Polícia

Homem é condenado há 16 anos de prisão por matar a namorada com tiro na cabeça após “roleta-russa”

Publicados

Polícia

Alessandro Silva Magalhães passa passou por júri popular nesta quarta-feira (22) – Foto: Reprodução

Alessandro Silva Magalhães foi condenado a 16 anos de prisão por matar a namorada, Cristina Raquel dos Santos, de 20 anos, em maio de 2020 em Rio Branco. A vítima foi atingida por um disparo de arma de fogo na cabeça após uma discussão do casal.

Na denúncia consta também que os dois tinham participado de uma ”brincadeira de roleta-russa” no dia anterior ao crime. O homicídio ocorreu no bairro Jorge Lavocat, na capital, e o suspeito fugiu após o disparo. Magalhães foi preso em setembro do ano passado no bairro Conquista, mais de um ano após o crime.

O julgamento do acusado começou após às 8h, nesta quarta-feira (22), na 1ª Vara do Tribunal do Júri e a sentença foi anunciada após às 15h. Ele não pode recorrer em liberdade.

Alessandro Magalhães foi condenado por homicídio doloso, com a qualificadora de feminicídio e recurso que dificultou a defesa da vítima.

Leia Também:  Em Sena Madureira, Polícia já ouviu mais de 20 pessoas em caso de adolescentes encontrados em cova

“Ele não pode recorrer em liberdade porque já tem uma condenação transitando em julgado por outro fato. A defesa já entrou com recurso”, resumiu.

A defesa do acusado chegou a pedir, durante audiência de instrução e julgamento, que fosse derrubada a qualificadora de feminicídio e que ele respondesse por homicídio culposo, alegando que ele não teve intenção de matar. Mas, a juíza Luana Campos decidiu aceitar o pedido do Ministério Público e pronunciá-lo por homicídio doloso, com a qualificadora de feminicídio, além de recurso que dificultou a defesa da vítima.

O advogado do réu, Sidney Lopes Ferreira, disse que já entrou com recurso contra a sentença. Veja mais no G1 Acre

Cristina Raquel dos Santos Barros, de 20 anos, morreu em maio de 2020 com um tiro na cabeça – Foto: Reprodução / Rede Amazônica Acre

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia

Operação Narco Brasil 2022, deflagrada em Feijó, Tarauacá e Rio Branco, prende investigados por tráfico de drogas

Publicados

em

Operação Narco Brasil 2022 cumpriu mandado judiciais em Rio Branco, Tarauacá e Feijó — Foto: Arquivo/Polícia Civil

Duas pessoas foram presas nesta quarta-feira (29) durante a Operação Narco Brasil 2022 deflagrada em Feijó e Tarauacá, cidades do interior do Acre, e na capital acreana, Rio Branco. Os presos, de 20 e 25 anos, são investigados por terem envolvimento com uma carga de 25 quilos de maconha apreendida em janeiro na Rodoviária Internacional de Rio Branco.

Na ação, policiais da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico (Denarc) e das delegacias locais, cumpriram oito mandados judiciais, sendo: dois de busca em Rio Branco, três de busca em Feijó, um em Tarauacá e dois mandados de prisão.

O investigado de 20 anos foi preso em Tarauacá e o de 25 anos em Feijó. O nome da operação é em alusão ao Dia Internacional Contra o Abuso e Tráfico Ilícito de Drogas, celebrado o último dia 26.

Apreensão de maconha

No dia 14 de janeiro deste ano, um jovem de 23 anos foi preso na Rodoviária de Rio Branco com 25 quilos de maconha que estavam escondidos dentro de uma mala.

Leia Também:  Polícia Militar apreende veiculo que foi alugado mas não foi devolvido e recupera veículos roubado em Epitaciolândia

A prisão ocorreu por meio da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico (Denarc) que levantou informações de que o jovem estava no ônibus que havia saído de Rondônia. Os policiais, ao fazerem buscas com a companhia de cães, acabaram localizando a droga.

Logo em seguida, foi identificado de quem era o entorpecente e o jovem preso em flagrante. Ainda conforme as informações da polícia, a droga seria levada para a cidade de Feijó, no interior do Acre. Com informações do G1 Acre.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA