RIO BRANCO

Política Destaque

Governo sem líder: Gerlen Diniz abandona liderança um dia antes do retorno dos trabalhos na Assembleia Legislativa

Publicados

Política Destaque

Desgastado por liderar pautas impopulares, principalmente de retiradas de benefícios dos servidores, o deputado estadual Gerlen Diniz pula fora do barco e deixa o governo Gladson à procura de um novo líder na Assembleia Legislativa do Acre.

Marcada para reiniciar nesta terça-feira (4), as sessões ordinárias na Assembleia começam sem um líder de governo, já que o anuncio da saída foi confirmada ainda na segunda-feira.

Pessoas próximas ao deputado, alegam que o mesmo estaria insatisfeito com a cúpula do governo, que deixa de encaminhar as articulações feitas entre ele e a base de sustentação no parlamento.

O Deputado Gerlen liderou foi líder no início do governo Gladson e Rocha, passou pouco mais de três meses e saiu. O PDTista Luiz Tchê assumiu seu lugar e este também foi fritado, dando lugar ao próprio Gerlen, que reassumiu o posto dia 25 de setembro. Diniz liderou pautas polêmicas, a mais delas foi a Reforma da Previdência estadual, que foi aprovada sob protestos de todas as categorias de trabalhadores estaduais.

Leia Também:  Beechcraft Bonanza: Governo do Estado recebe mais um avião e aumenta frota para quatro aeronaves

O parlamentar Progressista, tem pretensões de disputar a prefeitura de Sena Madureira, mas até aqui ainda não confirmou se realmente irá encarar o atual gestor, Mazinho Serafim (MDB), ambos inimigos políticos ferrenhos.

De perfil linha dura o parlamentar recebeu críticas pela sua maneira de atuar e lidar com demais colegas, principalmente os de oposição.

O governador ainda não anunciou o substituto de Gerlen, mas não será fácil para encontrar algum outro na base, disposto a tocar a difícil tarefa de liderar um governo inconstante.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Política Destaque

Polícia Civil cumpre mandados de busca e apreensão em residências de suspeitos de envolvimento da Máfia dos Precatórios

Publicados

em

Acre in Foco – Policiais da Delegacia de Combate à Corrupção (Deccor), cumprem mandados de busca e apreensão autorizadas pela justiça nos endereços do advogado Cristopher Mariano, e do ex-procurador-geral do Estado do Acre João Paulo Setti.

A ação faz parte da operação Status Debitum, realizada nesta sexta-feira (21), pela Polícia Civil sob o comando do delegado Pedro Resende. A polícia investiga o que ficou conhecido por “máfia dos precatórios”, possível esquema de compra de precatórios com deságio, envolvendo figuras do governo que teriam se utilizado de informações privilegiadas. Milhões de reais teriam sido desviados dessa maneira.

O esquema foi revelado à PF em fevereiro de 2021, pelo ex-procurador-geral do Acre, Edmar Monteiro.

O caso que ficou conhecido por “Máfia dos Precatórios” é considerado o maior escândalo do governo Gladson Cameli (PP), por envolver entre os citados, desde o advogado de campanha de Cameli, a primeira dama do estado (Ana Paula Cameli foi sócia em 2021, do CM Advogados, de Chistopher Mariano), o ex-presidente da OAB e o ex-Procurador Geral do Estado. 

Em entrevista ao VídeoCast Cartas na Mesa, o Procurador Geral de Justiça aposentado, Edmar Monteiro, afirmou que imóveis estavam sendo comprados fora do Acre, por envolvidos no esquema dos precatórios.

O inquérito policial descobriu que, em julho de 2021, quando ainda era procurador-geral do estado do Acre, João Paulo Setti participou da compra de uma fazenda de 14 milhões de reais no Mato Grosso do Sul. E que em março de 2020 ele tinha adquirido um apartamento de 1 milhão de reais em Rio Branco. 

Leia Também:  Governador Gladson Cameli celebra mais de 5 mil vidas salvas do coronavírus e clama por colaboração dos acreanos

Em depoimento, o juiz Lois Arruda informou que em 2019, Setti, pedira uma audiência sobre precatórios ao então presidente do TJ do Acre, Francisco Djalma, na qual defendeu que os honorários advocatícios deveriam ser pagos com precatório, ou seja, pela população. Lois havia havia cancelado vários pagamentos, por ilegalidades, como a inclusão de honorários privados. O ex-presidente do TJ-Acre, Francisco Djalma, confirmou as declarações de Lois Arruda. O depoimento do juiz Lois Arruda foi prestado no início de setembro de 2021.

Dois meses depois, em 04 de novembro de 2021, o vice-governador Major Rocha (PSL), exonerou João Paulo Setti da função de Procurador-Geral do Estado, motivado pelas suspeitas que pesavam contra Setti. Rocha estava no exercício da função de governador por causa da viagem de Gladson Cameli à Europa. 

Ao reassumir o governo, Gladson Cameli, tornou a exoneração sem efeito. João Paulo Setti voltou ao cargo de Procurador Geral do Estado, uma semana depois.

A Seven Serviços Empresariais também está sendo alvo de buscas e apreensão. A Seven tem como sócia, a esposa de Erick Venâncio, que também é sócia do escritório de advocacia de Christopher Mariano. O escritório é acusado de ter comprado precatório com deságio e recebido em seguida o valor integral. Venâncio presidiu a OAB do Acre até 31 de dezembro de 2021, quando perdeu a eleição para Rodrigo Aiache.

Segundo a revista Carta Capital a Operação Status Debitum estava prevista para ser realizada em dezembro de 2021, mas teve que ser adiada em função da exoneração de João Paulo Setti no dia 23 de dezembro, desta vez pelo governador Gladson Cameli: ” A demissão seria uma forma de os investigados ganharem tempo na Justiça. Com Setti fora do governo, ele não teria mais foro especial, daí que o inquérito teria de deixar a alçada do TJ-AC e seguir para um  juiz de primeira instância. O que aconteceu. Foi um juiz de primeira instância que autorizou a operação desta sexta-feira 21″, diz a matéria.

Leia Também:  Beechcraft Bonanza: Governo do Estado recebe mais um avião e aumenta frota para quatro aeronaves

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: Em meio a maior crise do sistema de transporte coletivo dos últimos tempos, a população de Rio Branco vive um dilema e acorda todo dia sem saber se terá ônibus passando em sua região. O prefeito Tião Bocalom tentou amenizar o problema repassando R$ 2 milhões e quatrocentos mil para as empresas quitar os débitos com empregados, acordo não cumprido e que foi um dos motivos para a intervenção no setor.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter: 3 de Julho Notícias

Youtube: 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook: 3 de Julho Notíci

Página do Instagram: 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA