Política

Mais de 260 seções eleitorais de Rio Branco e Bujari passam por desinfecção para votação

Publicados

Política

Mais de 260 seções eleitorais nas cidades de Rio Branco, capital do Acre, e Bujari, são desinfectadas para a votação municipal de domingo (15). O trabalho começou na terça-feira (10) e termina na sexta (13).

As seções compõem a 9ª Zona. O trabalho é feito por homens do Exército Brasileiro, Vigilância Sanitária, Corpo de Bombeiros, Departamento Estadual de Água e Saneamento (Depasa) a pedido do Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC).

Para a ação, que faz parte do protocolo de segurança e medidas para o dia da votação, foram mobilizadas seis equipes com 17 pessoas. São usadas cinco caminhonetes, bombas de pulverização e equipamentos de proteção individual (EPIs).

“O TRE solicitou essa desinfecção e nós, como já tínhamos essa expertise de desinfecção que foi feita durante o período crítico da pandemia, buscamos os parceiros, Exército, a Santa Casa que nos ajudou com um veículo, buscamos o Corpo de Bombeiros que ajudou com as bombas. Devido ao grande número de seções, precisamos de mais pessoas e o Exército veio conosco e treinamos o pessoal”, explicou o chefe do departamento comercial do Depasa, Fritz Mendonça.

Leia Também:  Executiva estadual do PROS recebe a executivo municipal de Marechal Thaumaturgo e vereadores do município na sede do partido

A limpeza é feita com solução de hipoclorito e água diluídos em bombas. Após a desinfecção, o local é trancado e apenas as equipes do TRE-AC podem ter acesso para instalar as urnas eletrônicas. Essa instalação está prevista para a sexta.

“O governador pediu para a gente fazer antes, deixasse o local e ninguém mais vai lá, que é para estar preservado. Na segunda [16], depois das eleições, a gente inicia a desinfecção pós-eleições”, complementou.

Votação

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) montou um plano de segurança sanitária para as Eleições Municipais 2020. O objetivo é evitar a propagação do novo coronavírus durante a votação.

Já sair de casa de máscara – sem a proteção não será permitido o acesso aos locais de votações;

O eleitor deve levar a própria caneta;

Para evitar aglomerações, o horário de votação foi ampliado: será das 7h às 17h;
Os eleitores com mais de 60 anos devem votar, preferencialmente, de 7h às 10h, e terão também uma fila exclusiva.

No local da votação:

Deve se manter a distância mínima de um metro entre as pessoas;

Leia Também:  Iteracre e prefeitura de Xapuri iniciam Programa de Regularização Fundiária

O eleitor não deve levar crianças e acompanhantes;

Antes de entrar e ao sair da seção, tem que usar álcool em gel;

Durante todo o tempo em que estiver na seção, não levar as mãos ao rosto.
Outra mudança adotada devido à pandemia, é a que essa eleição não ter o uso da biometria. Dentro da seção, o eleitor terá que:

Mostrar o documento oficial com foto, esticando os braços em direção ao mesário, a um metro de distância;

O mesário poderá pedir para baixar rapidamente a máscara para identificação;

O eleitor deve assinar o caderno de votação com a própria caneta ou com uma esterilizada fornecida pelos mesários;

Os mesários, a cada vez que retornarem à seção eleitoral, depois de ir ao banheiro, por exemplo, devem higienizar a mesa e cadeira com álcool 70%. Eles deverão trocar a máscara a cada quatro horas.

Do G1 Acre

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Política

Isto são coisas desumanas. Não podemos dizer que a saúde tá bem, isto é um absurdo, governador!, diz Antônia Sales

Publicados

em

A deputada Antonia Sales (MDB) denunciou que está faltando nos hospitais o medicamento que é usado no tratamento de pacientes transplantados de rins e fígado, o Tracolimus. Ainda segundo a emedebista, existe apenas um nefrologista no Setor de Nefrologia da Fundação Hospitalar do Acre para atender 400 pacientes.

“Essa denúncia chegou até mim por um paciente, e eu fiquei muito preocupada. Ainda de acordo com esse paciente, o transplante está paralisado há mais de 4 anos. São 25 mil pessoas que estão esperando por um exame de ecodoppler. Senhor governador, faça alguma coisa, essas pessoas não podem ficar sem o tratamento”, disse.

A parlamentar também falou sobre o lançamento do super mutirão de cirurgias eletivas feito na última terça-feira (17), pelo governador Gladson Cameli (Progressistas).

“Peço a Deus que aconteça de fato porque a nossa saúde pública não anda nada bem. Recebemos, ontem, um aviso que o mutirão atenderá 5 mil pacientes e eu torço muito para que isso aconteça. Vou ficar acompanhando isso, porque falta muita coisa. As nossas unidades de saúde precisam funcionar porque quem precisa do hospital é o povo, o bacana pega o seu jato e vai para outro estado, vai até para os Estados Unidos”, concluiu. (Assessoria Aleac)

Leia Também:  Iteracre e prefeitura de Xapuri iniciam Programa de Regularização Fundiária

Veja o Vídeo:

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA