RIO BRANCO

Política

Avião da Polícia Federal pousa em Rio Branco e deixa aliados de Gladson Cameli assombrados

Publicados

Política

Um avião da Polícia Federal pousou neste dia 3 de janeiro no aeroporto internacional de Rio Branco e causou muito burburinho no meio político no Acre, por conta dos últimos acontecimentos envolvendo agentes políticos do governo Gladson Cameli (PP) e diversos agentes Públicos.

A operação Ptolomeu apura fatos do que pode ser o maior esquema de desvios de recursos do governo do Acre e tem o governador Gladson Cameli como pivô, segundo consta as investigações do STJ, que pode inclusive afastar o chefe do executivo do cargo.

Na cidade de Rio Branco não se fala em outra coisa, senão no avião da Polícia Federal que pousou na pista do aeroporto e que deixa um clima de dúvida no ar.

Será que teremos uma terceira fase da operação Ptolomeu?

A resposta saberemos amanhã.

O fato é que tem alguns investigados dormindo em casa de amigos e hotéis espalhados pela cidade, afinal nunca se sabe né?

Gladson Cameli é o principal investigado na Operação Ptolomeu.

A investigação da Polícia Federal que colocou o governador do Acre, Gladson Cameli (PP), no centro de um possível esquema de desvios em contratações na Saúde e Infraestrutura foi aberta em julho a partir de suspeitas levantadas na Operação Dose de Valores, que mira indícios de fraude e direcionamento de licitações para compra de remédios e insumos hospitalares.

Leia Também:  Com receio de serem demitidos sem ser comunicado, servidores só vão trabalhar após olhar o Diário

O ponto de partida foi um áudio trocado entre representantes de uma empresa especializada na venda de medicamentos. A gravação, obtida a partir de interceptação telefônica, sugere que o governador teria sido destinatário de R$ 70 mil em propinas. Outro elemento chamou atenção da PF: um comprovante de transferência encontrado no celular do sócio da farmacêutica, no valor de R$ 6 mil, para Rutembergue Crispim Silva, que foi chefe de gabinete do governador e diretor da Secretaria de Saúde do Acre.

Com as primeiras suspeitas em mãos, a Polícia Federal recebeu um relatório do antigo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) apontando vinte comunicações de movimentações financeiras suspeitas envolvendo o governador. O documento mudou o rumo da investigação, que passou a ter como foco as operações com aparência de lavagem de dinheiro.

De acordo com o documento, contabilizando apenas depósitos em dinheiro vivo, as contas do governador receberam R$ 956 mil entre agosto de 2018 e novembro de 2021.

Na avaliação da PF, as comunicações ‘indicam, fortemente, uma atuação articulada e capilarizada de branqueamento de capitais – tendo o governador Gladson Cameli como sujeito central e principal beneficiário’. Ele foi alvo de buscas há duas semanas na Operação Ptolomeu, na primeira etapa ostensiva da investigação. Sua chefe de gabinete, Rosângela Gama, foi presa na ação.

Leia Também:  No Bujari PRB vai pedir expulsão do vereador Celso da Codorna por infidelidade partidária

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: O ex-deputado federal, Sibá Machado, gravou um vídeo polêmico onde fez um desabafo contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, o Juiz Sérgio Moro e o governador do Acre, Gladson Cameli. Sibá não perdeu a oportunidade de alfinetar o gestor em se tratando do escândalo de corrupção no qual para a Polícia Federal, Cameli é tido como o chefe de uma organização Criminosa que desviou quase R$ 1 bilhão de reais dos cofres públicos do Estado.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter: 3 de Julho Notícias

Youtube: 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook: 3 de Julho Notíci

Página do Instagram: 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Deputado Leo de Brito, diz que vale-gás começa a ser pago e deve beneficiar 51 mil famílias no Acre

Publicados

em

A partir desta terça-feira, 18, começa a ser pago o “vale-gás”, auxílio que garante aos beneficiados o recebimento de 50% do valor de uma botija de gás de 13 quilos.

A lei do vale-gás se tornou possível depois que o deputado federal Leo de Brito (PT-AC) e os demais parlamentares que compõem a bancada do Partido dos Trabalhadores (PT) na Câmara dos Deputados apresentaram o Projeto de Lei 1374/21 para que se instituísse o benefício para famílias de baixa renda, tendo em vista que o país registra no último ano altas consecutivas no valor da botija de gás, levando milhões de pessoas a buscar meios alternativos e em muitos casos, que colocam suas vidas em risco, para cozinhar alimentos.

“Estou muito feliz que o auxílio gás, que foi criado por meio de um projeto de lei de minha autoria, esteja chegando agora na casa de cinco milhões e meio de brasileiros. Só no Acre, são 51 mil famílias atendidas por esse auxílio. São famílias que precisam dessa ajuda diante da grave situação de insegurança alimentar registrada no Estado atualmente. Dados apontam que cerca de 60% das famílias acreanas enfrentam a insegurança alimentar atualmente”, afirma Leo de Brito.

Leia Também:  Veja o pronunciamento do Deputado Estadual Daniel Zen e Leitura da Mensagem Governamental

Como ter acesso ao vale-gás

O deputado federal acreano destaca que para ter acesso ao auxílio para compra do gás de cozinha, as famílias devem procurar a unidade de Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) mais próximo de sua residência e realizar o cadastro.

Têm direito ao benefício às famílias inscritas no CadÚnico com renda familiar mensal, por pessoa da família, menor ou igual a meio salário mínimo. Também têm direito as famílias com integrantes do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Mulheres chefes de família têm prioridade para receber o benefício, assim como as mulheres vítimas de violência. Para isso, foi feito convênio com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

“Esse meu projeto é uma ação no combate à fome que assola nosso país e, principalmente, milhares de famílias do Acre. As pessoas estão sofrendo com a alta inflação que eleva todos os dias os preços do alimentos, dos combustíveis, na conta de luz e eu, pelo nosso mandato, sigo trabalhando para buscar alternativas para ajudar quem mais precisa, que sofre com a falta de emprego, de oportunidades”, acrescenta Leo de Brito.

Leia Também:  Escândalos de corrupção: Após três anos de governo Gladson, o fim pode vir antes dos 362 dias que faltam

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA