Política

Prefeitura não assumirá salários atrasados dos trabalhadores do sistema de transporte de Rio Branco

Publicados

Política

Como diz no ditado popular, a corda só arrebenta do lado mais fraco – Foto: Reprodução

Em meio a maior crise do sistema de transporte coletivo dos últimos tempos, a população de Rio Branco vive um dilema e acorda todo dia sem saber se terá ônibus passando em sua região.

O prefeito Tião Bocalom (PP) tentou amenizar o problema repassando R$ 2 milhões e quatrocentos mil para as empresas quitar os débitos com empregados, acordo não cumprido e que foi um dos motivos para a intervenção no setor.

Diante da negligência de não colocar os coletivos para rodar desde domingo, o prefeito resolveu assumir o sistema, desde o abastecimento a parte gerencial como todo enquanto aguarda a nova empresa que chegará para assumir a responsabilidade de transportar cerca de 15 mil usuários dia.

O diretor da RBTRANS Vilas Boas, gravou um vídeo na noite de segunda-feira (18), para pedir o retorno dos motoristas ao trabalho e afirmando que eles terão os empregos mantidos, mas que não a gestão não pode assumir a dívida dos passivos em atraso. Trocando em miúdos, os empregados que tem de um a três salários em atrasos, alguns férias, outros sem FGTS, INSS que estava sendo deixado de ser depositado pelos patrões, não terão a garantia de recebimento.

Leia Também:  Prefeitura de Plácido de Castro realiza conferência da Promoção da Igualdade Racial

O movimento sindical promete mais uma manifestação na manhã desta terça-feira (19), para pedir uma solução imediata para o transporte coletivo da capital e também defender os direitos dos trabalhadores, abandonados pelas empresas.

Veja o Vídeo:

Veja o Vídeo:

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

“Governador Gladson está cancelando cirurgias na Fundação Hospitalar por falta de material esterilizado”, denúncia Jenilson

Publicados

em

O deputado estadual Jenilson Leite (PSB), que é médico infectologista, usou a tribuna da Aleac para cobrar providências sobre a situação da saúde pública do Acre, especialmente, na Fundação Hospitalar, onde o tem sido cancelado cirurgias dos pacientes por falta de material esterilizado.

Segundo Jenilson, o governo anunciou tardiamente um mutirão de cirurgias, mas na Fundhacre, têm pacientes que por duas vezes teve a cirurgia remarcada devido a falta de material esterilizado. “Deixo minha crítica e cobro providências urgentes do governo, porque foi feito o anúncio de um grande mutirão de cirurgias, inclusive fora de tempo. E é o mesmo governo que está remacarcando as cirurgias na Fundação Hospitalar. Isso ocorre diariamente na Fundação Hospitalar. Tem pacientes que são internados e depois quando chegam no centro cirúrgico não tem material estilizado, aí voltam para a casa “, afirma o deputado.

” Isso não pode acontecer. Para além de ser um problema para a saúde do paciente, é um desrespeito com o cidadão, com a saúde mental e física. São muitos problemas e tenho certeza que no pese nossas divergências entre os deputados da base, nós estamos percebendo que o Acre precisa de novos rumos”, disse Leite.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Ele está perdido!!! Gladson Cameli frauda a história ao falar sobre o tráfico nas Rodovias Federais
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA