Política

Cansados de esperar, servidores de empresa resolvem tapar buracos no Centro do Quinari

Senador Guiomard pede socorro: Empresa terceirizada decidiram fazer o trabalho de competência do poder público

Publicados

Política

Senador Guiomard pede socorro: Empresa terceirizada decidiram fazer o trabalho de competência do poder público

do Quinari

Preocupados com a quantidade numerosa de buracos nas ruas da cidade de Senador Guiomard (AC), servidores de uma empresa terceirizada decidiram fazer o trabalho de competência do poder público: eles mesmos produziram asfalto e taparam os buracos da rua em que a empresa se localiza.

A rua em questão é a Rua Cleto Reinaldo Ramos, esquina com a Avenida Castelo Branco, principal rua do município e que também enfrenta o problema. O ato dos servidores gerou inúmeros comentários nas redes sociais, dentre os do vereador Manoel Lima. Para ele, os servidores da empresa estavam cansados de esperar uma solução do poder público.

“Eles mesmos taparam aquela cratera que há 06 anos existia ali na esquina da Ronsy”.

O vereador cobra uma solução por parte da prefeitura e pede para que os gestores ‘copiem’ o exemplo.

“Que tal o prefeito copiar esse belo exemplo e tentar melhorar a sua desastrada gestão? Pelo menos não vai mais tapar os buracos das ruas com cimento e areia, ou com brita e óleo”.

Leia Também:  Prefeitura de Brasiléia Inicia Programação em Comemoração ao Aniversário da Cidade

As publicações no Facebook repercutem desde a última quinta-feira (2) e a prefeitura não se manifestou através de assessoria de imprensa.

asfalto2

Fonte: quinarionline.com

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Política

Ex-prefeitos: Zum e Betinho, devem ser responsabilizados por não terem concluído a obra do posto de saúde na comunidade Divisão, em Assis Brasil

Publicados

em

Ex-gestores de Assis Brasil Humberto Gonçalves Filho e Antônio Barbosa de Souza (Zum) – Foto: Reprodução / Montagem / Alemão Monteiro

Desde que assumiu a prefeitura do município de Assis Brasil, o prefeito Jerry Correia, tem enfrentado grandes problemas deixados pelos ex-gestores, Antônio Barbosa (Zum) e Humberto Filho (Dr. Betinho), problemas estes que estão afetando o município e a atual gestão.

Recentemente, o Ministério da Saúde notificou a prefeitura de Assis Brasil a devolver quase R$ 400.000,00 (quatrocentos mil reais) por não ter concluído a obra de construção de uma Unidade de saúde na comunidade Divisão.

O recurso foi liberado por meio de convênio com o município ainda no ano de 2015, emenda de autoria do deputado federal à época e hoje vice-governador, Major Rocha, período em que Betinho estava no seu terceiro ano de gestão, ocasião em que foi liberado a primeira parcela no valor de R$ 81.600,00 (oitenta e um mil e seiscentos reais), porém a obra que já havia sido iniciada foi abandonada.

Após deixar a prefeitura, a obra da unidade ainda não havia sido concluída, o prefeito sucessor, no caso o prefeito Zum, ao invés de tentar resolver o problema, deu continuidade e foi omisso deixando a obra totalmente esquecida. No ano de 2019, terceiro ano de gestão do prefeito Zum, foi liberado mais uma parcela no valor de R$ 244.800,00 (duzentos e quarenta e quatro mil e oitocentos reais), porém, como os recursos estavam acumulando (por não serem aplicados na obra), todo o recurso foi bloqueado e a obra passou a ser investigada.

Leia Também:  Marco Feliciano, abre o verbo e revela que já usou cocaína.

Quando assumiu a gestão do município de Assis Brasil em janeiro de 2021, o atual prefeito Jerry Correia, procurou solucionar o problema e concluir a obra. O gestor foi até Brasília para tentar junto ao Ministério da Saúde uma alternativa legal para finalizar a construção, porém foi informado que todos os prazos já haviam acabado e que os últimos gestores seriam responsabilizados judicialmente.

Na mesma viagem que fez à capital federal em busca de solução para o problema em questão, o prefeito Jerry Correia solicitou da senadora Mailza Gomes recursos para construção de uma nova Unidade de Saúde na comunidade Divisão, uma vez que a construção que lá está não poderá ser concluída e encontra-se sob investigação pelo Ministério Público.

O pedido do gestor foi atendido e o Ministério da Saúde, por meio de emenda da senadora Mailza, deve liberar cerca de R$ 960.000,00 (novecentos e sessenta mil reais) para construir o tão sonhado posto de saúde daquela comunidade.

Os ex-gestores Humberto Gonçalves Filho e Antônio Barbosa de Souza devem ser responsabilizados por não terem aplicado o recurso do Ministério da Saúde corretamente, deixando os moradores da localidade prejudicados por falta de um posto de saúde que já deveria está funcionando há muito tempo.

Leia Também:  Vereadora Marinete mostra indícios de que Fernanda Hassem cometeu várias infrações político que podem levar a sua cassação

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA