RIO BRANCO

Educação

Jovem morre após ser atingido por apagador de lousa em escola de São Paulo

O estudante Fernando Henrique Fragali, de 15 anos, morreu depois de ser atingido na cabeça por um apagador de lousa atirado por uma adolescente, na Escola Estadual Professor Ariovaldo da Fonseca, em Ibitinga, interior de São Paulo.

Publicados

Educação

O estudante Fernando Henrique Fragali, de 15 anos, morreu depois de ser atingido na cabeça por um apagador de lousa atirado por uma adolescente, na Escola Estadual Professor Ariovaldo da Fonseca, em Ibitinga, interior de São Paulo.

lousa

A suposta agressão ocorreu na última quinta-feira, 22, mas o garoto morreu no sábado, 24, na Santa Casa de Araraquara. A Polícia Civil abriu inquérito para apurar a causa da morte.

De acordo com o delegado Márcio Moretto, testemunhas disseram que os estudantes brincavam no intervalo das aulas, quando uma garota atirou o apagador na direção de Fernando. Atingido na nuca, ele teria perdido os sentidos. Quando voltou a si, começou a passar mal e a vomitar. A mãe do aluno foi chamada pela direção da escola e o estudante foi levado para o Pronto-Socorro Central. Dali, o garoto foi transferido para a Santa Casa de Ibitinga. Como o paciente não se recuperava, ele foi transferido no dia seguinte para a Santa Casa de Araraquara, onde morreu.

Segundo o delegado, o caso só chegou ao conhecimento da polícia depois que o aluno morreu. “Não houve uma comunicação da escola e as informações chegaram truncadas”, disse. Ele aguarda o resultado do exame feito no Instituto Médico Legal (IML) para apurar a causa da morte. Foram colhidas amostras para exames químicos, a fim de apurar se o estudante havia ingerido alguma substância que possa ter contribuído para a morte. Ele investiga também se uma avaria na ambulância na viagem, que atrasou em duas horas a transferência do paciente para Araraquara, teve alguma influência.

Leia Também:  Ex-presidiário é assassinado no Conjunto Esperança na capital

De acordo com a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, a direção da escola lamenta profundamente a morte de um se seus alunos. “Todo apoio e solidariedade estão sendo prestados aos familiares e o caso é investigado pela polícia”, informou em nota. A Diretoria Regional de Ensino de Taquaritinga, que responde por Ibitinga, também abriu uma apuração preliminar. “A administração regional e a direção da unidade permanecem à disposição da família”, conclui a nota.

Estadão Conteúdo

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Educação

Escola infantil de Rio Branco é desativada por falta de saída de emergência; alunos são transferidos

Publicados

em

Alunos do pré I têm vaga garantida na Escola Menino Jesus — Foto: Prefeitura de Vilhena/Reprodução

A Secretaria de Educação de Rio Branco (Seme) precisou transferir cerca de 140 alunos para outros colégios após a desativação do prédio onde funcionava a Escola Alexandre dos Santos Leitão, no Centro da capital.

É que o local não tem saída de emergência e não atende os padrões de projeto exigidos pelo Corpo de Bombeiros do Acre.

A Educação informou que, ao longo dos anos, fez algumas intervenções no prédio para tentar melhorar o acesso, porém, as limitações do espaço impossibilitaram ‘a implementação de uma rota de fuga que atenda os padrões de projeto exigidos pelo CBM/AC’.

Com o fechamento, a Seme fez as seguintes transferências: Alunos que concluíram o pré I serão encaminhados para a Escola Municipal Menino Jesus, no Centro de Rio Branco; Alunos que concluíram o pré II serão encaminhados às escolas estaduais para o 1º ano do Ensino fundamental; A pasta destacou ainda que os alunos do pré I já têm vaga garantida na Escola Menino Jesus. O prédio onde funcionava a escola é cedido ao Poder Público e, por isso, a prefeitura não pode investir recursos públicos. Com informações do G1 Acre.

Leia Também:  Polícia desarticula grupo que cometia roubos na Sobral, em Rio Branco

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: O ex-deputado federal, Sibá Machado, gravou um vídeo polêmico onde fez um desabafo contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, o Juiz Sérgio Moro e o governador do Acre, Gladson Cameli. Sibá não perdeu a oportunidade de alfinetar o gestor em se tratando do escândalo de corrupção no qual para a Polícia Federal, Cameli é tido como o chefe de uma organização Criminosa que desviou quase R$ 1 bilhão de reais dos cofres públicos do Estado.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter: 3 de Julho Notícias

Youtube: 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook: 3 de Julho Notíci

Página do Instagram: 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA