Polícia

Polícia tenta capturar preso que fugiu do HUERB e ele acaba baleado ao jogar carro contra PM

Publicados

Polícia

Luis Fernando Maia de Souza era procurado desde junho deste ano depois de fugir do PS de Rio Branco — Foto: Arquivo/Iapen-AC

Um cumprimento de mandado de prisão terminou com duas pessoas feridas em confronto com a polícia, na noite desse sábado (4), no bairro Aviário, em Rio Branco.

Conforme registro de ocorrência, policiais civis tentavam recapturar o preso Luis Fernando Maia de Souza, que fugiu de dentro do Pronto Socorro de Rio Branco em junho deste ano, quando ele resolveu jogar o carro para cima do veículo usado pela equipe policial.

Para tentar conter Souza, os policiais fizeram disparos de arma de fogo contra o carro que ele dirigia. E, por fim, tanto ele, como a mulher que estava no banco de passageiro, identificada como Jhenifer Lopes do Nascimento, ficaram feridos no confronto.

Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada e levou os dois para o PS e Souza ficou acompanhado por policiais. A direção do hospital informou que Souza está intubado, em estado considerado gravíssimo e aguardando UTI. A jovem que estava com ele e também ficou ferida, recebeu alta médica.

Leia Também:  Policia Militar apreende 11 pacotes de entorpecente no Bairro Pista em Sena Madureira

Em junho deste ano, o presidiário foi internado no PS após se sentir mal e ser avaliado por equipe médica. Depois de cerca de oito dias no hospital, mesmo estando acompanhado de policiais penais, ele pediu para usar o banheiro e acabou conseguindo fugir. Desde então, ele era procurado pela polícia.

Segundo o Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC) informou na época, a última entrada do preso no sistema penitenciário havia sido em dezembro de 2019, quando respondia pelo crime de receptação. Com informações do G1 Acre.

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: O Gefron apreendeu dentro de Van do município de Brasileia aproximadamente 150 kg de entorpecente, seria esta a maior apreensão daquela regional. De acordo com informações preliminares, o veículo da prefeitura iria realizar mais um transporte de pacientes que estão fazendo tratamento em Rio Branco quando foi surpreendido pelo policiais, após revistarem os pacientes e o veículo encontraram em uma sacola preta com todo o entorpecente.

Leia Também:  Polícia Militar por meio do GIRO apreende arma de fogo e munições em bairro de Brasileia

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter: 3 de Julho Notícias

Youtube: 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook: 3 de Julho Notíci

Página do Instagram: 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia

Operação apura esquema de compra de votos nas eleições municipais de 2020 em Tarauacá

Publicados

em

Operação da PF apura esquema de compra de votos nas eleições municipais de 2020 no AC — Foto: Arquivo/PF-AC

A Polícia federal e o Ministério Público Eleitoral deflagraram, nesta quarta-feira (25), a operação “Klerotorion” para apurar crimes de corrupção eleitoral ativa e passiva, associação criminosa e peculato ocorridos durante as eleições municipais de 2020 em Tarauacá, no interior do Acre.

Ao todo, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão nas casas dos investigados. Conforme a PF, as investigações começaram em agosto do ano passado, quando foi descoberto um esquema de compra de votos operado por associação criminosa formada por um vereador, dois ex-secretários de saúde e um servidor público municipal. A polícia não divulgou os nomes dos alvos.

As investigações apontaram que os candidatos investigados negociaram votos com eleitores para os cargos de prefeito e vereador da cidade de Tarauacá. Ainda segundo a PF, eles entregavam aos eleitores vantagens como dinheiro, passagens rodoviárias, gêneros alimentícios e outros.

Durantes as diligências policiais, ficou constatado que parte dos recursos usados na compra de votos era do cofre público, o que também caracteriza o crime de peculato. Por isso, os investigados podem responder pelos crimes de corrupção eleitoral, associação criminosa e peculato. Cerca de 16 policiais federais participaram da operação. Com informações do G1 Acre.

Leia Também:  Policial Civil aposentado pode ter sido a primeira vítima por morte causada pelo coronavírus no Acre

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA