RIO BRANCO

Política Destaque

Em Brasília, prefeito Ilderlei Cordeiro articula construção do 1° complexo habitacional de Cruzeiro do Sul

Publicados

Política Destaque

O prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, esteve reunido na tarde desta quarta-feira (15), em Brasília, com o secretário adjunto da Coordenação e Governança do Patrimônio da União, Mauro Filho, para solicitar a devolução do terreno onde funcionava a Radiobrás, em Cruzeiro do Sul.

Localizado no bairro do Remanso, o espaço tem cerca de 10 hectares e pertencia ao município, mas foi cedido para a União há muito anos para a instalação das torres de transmissão. Com a desativação da Radiobrás, o prefeito Ilderlei quer a devolução do terreno.

“Estou há mais de um mês enviando documentos para a Empresa Brasileira de Comunicação, então eu fui lá no setor de Patrimônio da União, falar com o secretário adjunto Mauro para tentar adquirir este terreno de volta.

O secretário tem um carinho especial pela nossa cidade, já foi à Cruzeiro do Sul no ano passado, conhece nossa realidade e tenho certeza que vai nos ajudar a consolidar esta demanda”, explicou o gestor.

Com a devolução, o objetivo do prefeito Ilderlei é transformar o local no primeiro complexo habitacional predial de Cruzeiro do Sul. 

Leia Também:  Prefeito Tião Bocalom nega negociatas para apoiar Gladson Cameli e diz que seu candidato em 2022 é o senador Petecão

“Lá vai atender as demandas das famílias de baixa renda que não tem uma habitação. No local construiremos prédios com apartamentos e vai ter área de lazer, praça, creche, quadras, campo de grama sintética, área de caminhada, parque, mercados, enfim, um complexo com várias estruturas que vão beneficiar o desenvolvimento e a qualidade de vida da população”, detalhou o prefeito.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Política Destaque

Ministério Público investiga Chefe de Material da Zeladoria por possível desvio de ferramentas dos garis e margaridas

Publicados

em

A 2º Promotoria Especializada de Defesa do Patrimônio Público e Fiscalização das Fundações e Entidades de Interesse Social, do Ministério Público Estadual, instaurou investigação contra a Divisão de Material e Patrimônio, órgão da Zeladoria Municipal de Rio Branco.

Segundo a Promotora de Justiça Laura Cristina de Almeira Miranda, os fatos consubstanciam, “em tese, na prática de possíveis atos de improbidade administrativa, no âmbito da Divisão de Material e Patrimônio, órgão integrante da estrutura da Secretaria Municipal de Zeladoria da Cidade – SMZC, acerca de desvio de ferramentas de trabalho em proveito próprio ou alheio pelo atual Chefe da Divisão, o Sr. Jaffesson Rodrigues”, destacou.

Jaffesson Rodrigues de Freitas é o Chefe da Divisão de Material e Patrimônio, indicado pelo Secretário da Zeladoria, Joabe Lira, e foi nomeado pelo prefeito Tião Bocalom, através do Decreto nº. 290, de 21/01/2021, publicado no DOE, edição 12.967, fls. 123.

A investigação do MP apura possíveis desvios das ferramentas de trabalho que seriam utilizadas por garis e margaridas, como vassourões, vassourinhas, enxadas, limas, rastelos, lonas, etc.

Leia Também:  Após “gafe amadora”, Mailza e James Gomes viram motivo de “chacota” no Superior Tribunal de Justiça

A Notícia de Fato relata que garis e margaridas estariam adquirindo, com dinheiro próprio, desde janeiro de 2021, as ferramentas de trabalho, utilizadas na limpeza pública de Rio Branco, ao passo que a Zeladoria não estaria regularmente fornecendo as ferramentas, mesmo existindo contratos para aquisição e ordens de pagamento a favor de empresas fornecedoras.

Serão analisados pelo MP, cópia integral dos Termos de Cautela; cópia integral do Inventário Patrimonial; cópia integral dos contratos de aquisições de materiais; cópia integral dos relatórios de controle de estoque (discriminando datas das entradas e saídas de material e/ou ferramentas de trabalho e nomes dos trabalhadores que utilizam o material); cópia do organograma da Divisão de Material e Patrimônio da Zeladoria Municipal da Cidade, e ainda os nomes e funções de cada servidor que atuam na referida Divisão da Zeladoria.

A Promotoria de Justiça já expediu notificação, requisitando informações, ao prefeito Tião Bocalom e ao secretário Joabe Lira, que deverão prestar esclarecimentos no prazo de 10 dias.

Leia Também:  Governador Gladson Cameli assina ordem de serviço de R$ 3,2 milhões para manutenção de ramais em florestas

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA