Política

Movimentos sociais irão protestar contra o descaso da prefeitura de Tarauacá

O movimento é liderado pelo ex-prefeito Chagas Batista, vereadores e líderes comunitário

Publicados

Política

O movimento é liderado pelo ex-prefeito Chagas Batista, vereadores e líderes comunitários. 

Representantes de todos os bairros de Tarauacá, reuniram na terça-feira, 13,na sede do PCdoB para reorganizar as associações de moradores e iniciar uma jornada de mobilização em defesa de Tarauacá.

Os participantes da reunião, analisaram o quadro de abandono que Tarauacá está submetido no governo da prefeita Marilete Vitorino e de seu vice-prefeito, Chico Batista. 

A preocupação maior é que já chegando ao fim do terceiro verão e o governo não realizou nenhum trabalho de recuperação das ruas. Daqui a pouco começa às chuvas, aí a situação vai ficar muito mais difícil.

Conforme encaminhamento da reunião, todos os bairros iniciarão mobilizações e ações de pressão para a administração municipal assumir responsabilidade com Tarauacá e a população, finalizou Chagas Batistas.

A prefeita Marilete tem ignorado o verão e deixado a cidade abandonada, o que tem revoltado a população do município.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Verª. Tereza volta do recesso e fala sobre, o que segundo ela, seria um assalto na prefeitura

Propaganda

Política

Após votar no orçamento de 1%, vereador Pantico vota contra o complementação de recursos, sua esposa está descumprindo a legislação ao acumular cargos público

Publicados

em

O vereador do município de Epitaciolândia, Francisco das Chagas Santos de Melo, mais conhecido como Pantico da água, não perde a oportunidade quando o assunto é se dar bem, o mesmo tem desenvolvido um trabalho familiar com o intuito de cuidar somente de seus próprios interesses e deixar a população largada a própria sorte. Prova disso é sua falta de posição na Câmara de Vereadores.

Desde que assumiu, o vereador Pantico tem demonstrado que não tem opinião própria e de fácil manipulação, em um momento diz que trabalha pelo povo e luta pelo povo, mas foi um dos parlamentares que votou favorável para que o gestor do município trabalhasse com apenas 1% do orçamento.

Pantico com todo o seu falso moralismo tem apresentado um comportamento no Poder Legislativo, diferente do que costuma dizer, pois todos os projetos enviados pelo Poder Executivo para votação na Câmara, o nobre vereador vota contra. Como pode um vereador dizer que trabalha pelo povo, mas veta todos os projetos que beneficiariam o povo? Sem dúvidas é no mínimo contraditório.

Leia Também:  Deu as costas para Tarauacá: Trabalhadores mostram o drama do acesso a ETA e imploram Gladson por recuperação do ramal, vídeo

Recentemente, a prefeitura de Epitaciolândia enviou um projeto que trata-se de uma emenda para abertura de crédito adicional, ou seja, permitiria que o Poder Executivo tivesse mais recursos para trabalhar em benefício para a população, porém, nesta votação, Pantico era o responsável por desempatar a votação diante dos vereadores de oposição, inclusive chegou a afirmar que votaria a favor para que o prefeito tivesse condições de trabalhar, mas na hora de votar, Pantico votou contra o projeto.

O parlamentar que fala muito em moral esqueceu de levar ao conhecimento da população que suas esposa, a Srª. Antônia Arleth Cordeiro de Moura, está descumprindo a legislação ao acumular cargos público. Antônia é servidora efetiva da prefeitura de Epitaciolândia, onde atua na área de serviços gerais, na secretaria municipal de educação, lotada na escola Pequeno Príncipe.

Vale destacar que, Antônia foi nomeada em maio de 2022, o que mostra claramente que o governo de Gladson Cameli está usando os empregos do estado para angariar votos para o processo eleitoral deste ano.

Leia Também:  Prefeita de Tarauacá, Maria Lucineia, e sua irmã viajam para Brasília e ganham quase R$ 16 mil em diárias

Segundo informações colhidas pela redação do site 3 de Julho Notícias, a mesma recentemente foi nomeada para ocupar um Cargo Em omissão – CEC 1 no Instituto de Meio Ambiente do Acre – IMAC com remuneração no valor de R$ 3.224,01 (três mil, duzentos e vinte e quatro reais e um centavo), mas ainda de acordo com informações, Antônia não comparece ao seu local de trabalho, caracterizando como mais um caso de funcionário fantasma no governo de Gladson Cameli e por já ser servidora pública efetiva, a esposa do vereador Pantico não pode exercer um cargo em comissão. Isso e muito mais, mostra que Pantico não passa de um falso moralista.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA