RIO BRANCO

Polícia

Justiça mantém prisão de grupo acusado de chacina contra família boliviana próximo de Acrelândia e Plácido de Castro

Publicados

Polícia

Família boliviana foi executada a tiros após pai flagrar acreano estuprando menina de 14 anos – Foto: Arquivo Polícia Civil

Os seis brasileiros envolvidos no crime bárbaro contra uma família boliviana na fronteira do Acre tiveram as prisões mantidas. A decisão é do juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri, Alesson Braz.

O crime ocorreu no último dia 13 de setembro próximo das cidades acreanas de Acrelândia e Plácido de Castro, na região de fronteira com a Bolívia. Uma mulher boliviana e os dois filhos foram mortos a tiros depois que a filha de 14 anos foi estuprada por um acreano.

Ao reavaliar a prisão preventiva dos seis acusados, o magistrado entendeu que não há novos fatos no processo que possibilitem a revogação da prisão. O juiz também levou em consideração o grau de periculosidade dos réus.

Entre os acusados estão Gean Carlos Alves da Silva, José Francisco Mendes de Sousa, Geane Nascimento da Silva, Gean Carlos Nascimento da Silva, Gilvan Nascimento da Silva e Luciano Silva de Oliveira. Todos da mesma família.

O sétimo acusado, Gilvani Nascimento da Silva, de 19 anos, que teria sido o pivô de toda confusão que terminou em tragédia, foi assassinado a tiros no último dia 6 de abril, em Rio Branco. Na mesma decisão, o juiz Alesson Braz declarou extinta a punibilidade contra Silva.

Ainda na decisão, o magistrado determinou que seja marcada a audiência de instrução e julgamento do processo.

Leia Também:  Carreta que seguia para o Acre com 50 toneladas de açúcar tomba

Em novembro do ano passado, o grupo tinha sido denunciado pela promotoria de Acrelândia, no interior do estado. Mas, por se tratar de um crime cometido por brasileiros na fronteira, o caso foi remetido para a capital e tramita na 2ª Vara do Tribunal do Júri.

A nova denúncia foi feita no último dia 3 de maio deste ano e aceita pelo juiz Alesson Braz no dia 6 de maio. Ainda não há audiência marcada.

A reportagem tentou contato com o Tribunal de Justiça para saber mais detalhes sobre o andamento do processo. No entanto, como está em segredo de Justiça, o órgão não comentou o caso. A reportagem também não conseguiu contato com os advogados dos denunciados.

O inquérito policial foi concluído no dia 7 de outubro do ano passado. Em dezembro, a promotora responsável pelo caso, na época, em Acrelândia, Bianca Bernardes Moraes, confirmou que todos os sete tinham sido denunciados e aguardavam audiência.

Na época, ela informou ainda que o adolescente apreendido suspeito de participação no crime já tinha sido representado, julgado e condenado. No entanto, Bianca não informou o tempo de condenação do menor e nem por qual crime.

Inicialmente, as sete pessoas [incluindo o que foi morto] foram denunciadas pelos crimes de triplo homicídio qualificado, corrupção de menor, ocultação de cadáver, estupro, homicídio tentado, posse ilegal de arma de fogo e por integrarem organização criminosa. Desta vez, o G1 não conseguiu confirmar por quais crimes eles foram denunciados.

Leia Também:  Assaltante aponta arma pra mulher e causa pânico em crianças na capital

Os seis acusados estão presos no Complexo Penitenciário de Rio Branco. O último foi preso no dia 30 de dezembro de 2020 na cidade de Acrelândia. Mas, a prisão só foi confirmada pela Polícia Civil no início de fevereiro desse ano. O adolescente condenado por participação no crime do crime está apreendido em um centro socioeducativo de Rio Branco. Por Iryá Rodrigues, G1 Acre

Corpos foram achados na propriedade da família boliviana na área de fronteira – Foto: Arquivo/PM-AC

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: Neném Almeida subiu o tom com o que chamou de negligência e falta de gestão do governo Gladson. “O mais difícil foi comprar o aparelho de Raio X e ele está parado a três meses em Tarauacá por falta de instalação”, disparou. O parlamentar fez questão de lembrar da manifestação ocorrida em Cruzeiro do Sul, que teve aniversário de 7 da não instalação do Tomógrafo para o hospital Regional do Juruá. O governo é incompetente meus amigos, o governo que tanto falou em gestão mostra que não tem gestão.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter 3 de Julho Notícias

Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook 3 de Julho Notíci

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias , seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos , seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci , seja membro e compartilhe.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Polícia

Bebê de um mês é resgatada de cárcere privado após mãe denunciar agressões na polícia e pai é preso em Sena Madureira

Publicados

em

Homem deve ser indiciado por tentativa de feminicídio contra filha de um mês e por lesão corporal contra a esposa, além de ameaça – Imagem ilustrativa (Foto: Pixabay)

Uma bebê de apenas um mês de vida foi resgatada neste domingo (24) por policiais militares da cidade de Sena Madureira após sofrer tentativa de homicídio pelo próprio pai. O homem, identificado como Lucas Tavares da Silva, 24 anos, que é monitorado por tornozeleira eletrônica, foi preso em flagrante.

Conforme a Polícia Militar, a mãe da criança estava no hospital da cidade machucada após conseguir fugir de casa, onde o marido a mantinha, junto com a filha, em cárcere privado.

A mulher relatou à polícia que o marido tinha chegado em casa sob efeito de drogas e começou a agredir ela e a filha com socos, chutes e enforcamento.

Homem colocou faca no pescoço da filha e jogou bebê no chão

A equipe policial foi até o local, no Centro da cidade, e o homem disse que não iria entregar a criança, por ser sua filha. O homem então, segundo a polícia, pegou duas facas e colocou no pescoço do bebê.

Foi feita tentativa de negociação para que ele se entregasse e libertasse a criança, mas o homem acabou jogando a filha no chão. Com o impacto, a menina desmaiou. Quando o homem voltou a se aproximar da bebê com a faca na mão, os policias entraram no local e conseguiram imobilizá-lo.

Leia Também:  Polícia Civil prende homem acusado de se passar por advogado e aplicar golpes em três cidades do Alto Acre

A bebê foi levada para o hospital da cidade ainda desacordada, mas no trajeto até a unidade, voltou a respirar.

Por conta do estado de saúde, ela foi transferida por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Pronto Socorro de Rio Branco. Ao g1, a direção da unidade informou que a menina passa por exames para ver se teve alguma lesão interna, que está sendo acompanhada por pediatra e não corre risco de morte.

O homem foi levado para a delegacia de Sena Madureira, junto com as duas facas usadas no crime.

A delegada Mariana Gomes, responsável pelo caso, disse que vai ouvir o homem ainda neste domingo e adiantou que ele deve ser indiciado pelos crimes de tentativa de feminicídio contra menor de 14 anos, por lesão corporal contra a mulher e também por ameaça a uma testemunha.

“A ocorrência foi apresentada pela Polícia Militar e os atendimentos cabíveis estão sendo feitos. Está sendo lavrado o flagrante dele por tentativa de feminicídio e por lesão corporal contra mulher no âmbito doméstico com relação à mãe, que também sofreu agressões. A mulher está até de resguardo ainda. Além desses dois crimes, ele vai responder por ameaça. A criança e a mãe passaram por exame de corpo delito”, disse a delegada. As Informações do G1 Acre

Leia Também:  Adolescente cai de cima de vagões e tem perna e braço arrancado

Homem ameaçou matar filha de um mês com faca durante abordagem policial no interior do AC – Foto: Arquivo/PM-AC

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: Vereadora Neiva Badotti solicita do secretário de Ação Social providências sobre as crianças Haitianos que fica na ponte todo os dias pedindo dinheiro, e que o Poder Público proporcione dignidade para essas crianças. Neiva solicita também que seja encaminhado um oficio para a gerente do hospital para saber se chegou algum saco funerário doado pela prefeitura, comprado com o dinheiro do covid, e que solicita que seja agendado novamente a reunião com a secretaria de segurança pública do estado, para se tratar sobre o IML, pois a mais de 20 anos o problema se arrasta e até o momento nada foi resolvido.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter 3 de Julho Notícias

Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook 3 de Julho Notíci

Página do Instagram 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA