RIO BRANCO

Política Destaque

Aos trancos e barrancos e quase sem nada no governo Cameli, MDB se mantém na base pelos cargos de Flaviano Melo

Publicados

Política Destaque

Governador Gladson Cameli e o deputado Federal Flaviano Melo – Foto: Arquivo Flaviano Melo

Dentre os grandes partidos que integram a base de sustentação do governo Gladson Cameli (Progressista), o MDB é com certeza o patinho feio da lista do Governador Gladson.

O partido que tem dois deputados federais, três estaduais e não tem um senador porque Márcio Bittar vazou, o MDB fica só assistindo a uma quase humilhação institucional por parte do Palácio Rio Branco.

O MDB não tem sequer uma secretaria para acomodar seus quadros, pois o Pecuarista Neném Junqueira, que até então tinha sido nomeado na SEPA por indicação do partido, revelou que seu cargo é da cota pessoal do governador, inclusive a informação foi confirmada pelo próprio Gladson Cameli.

Outra pasta que era ocupada pelo Partido, a de Turismo, Empreendedorismo que tinha a ex-deputada Eliane Sinhasique no comando, foi dada para a senadora Mailza Gomes (Progressista).

O que ainda garante o MDB na base é o poder da caneta do presidente estadual, Deputado Flaviano Melo, que detém alguns cargos na SEPA e na SEDUR, inclusive sua esposa é uma das Diretoras nomeadas na pasta de produção.

Leia Também:  Com vagas para o Acre concurso da AGU está em pauta com 100 oportunidades e salário de quase 20 mil

Nas bandas do Juruá a palavra de ordem é revolta com o tratamento dado por Gladson Cameli, que mesmo o partido tendo duas deputadas na região, Jéssica e Antônia Sales, o governo não tem dado prestígio algum.

Para piorar agonia do Glorioso, o planejamento da disputa eleitoral de 2022 feito pelo Palácio Rio Branco, não conta com os MDBistas na chapa.

Jéssica Sales já deu declarações sobre o assunto, dizendo que será candidata ao senado, seja na chapa de Gladson Cameli ou não. O ano está só iniciando e as articulações estão a todo vapor.

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: O ex-deputado federal, Sibá Machado, gravou um vídeo polêmico onde fez um desabafo contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, o Juiz Sérgio Moro e o governador do Acre, Gladson Cameli. Sibá não perdeu a oportunidade de alfinetar o gestor em se tratando do escândalo de corrupção no qual para a Polícia Federal, Cameli é tido como o chefe de uma organização Criminosa que desviou quase R$ 1 bilhão de reais dos cofres públicos do Estado.

Leia Também:  Major Rocha diz que vai passar a história dos possíveis desvios de recursos da merenda escolar a limpo e que instaurou inquérito para apurar possível faturamento na compra de computadores para SEE

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter: 3 de Julho Notícias

Youtube: 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook: 3 de Julho Notíci

Página do Instagram: 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política Destaque

Deputados recebem áudios de servidores da Saúde que choram exaustos pelo excesso de trabalho e lamentam fim do pagamento do auxílio

Publicados

em

O deputado Neném Almeida (Podemos), cobra a volta do pagamento do auxílio – Foto: Reprodução

Acre in Foco – O governo do Acre pagou a última parcela do Auxílio Temporário de Emergência em Saúde (ATS), no mês de dezembro de 2021. Esse adicional de insalubridade destinava-se a suprir os gastos excepcionais e emergenciais decorrentes da exposição excessiva de agentes públicos aos efeitos da pandemia.

Cada funcionário da linha de frente de combate à pandemia de covid-19 recebeu um adicional de cerca de R$ 500 por mês, desde julho de 2021. Um ano e 4 meses depois do intenso trabalho contra o coronavírus. A pandemia de covid-19 se intensificou a partir de março de 2020. O mês de férias dos servidores não foi contemplado com o auxílio que também não foi pago no mês de setembro, garantem os funcionários da Saúde.

O auxílio acabou em dezembro de 2021. Em janeiro de 2022, a covid-19 associada a gripe H3N2 voltaram a lotar as unidades de saúde. O padrão de 5 pacientes para cada técnico foi alterado para 14 pacientes para cada técnico. Um número considerado impossível: “é desumano”, chora de exaustão a servidora em áudio enviado aos deputados.

Leia Também:  Ministério Público investiga Chefe de Material da Zeladoria por possível desvio de ferramentas dos garis e margaridas

Isso vem acontecendo com frequência e a gestão da unidades não consegue resolver porque não tem profissional suficiente para atender a demanda”, afirma diretoria de Unidade de Saúde.

O deputado Neném Almeida (Podemos), cobra a volta do pagamento do auxílio e justifica: “muitos destes servidores após o contato com essa doença ficaram com sequelas (respiratória, ansiedade, depressão) e outros chegaram a perder a própria vida nessa guerra. Eles voltaram a ser muito exigidos no combate à doença, em 2022 e por isso é extremamente importante que todos os servidores que estejam na linha de frente, sejam contemplados com o benefício”.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA