Política Destaque

O Governo Gladson prometeu valorizar o servidor e não uma Reforma para deixá-los mais pobres , diz Jenilson

Publicados

Política Destaque

O deputado estadual Jenilson Leite ( PSB), vice-presidente da ALEAC, em reunião que vem fazendo com servidores públicos em alguns municípios esteve em Vila Campinas Vila, no município de Plácido de Castro, disse que a votação da previdência estadual, prevista para terça-feira , dia 26, não pode ser realizada pois os debates não terminaram e há questões obscuras e que prejudicam os servidores da ativa. 

Para o oposicionista, é inviável a votação amanhã dia 26 de novembro, sem que haja concordância dos sindicatos, pois ainda não foi concluído o debate sobre a reforma. ” Mesmo sem haver clareza no que está sendo votado, o governo quer ir tratorando. Não existe sequer regra de transição, desse modo, as pessoas que estão na ativa, não tem clareza como ficará sua situação , por falta dessa regra. E como o governo quer votar?”.
, questiona o parlamentar.

Para Leite, não é justo o governo Gladson colocar em votação um projeto sem ter concluído as discussões. ” Temos ciências que a reforma é necessária, mas não é justo votar um projeto que traz impacto na vida do trabalhador, sem que tenha sido concluído esse debate”.

Leia Também:  Diretor do Depasa é acusado de sabotar sistema de água para pressionar Gladson a pagar empresa da esposa

Ainda segundo o parlamentar, o governo apresentou um projeto final com aquilo que ele aceitou, e o que não foi aceito a respeito das reivindicaçãoes das categorias. Contudo, não houve tempo suficiente p de avaliar completamente esse projeto. ” Não podemos votar um projeto sem ter discutido os pontos dessa lei, haja vista que vai impactar na vida de quem trabalha para construir um Estado do Acre melhor . Não estamos de qualquer lei, estamos falando de um projeto que mexe nos recursos dos pais e mães de famílias”.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Política Destaque

Gladson Cameli e assessores estão em Brasília na tentativa de rifar Mailza Gomes de vez do jogo, a estratégia até aqui deu errado

Publicados

em

O governador Gladson Cameli (PP) e vários assessores próximos, estão em Brasília para uma maratona de reuniões e conversas que afunile na formação da chapa majoritária que disputará a reeleição do atual governo.

Acompanhado do deputado estadual José Bestene, do secretário da Casa Civil Jhonatan Donadoni, dos assessores Lívio Veras, Rômulo Grandidier e Alysson Bestene, segundo informações repassada ao portal 3 de Julho, Gladson Cameli tenta chegar a um entendimento com os postulantes a vaga de senado e vice na sua chapa.

A confusão está posta, pois ao menos dois nomes na briga pela vice e três pela pela a vaga de senado.

Rômulo Grandidier e Alysson Bestene duelam ferrenhamente para saber quem agrada mais o governador e assim compor na vice, já Mailza Gomes, Márcia Bittar e Alan Rick, fazem o “Duelo de Titãs” para saber quem será o escolhido na disputa de senado para enfrentar Vanda Milane e o ex-senador Jorge Viana.

Não será fácil fazer o casal Bittar desistir de empurrar Márcia na disputa, por outro lado, Gladson se agrada mais de Alan Rick. Outro obstáculos grande é convencer a senadora Mailza Gomes, que está no mandato e preside o Progressista.

Leia Também:  18 bebês morreram na maternidade de Tarauacá somente em 2019, denuncia vereadora

A operação tira Mailza não funciona e segundo informações vem deixando Gladson Cameli enfurecido. O clima é de guerra, vai se salvar quem tiver mais poder político e pelo jeito a senadora Mailza Gomes tem de sobra.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA