Polícia

Ministério Público apura caso de menino de 12 anos soterrado enquanto brincava em terreno de Tarauacá

Publicados

Polícia

MP/AC – O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por meio da Promotoria Cível de Tarauacá, instaurou procedimento para apurar a eventual ausência de licenciamento ambiental e consequente extração ilícita de barro no local em que um menino de 12 anos foi soterrado enquanto brincava no último domingo, 12, no bairro Ipepaconha.

O promotor de Justiça Júlio César de Medeiros solicitou uma vistoria, por meio do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Patrimônio Histórico e Meio Ambiente (CAOP-Maphu), que realizou os registros fotográficos para verificar a ausência de isolamento, bem como a falta de sinalização e o livre trânsito de pessoas no local.

O MPAC também solicitou ao Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac) que informe as atividades de extração mineral em que há licença vigente em Tarauacá e realize vistoria na área onde ocorreu o óbito e em duas outras áreas, atualmente em operação, a fim de verificar a regularidade da atividade.

Além disso o promotor de Justiça do município requisitou que sejam vistoriadas as áreas anteriormente licenciadas pelo Imac, que atualmente estão desativadas, visando verificar o cumprimento das condicionantes das licenças em relação à eventual recuperação ambiental da área, como nivelação de solo e cercamento do local.

Leia Também:  Investimentos na segurança promovem a modernização e redução de atividades criminosas no sistema prisional do Juruá

Em caso de inexistência de licença ou autorização para extração de recursos minerais, a promotoria de Justiça cível deve fazer os devidos encaminhamentos a fim de se apurar o crime previsto pelo art.55 da Lei nº 9.605/98, que dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia

Operação Narco Brasil 2022, deflagrada em Feijó, Tarauacá e Rio Branco, prende investigados por tráfico de drogas

Publicados

em

Operação Narco Brasil 2022 cumpriu mandado judiciais em Rio Branco, Tarauacá e Feijó — Foto: Arquivo/Polícia Civil

Duas pessoas foram presas nesta quarta-feira (29) durante a Operação Narco Brasil 2022 deflagrada em Feijó e Tarauacá, cidades do interior do Acre, e na capital acreana, Rio Branco. Os presos, de 20 e 25 anos, são investigados por terem envolvimento com uma carga de 25 quilos de maconha apreendida em janeiro na Rodoviária Internacional de Rio Branco.

Na ação, policiais da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico (Denarc) e das delegacias locais, cumpriram oito mandados judiciais, sendo: dois de busca em Rio Branco, três de busca em Feijó, um em Tarauacá e dois mandados de prisão.

O investigado de 20 anos foi preso em Tarauacá e o de 25 anos em Feijó. O nome da operação é em alusão ao Dia Internacional Contra o Abuso e Tráfico Ilícito de Drogas, celebrado o último dia 26.

Apreensão de maconha

No dia 14 de janeiro deste ano, um jovem de 23 anos foi preso na Rodoviária de Rio Branco com 25 quilos de maconha que estavam escondidos dentro de uma mala.

Leia Também:  Após liberação, Acre aguarda orientação do Ministério da Saúde para aplicar CoronaVac em crianças e adolescentes

A prisão ocorreu por meio da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico (Denarc) que levantou informações de que o jovem estava no ônibus que havia saído de Rondônia. Os policiais, ao fazerem buscas com a companhia de cães, acabaram localizando a droga.

Logo em seguida, foi identificado de quem era o entorpecente e o jovem preso em flagrante. Ainda conforme as informações da polícia, a droga seria levada para a cidade de Feijó, no interior do Acre. Com informações do G1 Acre.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA