Política Destaque

Nadando em dinheiro: Deputados aprovam pedido de empréstimo de R$ 268 milhões para o governo Cameli

Publicados

Política Destaque

Os deputados aprovaram o pedido de empréstimo no valor de R$ 268 milhões feito à Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) pelo governo de Gladson Cameli, onde 20 parlamentares votaram a favor do pedido que foi aprovado durante sessão desta terça-feira (15).

O governador Gladson Cameli (Progressistas) e os deputados de sua base sempre criticaram a gestão passada por conta de empréstimos bancários, afirmava em alto e bom som que o Governo tem dinheiro e que não havia necessidade de contrair dívidas com banco.

Mas parece que ao chegar no poder, tudo não passou de falácias, pois agora Gladson Cameli (que tanto criticou o PT por conta de empréstimo) quer também contrair uma dívida no valor de R$ 268 milhões de reais junto ao Banco do Brasil.

Não só o empréstimo, mas também um projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) foram votados. Os deputados de oposição, Roberto Duarte (MDB) e Jenilson Leite (PSB) votaram contra o empréstimo. Já o deputado Fagner Calegário (Sem partido) não estava presente na sessão.

Leia Também:  Gladson Cameli passou mais de 120 dias viajando e recebeu R$ 130 mil em diárias em 2019

O líder do governo na Casa, deputado Gehlen Diniz, explicou as áreas em que o dinheiro deve ser investido. “Dinheiro vai ser usado em infraestrutura, manutenção de escolas e obras estruturantes no estado”, afirmou.

A decisão de desarquivar a LDO foi tomada durante reunião na manhã desta terça-feira na Casa Civil, com o governador Gladson Cameli e o secretário Ribamar Trindade.

Logo após a reunião na Casa Civil, a base do governo desarquivou o projeto de alteração da LDO na Aleac. O desarquivamento foi aprovado por dezesseis votos e seis contra.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Política Destaque

Governo paga R$ 14 mil para professores ficarem tomando banho de piscina na escola Armando Nogueira, professor das águas ainda debocha de colegas

Publicados

em

O fato de usarem a máquina pública para beneficiar meia dúzia de encostados tem gerado grande revolta dentro da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esportes- SEE, na gestão de Gladson Cameli, sobretudo, por conta dos benefícios financeiros que são disponibilizados para alguns, como é o caso da Escola Estadual Armando Nogueira.

Não é novidade que a educação estadual está em decadência devido a falta de compromisso com o trabalho a ser desenvolvido e por estar servindo de cabide de emprego, pois na Escola Armando Nogueira, ainda em 2021, dois professores foram lotados na piscina olímpica para desenvolver atividades pedagógicas para os alunos integrais e das escolas militares, mas até a presente data essas atividades não estão acontecendo.

O que chama a atenção é o fato de um desses professores, identificado como Everton Araújo de Lima, que é professor de Educação Física, ser parente do secretário de educação Aberson Carvalho e foi tirado de sala de aula, sem que a escola fosse consultada para ficar a disposição da piscina onde vai trabalhar quando quer, sem contribuir para a educação pública, apenas recebendo seus proventos mês a mês. A gestora afirmou que ficou surpresa quando Everton chegou na escola com um memorando em mão dizendo que iria ficar a disposição na piscina.

Leia Também:  Marilete Vitorino: Mantida sentença que anulou procedimento para cassar prefeita de Tarauacá

Já o outro professor, identificado como Luiz Rodomilson dos Santos, foi lotado na Escola Armando Nogueira em dezembro do ano passado, onde na oportunidade fez questão de dizer que ele era indicação da Secretaria para ficar a disposição da piscina e logo que foi lotado na escola seu salário era no valor de R$ 4.547,94 (quatro mil quinhentos e quarente e sete reais e noventa e quatro centavos).

Não satisfeito com o seu salário, Rodomilson chegou na escola ainda no início de fevereiro e disse que o secretário Aberson pediu que a escola solicitasse uma Dedicação Exclusiva – DE para ele (Rodomilson), mas a escola informou que a não pede dedicação exclusiva para professor. Como a escola não atendeu o desejo de Rodomilson, posteriormente ele chegou na escola dizendo que tinha resolvido tudo pela secretaria de educação. Com o passar do tempo, os demais professores começaram a questionar por que tinha um professor a disposição da piscina se não estava tendo atividades pedagógicas.

Na oportunidade a gestora da escola encaminhou um ofício a SEE, solicitando esclarecimento de porque havia professores lotado na piscina se a piscina não estava funcionando, mas a secretaria não respondeu. Incomodados, os demais professores consultaram o portal da transparência e vira que antes de solicitar Dedicação Exclusiva, Rodomilson recebia 4 mil reais e depois que Rodomilson falou que havia resolvido tudo pela secretaria ele passou a receber o valor de R$ 14.500,70 (quatorze mil e quinhentos reais e setenta centavos).

Leia Também:  Tá um desastre no governo Cameli!! Faltando poucos dias para retorno das aulas presenciais, escolas estaduais estão sem vigias, merendeiras e serventes

Diante do valor que Rodomilson recebe, os demais professores ficaram indignados por ver um professor lotado na piscina sem exercer nenhuma função pedagógica e ainda ganhando um salário exorbitante deste. A realidade da escola é que tem dois professores de educação física, mas os dois estão a disposição da piscina, ambos sem exercer nenhuma função pedagógica.

Veja os Vídeos:

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA