos os R$ 800 milhões que a Polícia Federal, por meio da Operação Ptolomeu, apontou que foram desviados. 

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter: 3 de Julho Notícias

Youtube: 3 de Julho Notícias Vídeos

Página: Facebook 3 de Julho Notíci

Portal: 3dejulho.com.br Rio de Janeiro

Página do Instagram: 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Saúde

Taxa de mortalidade infantil cai pela metade no país graças ao pré-natal e ao acompanhamento pediátrico

Publicados

em

De 2000 a 2019, índice teve queda de 26,1 para 13,3 óbitos por mil nascidos vivos; Ministério da Saúde aponta melhoria na prestação dos serviços de Atenção Primária à Saúde como uma das causas – Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasiil

Em 20 anos, a taxa de mortalidade infantil no Brasil caiu pela metade: de 26,1 óbitos por mil nascidos vivos, em 2000, para 13,3 óbitos por mil nascidos vivos, em 2019. A queda é atribuída pelo Ministério da Saúde, responsável por mensurar os dados no país, à melhoria na prestação dos serviços de Atenção Primária à Saúde, como pré-natal e acompanhamento do crescimento da criança no primeiro ano de vida.

Na avaliação das autoridades públicas de saúde, a mortalidade infantil é um indicador de saúde e condições de vida de uma população. Com o cálculo da sua taxa, estima-se o risco de um nascido vivo morrer antes de chegar a um ano de vida. Quanto maior o valor, mais precárias são as condições de vida e saúde e menores são os níveis de desenvolvimento social e econômico. Entre as regiões brasileiras, o Norte é a que apresenta a situação mais preocupante: 16,6 crianças morrem a cada mil nascidos vivos, número superior à média nacional.

Leia Também:  Governo vai gastar 2.220 garrafão de água mineral em quatro unidades de saúde em um mês e pagar mais caro para empresa

Para reverter esse cenário e melhorar ainda mais o cuidado das crianças nos serviços   do SUS, o Ministério da Saúde, por meio do Programa Cuida Mais Brasil, vai reforçar a presença de médicos pediatras junto às equipes de Saúde da Família e de Atenção Primária. A ideia é que esse atendimento fique mais perto das Unidades Básicas de Saúde (UBS), ou seja, ao alcance do cidadão. 

“Esperamos que isso diminua a mortalidade infantil. As crianças são um público que fazemos acompanhamento do desenvolvimento delas por meio das nossas equipes. Criança tem uma singularidade no cuidado. Queremos evitar que mães não percam seus filhos por conta de uma morte que seria evitável se tivesse o cuidado adequado”, reforça Renata Maria de Oliveira Costa, diretora do Departamento de Saúde da Família (DESF) do Ministério da Saúde.

Cresce procura por pediatras

Entre dezembro de 2019 e dezembro de 2021, equipes de Saúde da Família que contam com profissionais médicos pediatras vinculados registraram um aumento nos atendimentos de 53%. Segundo Renata Maria de Oliveira Costa, isso reforça que há demanda por pediatra na rede pública e que é preciso espalhar esses profissionais para o máximo de localidades possível. 

Leia Também:  Obra do Hospital Regional de Brasileia entra na reta final

“O Cuida Mais Brasil também tem esse olhar de equidade, de podermos ofertar recursos para que nessas áreas onde não existem esses profissionais, eles possam chegar. Temos a primeira meta de ter esse serviço ofertado em todas as regiões. Nos lugares onde já existem esses profissionais, o incentivo vai apoiar financeiramente os municípios a ampliarem o acesso que já existe hoje”, acrescentou a gestora do Ministério da Saúde.

Atualmente, 5,7 mil pediatras estão vinculados diretamente a 1.311 equipes. Com o Cuida Mais Brasil, o governo federal vai incentivar financeiramente a inclusão desses profissionais na Atenção Primária, aumentando a capacidade de atendimento nas UBSs. A estimativa é que o número de equipes com médico pediatra possa chegar a mais de 8 mil em todo país. Em 2022, serão repassados R$ 169,6 milhões aos municípios para fortalecer a saúde geral da mulher desde a gravidez até o acompanhamento de crianças recém-nascidas e o cuidado com a infância. 

Para mais informações, acesse o site do Ministério da Saúde: gov.br/saude. Ou entre em contato com a Secretaria de Saúde do seu estado. Fonte: Brasil 61

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA