Geral

Cogumelo Usado Na Sibéria Poderia Tratar Com Êxito a AIDS

Cientistas russos estão afirmando que um cogumelo cultivado na Sibéria pode tratar a AIDS

Publicados

Geral

Cientistas russos estão afirmando que um cogumelo cultivado na Sibéria pode tratar a AIDS

Cogumelo

Cogumelo

De acordo com relatos publicados no britânico DailyMail, os pesquisadores do Instituto Vetor, na cidade de Novorsibirsk, Rússia, o cogumelo cultivado em bétula mostra potencial para ajudar a combater a AIDS, a varíola e a gripe.

Embora os cientistas tenham identificado 3 cogumelos com enorme potecial, apenas o cogumelo Chaga (Inonotus oblíquos) é cotado como o mais promissor na medicina dos medicamentos anti-retrovirais.

  Em nota, o instituto declarou que este cogumelo demonstrou ter baixa toxicidade e um forte efeito antiviral.

Estes cogumelos têm sido utilizados por antigos siberianos curandeiros há séculos. Eles contêm o chamado ácido betulínico, uma substância que demonstrou ser um potente agente contra vírus, especialmente o HIV.

O Instituto Vetor, na Rússia, possui uma vertente de pesquisa muito particular e pouco ortodoxa, pesquisando doenças raríssimas e que foram aparentemente extintas, como a varíola. Ele foi usado como um centro para produção de armas biológicas durante a era soviética e é um dos dois únicos depósitos oficias da varíola no mundo  Alguns pesquisadores depositam nesta substância a possibilidade de curar o câncer, como indica um livro publicado em 1967 por Alexander Solzhenitsyn. O livro foi lançado sem nenhum embasamento científico.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Com nova escala médica, centro cirúrgico do Pronto-Socorro de Rio Branco acelera atendimento

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Geral

Defensoria Pública se reúne com Diretoria da Unimed em busca de melhorias no atendimento infantil

Publicados

em

Na tarde desta quarta-feira, 18, a Defensoria Pública do Estado do Acre (DPE/AC) se reuniu com a Diretoria da Unimed Rio Branco, para expor as reclamações recebidas dos usuários do atendimento prestado no único hospital de urgência e emergência infantil do estado do Acre, a Urgil, credenciada pela Unimed.

De acordo com o ofício enviado a DPE/AC pela Urgil, 95% do total de atendimentos do hospital são provenientes de usuários de planos de saúde, dos quais 70% são usuários da Unimed.

Na oportunidade, a Diretoria da Unimed, composta pelo presidente, Antônio Herbert Leite Militão, pelo vice-presidente, Marcus Vinicius Shoiti Yomura e pelo superintendente, Renato Correia da Silva, além do assessor jurídico Maurício Spada, mostrou-se sensível à problemática e se comprometeu a encontrar alternativas que não deixem as crianças que necessitem de atendimento de urgência e emergência em situação de total dependência da Urgil.

O encontro ainda possibilitou esclarecimentos sobre o modo de atuação da operadora de saúde e culminou com o agendamento de nova reunião para o dia 28 de junho, quando então a Unimed apresentará a DPE/AC medidas mais concretas para a melhoria dos serviços.

Leia Também:  Corpos de família que morreu em acidente são velados em Epitaciolândia

Os defensores públicos Celso Araújo Rodrigues, do Núcleo da Cidadania, Rodrigo Chaves, do Subnúcleo de Superendividamento e Ações do Consumidor, a defensora pública Juliana Caobianco, do Subnúcleo de Direitos Humanos 1 (SDH1), a assistente do SDH1, Larissa Damasceno e as representantes dos usuários do plano de saúde, arquiteta Talita Gomes e a advogada Vanessa Facundes, demonstraram satisfação com os encaminhamentos da reunião, reiterando a necessidade de a Unimed adotar medidas céleres e efetivas que resguardem os direitos desses consumidores.

“Foi muito importante esse diálogo para reafirmamos a nossa preocupação e compromisso com nossos usuários, além de esclarecer que estamos procurando um caminho, uma solução”, disse o presidente da Unimed Rio Branco, Herbert Militão.

O defensor público Rodrigo Chaves, destacou que a instituição está à disposição para contribuir, ouvir e atuar de forma conjunta para dar mais celeridade ao caso.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA