Política

Bolívia Evo Morales é reeleito com mais de 60% dos votos.

Morales, primeiro presidente indígena da Bolívia, no poder desde 2006, precisava de pelo menos 50% mais um dos votos para garantir a vitória

Publicados

Política

Morales, primeiro presidente indígena da Bolívia, no poder desde 2006, precisava de pelo menos 50% mais um dos votos para garantir a vitória

marales

O presidente boliviano Evo Morales conseguiu uma importante vitória nas eleições presidenciais deste domingo, segundo pesquisas de boca de urna que dão a ele mais de 60% dos votos – o que garante um terceiro mandato até 2020.

Morales alcançou uma ampla vantagem em todo o país de quase 40 pontos, segundo pesquisas de boca de urna divulgadas pelos institutos Equipos Mori e Ipsos. O candidato opositor centrista, o empresário Samuel Doria Medina, teria cerca de 20% dos votos.

Morales, primeiro presidente indígena da Bolívia, no poder desde 2006, precisava de pelo menos 50% mais um dos votos para garantir sua vitória e reeleição sem precisar passar por um segundo turno. Nas eleições presidenciais de 2009, Morales obteve 64% dos votos.

A expectativa persistirá por algumas horas para saber se o governo mantém maioria absoluta no Congresso que o permita governar sem oposição, um dos objetivos de Morales. O presidente teria vencido inclusive em Santa Cruz, principal reduto opositor, segundo as pesquisas, embora perca em Beni, ambos no leste do país. Milhares de bolivianos foram às ruas de La Paz e das principais cidades do país para comemorar a vitória e reeleição de Morales.

Leia Também:  Convocados os candidatos aprovados no Concurso da prefeitura de Epitaciolândia

Fonte: Agence France-Presse

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Política

Isto são coisas desumanas. Não podemos dizer que a saúde tá bem, isto é um absurdo, governador!, diz Antônia Sales

Publicados

em

A deputada Antonia Sales (MDB) denunciou que está faltando nos hospitais o medicamento que é usado no tratamento de pacientes transplantados de rins e fígado, o Tracolimus. Ainda segundo a emedebista, existe apenas um nefrologista no Setor de Nefrologia da Fundação Hospitalar do Acre para atender 400 pacientes.

“Essa denúncia chegou até mim por um paciente, e eu fiquei muito preocupada. Ainda de acordo com esse paciente, o transplante está paralisado há mais de 4 anos. São 25 mil pessoas que estão esperando por um exame de ecodoppler. Senhor governador, faça alguma coisa, essas pessoas não podem ficar sem o tratamento”, disse.

A parlamentar também falou sobre o lançamento do super mutirão de cirurgias eletivas feito na última terça-feira (17), pelo governador Gladson Cameli (Progressistas).

“Peço a Deus que aconteça de fato porque a nossa saúde pública não anda nada bem. Recebemos, ontem, um aviso que o mutirão atenderá 5 mil pacientes e eu torço muito para que isso aconteça. Vou ficar acompanhando isso, porque falta muita coisa. As nossas unidades de saúde precisam funcionar porque quem precisa do hospital é o povo, o bacana pega o seu jato e vai para outro estado, vai até para os Estados Unidos”, concluiu. (Assessoria Aleac)

Leia Também:  FCCV entrega EPIs para profissionais de saúde que atuam contra o coronavírus em Cruzeiro do Sul

Veja o Vídeo:

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA