RIO BRANCO

Saúde

Cozinha do HC produz duas mil refeições diárias

Na entrega dos alimentos, são verificados a data de validade e o aspecto das frutas e verduras

Publicados

Saúde

Na entrega dos alimentos, são verificados a data de validade e o aspecto das frutas e verduras

Álefe Souza

A nutricionista Janice Feitosa mostra a câmara fria, onde o frango congelado é guardado até a hora do preparo para consumo (Foto: Diego Gurgel/Secom)

A nutricionista Janice Feitosa mostra a câmara fria, onde o frango congelado é guardado até a hora do preparo para consumo (Foto: Diego Gurgel/Secom)

A dona de casa Raimunda Gonçalves faz hemodiálise há cinco anos na unidade de nefrologia do Hospital das Clínicas (HC) de Rio Branco. Ela conta que já fez tratamento em São Paulo. “Lá não tem o que tem aqui no HC. É só um pãozinho com café, e quem quiser almoçar ou jantar comida tem que levar sua marmita”. Sem medo de exagerar, Raimunda elogia a comida servida no HC. “A gente come só coisa boa aqui. Não tenho do que reclamar”, diz.

Na cozinha do HC são preparados os alimentos servidos para pacientes, funcionários e acompanhantes, não só do HC, como do Hospital do Câncer (Unacon) e Hospital do Idoso. Por dia, são servidas, em média, duas mil refeições, divididas entre café, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia. São preparados 78 quilos de arroz, 23 quilos de feijão, 22 quilos de farinha e 109 quilos de peixe (no dia em que este faz parte do cardápio, por exemplo).

Tudo é preparado com muito cuidado, atenção e higiene, pelas cozinheiras da unidade. Todos os funcionários do local usam luvas, toucas e máscaras, para evitar qualquer contato de suor, saliva e até mesmo que cabelos caiam na comida. Somente os que trabalham na cozinha têm acesso ao local e os depósitos de alimentos são trancados com cadeado e abertos somente na hora de recolher algum alimento.

Na entrega dos alimentos, são verificados a data de validade e o aspecto das frutas e verduras, para que não haja nada estragado. O frango, por exemplo, é entregue congelado pelo fornecedor, uma vez por semana, e fica armazenado na câmara fria, local onde o alimento é mantido em temperatura adequada até ser preparado para consumo. Somente a quantidade que será preparada para determinada refeição do dia é retirada da câmara fria, cortada, temperada e preparada para o almoço ou janta.

Leia Também:  Estado realiza Ação Itinerante em Porto Acre com mais de 2 mil atendimentos em saúde

Já a carne bovina é entregue fresca, em peças grandes, que são cortadas e preparadas para o uso imediato, somente nos dias em que está prevista no cardápio. Frutas e verduras também são entregues em quantidades suficientes para serem consumidas no mesmo dia. Até serem utilizadas, são mantidas na refrigeração.

Irene Velasquez trabalha na cozinha do HC há 22 anos. Ela assegura que, em todo esse tempo de trabalho, nunca houve denúncias ou reclamações quanto à qualidade do alimento.

A cozinheira explica o processo de preparação dos alimentos: a carne é preparada com todo o cuidado. No caso do frango, ele é lavado com limão e vinagre, tem a pele retirada e ainda recebe um banho de água quente antes de ser temperado e cozido ou assado. As frutas e verduras também são bem lavadas em água corrente. As folhosas, como alface e couve, são deixadas de molho em solução de água com hipoclorito de sódio durante 20 minutos, lavadas novamente e cortadas.

O cardápio do hospital é bem variado. Irene explica que os pratos do almoço e jantar levam diariamente arroz, feijão e salada, tendo como acompanhamento macarrão, purê ou farofa e carne, frango ou peixe, sempre grelhados, assados ou cozidos. Já no lanche são oferecidos frutas, sopas, mingaus, sucos, bolachas e bolos.

Leia Também:  Moradores de Brasiléia reclamam da falta de médicos no Hospital Regional Wilde Viana

“A quantidade de comida preparada para cada refeição – café, almoço, janta e lanches – é feitaper capita, ou seja, a quantidade é calculada para que seja o suficiente a cada pessoa. Não há como sobrar comida do almoço para janta, por exemplo, pois para cada refeição é preparada uma nova quantidade de comida”, explica a nutricionista do Serviço de Nutrição e Dietética (SND) do HC, Janice Feitosa.

A comida fornecida pelo Hospital das Clínicas do Acre a pacientes, acompanhantes e funcionários é feita com muito zelo e higiene.

A comida fornecida pelo Hospital das Clínicas do Acre a pacientes, acompanhantes e funcionários é feita com muito zelo e higiene.

Assim que a comida fica pronta, ela é colocada em embalagens térmicas e encaminhada para os pacientes. “As sobras são mínimas – apenas quando algum paciente não come. E o que é deixado na marmita é imediatamente descartado. Não existe a mínima possibilidade de reutilização de algum alimento, pois o controle de qualidade da cozinha do hospital é rigoroso”, assegura Janice.

A comida para os pacientes com dieta restrita é feita separadamente. De acordo com a nutricionista, um paciente normal pode comer tudo, com moderação, claro, mas um paciente com dieta restrita precisa receber uma alimentação balanceada, de acordo com sua patologia. “Logo, a comida também é feita de acordo com a necessidade de cada paciente.”

Para oferecer um alimento de qualidade, saboroso e dentro dos padrões determinados para uma unidade de saúde de grande porte, como o HC, a equipe da cozinha é composta por 56 funcionários, sendo seis nutricionistas, 14 cozinheiros, 33 copeiros e três administrativos, todos coordenados pela nutricionista Eliane Frari.

“Nós prezamos muito pela qualidade do alimento que é oferecido para nossos pacientes, pois sabemos que alimentação é coisa séria, principalmente para pessoas doentes. É tudo feito com muito zelo e carinho, para tornar melhores os dias das pessoas que ficam internadas no hospital, de seus acompanhantes e dos funcionários”, finaliza Frari.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Saúde

Cruzeiro do Sul completa um ano de vacinação contra covid-19 com mais de 125 mil doses aplicadas

Publicados

em

Há exatamente um ano atrás a prefeitura de Cruzeiro do Sul iniciou a aplicação das primeiras doses de vacina contra a Covid 19.

Logo de início, a secretaria municipal de saúde percebeu que tanto a doença, quanto a vacinação, apresentam peculiaridades que exigiram inovação e criatividade para atingir os públicos alvo de cada etapa de vacinação.

As primeiras ações, destinadas ao publico de maior idade, foram realizadas por meio de drive thru, reduzindo o tempo de espera e o desconforto a que seriam submetidos em longas filas de espera.

Pensando no horário de trabalho do público adulto, as ações se concentraram em oferecer horários e locais alternativos. Foi o caso da campanha ‘Bota no 12’ que manteve o serviço de vacinação até meia-noite e resultou na vacinação de 3.183 pessoas.

Com a temática de festa junina, a ação ‘Trintou da Vacinação’ representou um marco na campanha, vacinando 3.725 pessoas na Praça do Centro Cultural. A partir daí, a tematização das campanhas deu o tom da vacinação em Cruzeiro do Sul.

Leia Também:  Samu recebe 10 novas ambulâncias para o Serviço de Atendimento no Acre

Assim houve: “O que você espera de um sábado a noite”, para maiores de 25, o ‘Happy Hour da Vacinação” – para maiores de 18 – e o Tik Tok da vacinação para maiores de 12. Os locais de vacinação também buscaram agradar diferentes públicos: quadras , shopping e igrejas foram alguns dos locais em que ocorreu a vacinação.

Mas as ações não pararam por aí. A secretaria de saúde realizou as vacinações móveis diretamente nos comércios da cidade e na zonal rural. Em um ônibus preparado, profissionais da parte do TI lançavam os dados no sistema em tempo real, já no local de vacinação, para possibilitar um melhor controle das doses.

Hoje, Cruzeiro do Sul tem um total de 126.293 doses aplicadas, sendo 65.042 de primeira dose, 52.635 de segunda dose. Além de de 8.616 de terceira dose.

“Entendemos que as estratégias de vacinação da secretaria foram um sucesso, resultando em uma das melhores coberturas vacinais do país em proporção à população. E isso só foi possível mediante ao empenho dos nossos servidores que trabalharam em horários fora do expediente nas campanhas”, explica a secretária Valéria Lima.

Leia Também:  Justiça atende pedido do MP e determina que União forneça medicamentos do kit intubação para hospital do Acre

“Conseguimos avançar muito com a vacinação em Cruzeiro do Sul, o que é muito positivo, já que é o meio mais eficaz que temos para combater a pandemia. Hoje o município de Cruzeiro do Sul é lembrado no Acre com um caso de sucesso e isso se deve em grande parte à resposta da nossa população, que atendeu ao nosso apelo”, explica o prefeito Zequinha Lima.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA