Polícia

Júri de taxista acusado de matar a mulher na Bolívia por ciúmes na frente do filho é adiado

Publicados

Polícia

Taxista segue preso por outros crimes em Rio Branco. Jéssica dos Santos de Paula foi morta na frente do filho – Foto: Arquivo pessoal

O júri popular do taxista Euclides Alves de Oliveira, de 32 anos, marcado para esta sexta-feira (10), foi adiado pela 1ª Vara do Tribunal do Júri de Rio Branco. Oliveira é acusado de matar a mulher, Jéssica dos Santos de Paula, na frente do filho deles em 2018.

A Justiça afirmou que o ‘processo foi colocado na pauta por equívoco, pois ele ainda encontra-se no TJ-AC em grau de recurso da sentença de pronúncia’. A retirada do processo da pauta também era um pedido da defesa do taxista.

A Justiça deve marcar uma nova data posteriormente.

O advogado do taxista, Mauro Marcelino Albano, entrou com recurso contra a sentença de pronúncia no Superior Tribunal de Justiça e aguarda resposta.

Euclides Oliveira foi indiciado por homicídio qualificado por motivo torpe, feminicídio, violência doméstica e crime cometido na frente do filho. A denúncia foi apresentada ao Judiciário em março de 2020. O acusado confessou o crime. Ele está preso no Complexo Penitenciário de Rio Branco por condenação em outros crimes.

Leia Também:  Três bandidos morreram durante confronto com policiais civis

Crime

Jéssica foi morta no dia 23 de outubro de 2018 na cidade de Cobija, na Bolívia, mas o caso foi encaminhado para ser investigado no Acre em junho de 2019 e o acusado foi pronunciado a júri popular pela 1ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Rio Branco.

Segundo informações do processo, o acusado e Jéssica tinham se separado e depois reataram o relacionamento, mas ele soube que ela teria se relacionado com outra pessoa durante o período em que estavam separados.

Depois de reatar o relacionamento, Euclides Oliveira descobriu que a mulher estava trocando mensagens com a mesma pessoa. O crime ocorreu após ela receber uma ligação sem identificação. Os dois brigaram e a mulher pulou em cima dele, foi quando ele pegou a arma e atirou nela. Jéssica morreu no local. Veja mais no G1 Acre

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: Em consonância com a Lei Nº 3.7757, de 13 de julho de 2021, a Assembleia Legislativa do Estado do Acre traz uma campanha de conscientização “Dezembro Verde”, há toda a população com relação aos animas, principalmente os que estão em situação de rua, pois os pets são o símbolo de amor ao próximo e o melhor amigo do homem, então ame-o!!

Leia Também:  Vídeo: jovem é executado na Bolívia e autoridades investigam se crime tem relação com os conflitos do Acre

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter: 3 de Julho Notícias

Youtube: 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook: 3 de Julho Notíci

Página do Instagram: 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia

Operação apura esquema de compra de votos nas eleições municipais de 2020 em Tarauacá

Publicados

em

Operação da PF apura esquema de compra de votos nas eleições municipais de 2020 no AC — Foto: Arquivo/PF-AC

A Polícia federal e o Ministério Público Eleitoral deflagraram, nesta quarta-feira (25), a operação “Klerotorion” para apurar crimes de corrupção eleitoral ativa e passiva, associação criminosa e peculato ocorridos durante as eleições municipais de 2020 em Tarauacá, no interior do Acre.

Ao todo, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão nas casas dos investigados. Conforme a PF, as investigações começaram em agosto do ano passado, quando foi descoberto um esquema de compra de votos operado por associação criminosa formada por um vereador, dois ex-secretários de saúde e um servidor público municipal. A polícia não divulgou os nomes dos alvos.

As investigações apontaram que os candidatos investigados negociaram votos com eleitores para os cargos de prefeito e vereador da cidade de Tarauacá. Ainda segundo a PF, eles entregavam aos eleitores vantagens como dinheiro, passagens rodoviárias, gêneros alimentícios e outros.

Durantes as diligências policiais, ficou constatado que parte dos recursos usados na compra de votos era do cofre público, o que também caracteriza o crime de peculato. Por isso, os investigados podem responder pelos crimes de corrupção eleitoral, associação criminosa e peculato. Cerca de 16 policiais federais participaram da operação. Com informações do G1 Acre.

Leia Também:  Ex-carcereiro acusado de fornecer armas para presos é absolvido e defesa diz que vai pedir reintegração ao quadro de funcionários

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA