Política Destaque

Qual a credibilidade que Fernanda Hassem e Gladson Cameli tem para pedir votos? Vão dizer que a operação na prefeitura e no governo é perseguição política?!

Publicados

Política Destaque

Governador Gladson Cameli e a prefeita de Brasileia Fernanda Hassem – Foto: Reprodução / Arte Alemão Monteiro

Estamos vendo a vergonhosa história se repetir no município de Brasileia, durante a administração da prefeita Fernanda Hassem, onde sua péssima gestão têm estampado o município de Brasileia nas páginas policiais, e quando se trata de operação da Polícia Federal, pode-se dizer que essa situação vem de cima. Se pararmos para analisar, perceberemos que a situação do governo do estado e da prefeitura de Brasileia são bem semelhantes.

Seus administradores, Gladson Cameli, um dos piores governadores que já passaram pelo Palácio Rio Branco, e a prefeita Fernanda Hassem são parceiros e aliados políticos, por esse motivo parecem dividir os mesmos aspectos, inclusive, tem de certa maneira sincronizado suas administrações, pois o que vemos acontecer no governo também estamos vendo acontecer na prefeitura de Brasileia.

Ao longo dos meses as semelhanças vem aparecendo, como: honrar compromissos, onde Gladson e Fernanda não costumam praticar; ambos tem desenvolvido uma má administração e sobretudo operação da Polícia Federal que aconteceram tanto no governo do Estado, denominada de Operação Ptolomeu que investiga o desvio de quase 1 milhão de reais e aponta Gladson como o chefe da quadrilha envolvida, como também na prefeitura de Brasileia, denominada de Operação Tributo ao Caixa Dois que investiga apropriação de valores recolhidos a título de Imposto Municipal de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), onde os investigados o ex-secretário de Finanças, Tadeu Hassem (irmão da prefeita Fernanda), e outros servidores públicos. Diante dos recibos assinados pela prefeita Fernanda Hassem, a Polícia Federal investiga se a gestora tinha conhecimento da situação.

Leia Também:  “Cameli, o governador que vai usar saia”: Daniel Zen repudia a fala de Cameli, - Foi uma afronta as mulheres de Xapuri

Até mesmo os motivos de ambas operações são os mesmo, corrupção que envolve desvio de dinheiro público e o falso moralismo. Acredita-se que não foi por acaso que a prefeita Fernanda Hassem estreitou as relações com o governo de Gladson Cameli, e deve apoiá-lo para a reeleição pois tem empregado familiares mamando dinheiro publico e amigos mais próximos em alto escalão do Governo Cameli.

Veja abaixo as fotos da Operação Tributo ao Caixa Dois na prefeitura de Brasileia e no Setor de Cadastro:

Veja as fotos abaixo da Operação Ptolomeu no Governo de Gladson Cameli:

Polícia Federal também esteve na Casa Civil – Foto: Hugo Costa / Rede Amazônica Acre

PF realiza operação no apartamento do governador Gladson Cameli – Foto: Polícia Federal

Operação Ptolomeu: PF amanhece o dia em condomínio de Luxo de Manaus – Foto: Pedro Braga Jr.

Agentes ainda cumpriram cinco mandados de busca e apreensão em endereços localizados em Rio Branco – Foto: Polícia Federal

Cinco mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em Rio Branco, em endereços relacionados aos envolvidos – Foto: Polícia Federal

Leia Também:  Perpétua rebate Márcia Bittar que disse que professores ensinam crianças “a fazer sexo com pais e animais”

Saiba quem são os alvos de operação da PF contra cúpula do governo do Acre – Foto: Reprodução

Polícia Federal cumpriu mandado de busca no Palácio Rio Branco – Foto: Polícia Federal-AC

Operação Ptolomeu: PF apreende mais de R$ 3,4 milhões entre dinheiro e bens de investigados no AC – Foto: Polícia Federal-AC

Polícia Federal faz buscas na Secretaria de Estado da Indústria, Ciência e Tecnologia – Foto: Polícia Federal

Dinheiro em espécie foi apreendido na operação – Foto: Polícia Federal

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política Destaque

Se Gladson Cameli passar mais 4 anos como governador poderá ser o homem mais rico do Acre; em menos de 4 anos seu patrimônio cresceu 76%

Publicados

em

Ac24horas – O patrimônio do governador Gladson Cameli (PP), que busca a reeleição nas eleições deste ano, cresceu cerca de 76% nos últimos quatro anos. A informação consta no Portal DivulgaCand do Tribunal Superior Eleitoral que mostra os registros oficiais e contas eleitorais das eleições de 2022. A candidatura de Cameli e e da senadora Mailza como vice foi registrada nesta terça-feira, 9, no sistema eleitoral. O Progressista não realizou nenhum ato sobre o registro no Tribunal Regional Eleitoral.

De acordo com a lista de bens disponibilizada pelo candidato progressista, seu patrimônio totalizado em 2022 é de R$ 5,1 milhões (R$5.161.383,44). Nas eleições de 2018, quando concorreu pela cadeira de governador pela primeira vez, Cameli registrou R$ 2.9 milhões em bens e quando disputou o senado federal em 2014, seus bens eram avaliados em apenas R$ 514 mil.

De acordo com a lista de bens atualizados disponibilizadas pelo governador ao TSE, consta uma aeronave de R$ 1,5 milhões, dois carros de R$ 600 mil e R$ 449 mil, respectivamente, um terreno avaliado em R$ 600 mil e alíquota de empresas no valor de R$ 1 milhão. Esses são os itens mais caros declarados por Cameli.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Investindo na Educação: Prefeitura de Porto Walter adquire equipamentos para melhoria das escolas municipais
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA