Política Destaque

Ruy Birico recebe quase R$ 6 mil do governo Cameli para atacar o senador Petecão e Tião Bocalom

Publicados

Política Destaque

Comissionado do Governo Gladson Cameli, Ruy Birico ataca Bocalom e Petecão – Foto: Arquivo / Ruy Birico

O polêmico militante da direita Acreana Ruy Birico (PSL) é bastante conhecido por suas falas reacionárias e extremistas, contra quem ele achar que é adversário político de Gladson Cameli.

Comissionado na SEINFRA com um salário de quase R$ 6 mil por mês, Birico rebate toda e qualquer fala contra o governo de Gladson Cameli (PP), restando-lhe apenas criticar o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom e o senador Sérgio Petecão para tentar desviar o foco dos escândalos de corrupção no atual governo que segundo a Polícia Federal, Gladson Cameli é o chefe da quadrilha que desviou quase 1 bilhão da Educação e Saúde.

Nos últimos meses, Birico que amam o dinheiro do povo, vem gravando diversos vídeos e áudios em grupos de whatsapp, onde ataca a gestão de Tião Bocalom, que por incrível que pareça é do mesmo partido do chefe dele, o Progressista.

Aproveitando uma manifestação no Terminal Urbano de Rio Branco na manhã desta segunda-feira, Birico soltou os cachorros contra Bocalom e aproveitou para colocar Petecao no meio do desmantelo, sendo que o senador não tem nada a ver com a situação do transporte coletivo na capital, mas faz parte atacá-lo por conta da disputa de governo nas eleições deste ano.

Leia Também:  Ministra do STJ analisa nos próximos dias declarações de Gladson Cameli contra o deputado Daniel Zen

A campanha começou e o jogo vai ser bruto, Birico quer que seu governador (chefe de quadrilha) ganhe de novo as eleições pra que ele continue mamando nos cofres público do Estado.

Veja o Vídeo:

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: O ex-deputado federal, Sibá Machado, gravou um vídeo polêmico onde fez um desabafo contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, o Juiz Sérgio Moro e o governador do Acre, Gladson Cameli. Sibá não perdeu a oportunidade de alfinetar o gestor em se tratando do escândalo de corrupção no qual para a Polícia Federal, Cameli é tido como o chefe de uma organização Criminosa que desviou quase R$ 1 bilhão de reais dos cofres públicos do Estado.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter: 3 de Julho Notícias

Youtube: 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook: 3 de Julho Notíci

Página do Instagram: 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política Destaque

Governo paga R$ 14 mil para professores ficarem tomando banho de piscina na escola Armando Nogueira, professor das águas ainda debocha de colegas

Publicados

em

O fato de usarem a máquina pública para beneficiar meia dúzia de encostados tem gerado grande revolta dentro da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esportes- SEE, na gestão de Gladson Cameli, sobretudo, por conta dos benefícios financeiros que são disponibilizados para alguns, como é o caso da Escola Estadual Armando Nogueira.

Não é novidade que a educação estadual está em decadência devido a falta de compromisso com o trabalho a ser desenvolvido e por estar servindo de cabide de emprego, pois na Escola Armando Nogueira, ainda em 2021, dois professores foram lotados na piscina olímpica para desenvolver atividades pedagógicas para os alunos integrais e das escolas militares, mas até a presente data essas atividades não estão acontecendo.

O que chama a atenção é o fato de um desses professores, identificado como Everton Araújo de Lima, que é professor de Educação Física, ser parente do secretário de educação Aberson Carvalho e foi tirado de sala de aula, sem que a escola fosse consultada para ficar a disposição da piscina onde vai trabalhar quando quer, sem contribuir para a educação pública, apenas recebendo seus proventos mês a mês. A gestora afirmou que ficou surpresa quando Everton chegou na escola com um memorando em mão dizendo que iria ficar a disposição na piscina.

Leia Também:  Ministério Público instaura inquérito para averiguar possíveis irregularidades na contratação da empresa Ricco pela Prefeitura de Rio Branco

Já o outro professor, identificado como Luiz Rodomilson dos Santos, foi lotado na Escola Armando Nogueira em dezembro do ano passado, onde na oportunidade fez questão de dizer que ele era indicação da Secretaria para ficar a disposição da piscina e logo que foi lotado na escola seu salário era no valor de R$ 4.547,94 (quatro mil quinhentos e quarente e sete reais e noventa e quatro centavos).

Não satisfeito com o seu salário, Rodomilson chegou na escola ainda no início de fevereiro e disse que o secretário Aberson pediu que a escola solicitasse uma Dedicação Exclusiva – DE para ele (Rodomilson), mas a escola informou que a não pede dedicação exclusiva para professor. Como a escola não atendeu o desejo de Rodomilson, posteriormente ele chegou na escola dizendo que tinha resolvido tudo pela secretaria de educação. Com o passar do tempo, os demais professores começaram a questionar por que tinha um professor a disposição da piscina se não estava tendo atividades pedagógicas.

Na oportunidade a gestora da escola encaminhou um ofício a SEE, solicitando esclarecimento de porque havia professores lotado na piscina se a piscina não estava funcionando, mas a secretaria não respondeu. Incomodados, os demais professores consultaram o portal da transparência e vira que antes de solicitar Dedicação Exclusiva, Rodomilson recebia 4 mil reais e depois que Rodomilson falou que havia resolvido tudo pela secretaria ele passou a receber o valor de R$ 14.500,70 (quatorze mil e quinhentos reais e setenta centavos).

Leia Também:  No governo Cameli, mulher dá à luz em corredor deitada apenas em um colchonete na maternidade de Rio Branco

Diante do valor que Rodomilson recebe, os demais professores ficaram indignados por ver um professor lotado na piscina sem exercer nenhuma função pedagógica e ainda ganhando um salário exorbitante deste. A realidade da escola é que tem dois professores de educação física, mas os dois estão a disposição da piscina, ambos sem exercer nenhuma função pedagógica.

Veja os Vídeos:

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA