Política

Prefeita Fernanda Hassem omite o aumento da covid, e MP pede o cancelamentos dos shows, Margareth Menezes e Babado Novo

Publicados

Política

Carnavale de Brasileia pode ser cancelado a qualquer momento, supostos superfaturamento e surto de Covid são os motivos – Foto: Assessoria pmb /Arte Alemão Monteiro

A realização do carnaval fora de época poderá ser cancelado a qualquer momento, a depender do Ministério Público de Brasileia, sob indícios de irregularidades nas contratações das bandas nacionais e as fortes evidências do surto de Covid-19 que os municípios de Epitaciolândia e Brasileia estão enfrentando e que tanto a prefeita Fernanda Hassem e a SESACRE, aparentemente estão tentando omitir os casos.

O primeiro alerta aconteceu quando o médico Fabrício Lemos (atuante na linha de frente no combate a Covid), usou a sua rede social para falar sobre este surto de covid-19 e criticou a realização do evento em meio a essa situação. Em seguida, o procurador do Município de Brasileia, Francisco Valadares, enviou um ofício para a prefeita Fernanda Hassem alertando para que a realização do Carnavale fosse revista, visando evitar a propagação do vírus.

Após essa manifestação, tanto a Sesacre, por meio do Hospital Regional do Alto Acre, como a prefeita Fernanda Hassem e o secretário de saúde, Francelio estão minimizando o surto ao se referirem como se tudo estivesse na normalidade. Em entrevista recente, a prefeita Fernanda Hassem e um meio de comunicação local se posicionaram como se estivesse tudo sob controle, enquanto isso, as escolas estão suspendendo as aulas por conta do surto de covid-19 que tem afetados os servidores das unidades escolares e os alunos.

Leia Também:  Everaldo se encontra em Brasília e se diz surpreso com decisão do dinheiro da saúde

Além da suspensão das aulas, empresas privadas já estão exigindo o uso de máscaras, distanciamento social e uso frequente de álcool em gel. Mesmo assim a prefeitura de Brasileia vem tentando esconder a verdade para não comprometer a realização do Carnavale.

Diante da situação, as escolas orientaram os professores que apresentam sintomas, a procurar uma Unidade Básica de saúde para realizarem o exame de Covid-19, mas segundo informações repassadas ao jornal 3 de Julho Notícias, as equipes dos Postos de saúde e médicos estão se negando a realizar os testes para evitar que novos casos sejam registrados.

Um professor que não quis se identificar entrou em contato com a redação do site 3 de Julho para contar o constrangimento e a decepção que passou ao procurar duas Unidades de Saúde para realizar o teste de covid-19. O mesmo conta que está assintomático e procurou a Unidade de Saúde do bairro Marcos Galvão 2 juntamente com familiares que suspeitam estar com covid-19 e ao ser atendido por uma médica, a mesma afirmou que o professor estava com uma síndrome gripal e não havia necessidade de fazer teste de covid-19, porém o professor insistiu em fazer para poder apresentar na Escola, mesmo assim a médica que não teve o nome divulgado se negou e o tratou com extrema grosseria.

Leia Também:  Prefeitura de Cruzeiro do Sul entrega sistema de água para moradores do Santa Luzia do Pentecostes

O professor conta ainda que após essa situação procurou a Unidade de Saúde Tufic Mizael Saad, com o intuito de fazer o exame, mas de igual forma não conseguiu pois muitas desculpas foram dadas. Mas este não é o único relato de que a saúde municipal está evitando fazer os testes de covid-19 nos moradores para evitar o registro de casos positivos.

Possíveis superfaturamento na contratação dos shows nacionais

Por outro lado, o Ministério Público pediu a suspensão dos shows da cantora Margareth Meneses e da banda Babado Novo por ver discordância no valor pago em um mesmo show de Margareth que foi realizado em Corumbá – MS e que custou R$ 72.774,00 (setenta e dois mil e setecentos e setenta e quatro reais), enquanto que em Brasileia – AC o show iria custar R$ 250.000,00 (duzentos e cinquenta mil reais). Na liminar, a promotora Pauliane Mezabarba solicita que os organizadores do evento não não realizem quaisquer pagamento decorrentes dos contrato estabelecido para contratação dos artistas.

Já em se tratando da Banda Babado Novo, o Ministério Público não encontrou nenhuma informação sobre os valores para contratar a referida banda, e nem sobre a locação dos banheiros químicos e muito menos sobre os termos de parceria com a empresa T.P.P Silva – ME.

Escola de Brasileia

Escolas de Epitaciolândia

Empresa Acre Aves

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Vereadora Marinete “taca fogo” e fala das 500 vacas que foram compradas com dinheiro na bolsa, e estão em áreas de reserva

Publicados

em

Veja o Vídeo:

A vereadora Marinete Mesquita usou a tribuna na manhã desta terça-feira (09) para falar das denúncias que a mesma tem recebido enquanto parlamentar com relação ao assédio moral que está acontecendo no Poder executivo para que os servidores votem em determinados candidatos.

A mesma relata que foi procurada por servidores que necessitam do emprego e ouviu com atenção a humilhação que lhe fora relatada. Na oportunidade, a parlamentar não hesitou em orientar esses servidores a colherem provas para que efetivem a devida denúncia nos órgãos competentes para que essas práticas imorais e desrespeitosas sejam banidas do funcionalismo público.

Marinete falou ainda sobre a denúncia sobre mensalinho via pix que vem acontecendo na gestão da prefeita Fernanda Hassem. Mesquita destaca que essa situação é falta de esperteza, ou burrice mesmo. A nobre edil destaca que as pessoas que estão cometendo isso, deveriam aprender com a patroa: “se vão comprar alguma coisa, leva o dinheiro na mão, na bolsa, não faz pix. As 500 vacas que foram compradas com dinheiro na bolsa, isso é ser inteligente, não deixou nenhum rastro”, destacou.

Leia Também:  Presidente da ALEAC liberam entrada dos manifestantes na sede, os mesmos haviam sido barrados por segurança

Dando continuidade em sua manifestação, Marinete foi bem incisiva quando solicitou a investigação por parte dos órgão competentes, para que investiguem o laranjal que tem no município de Brasileia e Epitaciolândia, e em se tratando das 500 vacas muitas delas estão em áreas de reservas e dentro de terras de colegas que são autoridades e que a falta de fiscalização tem facilitado, pois se confia porque parente é quem comanda os órgão que deveria fiscalizar.

“Fica aqui o nosso pedido também para que os órgãos competentes comecem a fiscalizar de fato e investigar o verdadeiro laranjal que existe nos municípios de Brasileia e Epitaciolândia. Um verdadeiro laranjal!!!”, concluiu a parlamentar.

Veja o Vídeo:

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA