RIO BRANCO

Polícia

Seis índios são presos acusados de estuprar jovem em Santa Rosa

Seis índios da tribo Kaxinawa e Katukina são presos acusados de estuprar jovem no município de Santa Rosa

Publicados

Polícia

Seis índios da tribo Kaxinawa e Katukina são presos acusados de estuprar jovem no município de Santa Rosa 

INDIOS_IN_EPoliciais militares e civis prenderam na madrugada de quinta-feira, 04, Roberto Montes Badu (29), José Abraão Kaxinawa de Lima (33), Dávila Dimarri Badu (24), Valdecir Monte (20) e mais dois menores de 14 e 16 anos, índios das tribos Kaxinawas e Katukinas acusados de juntos após bebedeira estuprar uma jovem Katukina de 16 anos no município de Santa Rosa do Purus.

A prisão só foi possível após denuncia via Centro Integrado de Operações (CIOSP), que alertava sobre o estupro, agentes de polícia civil e militar do município se empenharam na busca aos suspeitos e prenderam os quatro entre eles dois menores em visível estado de embriagues. Ao serem perguntados sobre o estupro, todos confessaram o crime.

Os quatro maiores foram recambiados para Rio Branco pelo Departamento de Polícia Capital e Interior (DPCI), onde ficaram sobre a responsabilidade do Delegado Nilton Boscaro que dará continuidade ao caso e os dois menores infratores foram encaminhados para o município de Sena Madureira onde devem permanecer apreendidos na casa do menor.

Leia Também:  Polícia Militar prende trio que abatia gados e apreende uma espingarda calibre 16 no município de Tarauacá

A vítima menor de 16 anos realizará exames médicos para a comprovação do crime e passará a ser assistida por acompanhamento psicológico e social.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Polícia

Homem conhecido por Sombra é preso enquanto carregava corpo com pernas decepadas em barco pelo Rio Môa

Publicados

em

Homem é flagrado enquanto carregava corpo de vítima torturada em barco na zona rural do AC – Foto: Arquivo

Claudinei Sombra dos Santos, de 19 anos, foi flagrado enquanto carregava o corpo de um homem dentro de um barco pelo Rio Môa, na zona rural do município de Mâncio Lima. A vítima, que ainda não foi identificada, foi morta com tiros e teve as pernas decepadas. O corpo segue no Instituto Médico Legal (IML) em Cruzeiro do Sul.

Segundo o portal G1 Acre, o suspeito descia de barco pelo rio saindo da comunidade Timbaúba em direção a Mâncio Lima, quando passou pela base do Exército na comunidade São Salvador. Foi então que os militares fizeram uma abordagem e perceberam que ele estava muito nervoso e, ao verificarem o barco, encontraram o corpo da vítima.

A polícia foi acionada e foram enviadas duas equipes – uma da Polícia Civil e outra da Polícia Militar – para fazer o translado do corpo e a condução do preso. O local onde o suspeito foi flagrado fica a cerca de 10 horas de barco da cidade de Mâncio Lima e ele foi preso nesse domingo (16).

Leia Também:  Policiais Federais realizam nova paralisação no Acre

Conforme o delegado responsável pelas investigações, José Obetaneo do Santos, a motivação do crime ainda está sendo apurada.

“Vamos concluir o flagrante e verificar qual foi a verdadeira motivação desse crime. Na conversa preliminar com o acusado, ele apenas disse que se desentendeu com esse homem e que não o conhecia e que por conta desse desentendimento veio o dolo de matar e ele matou. O médico legista disse que ele foi alvejado por disparo arma de fogo e teve as pernas decepadas. A vítima foi torturada”, disse o delegado.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA