RIO BRANCO

Mundo

Conheça a tribo que se alimenta de carne de cadáveres humanos e urina

Tribo Aghori, que vive em Varanasi, uma cidade da Índia, pratica estranhos rituais como os de se alimentar de carne humana e urina.

Publicados

Mundo

Tribo Aghori, que vive em Varanasi, uma cidade da Índia, pratica estranhos rituais como os de se alimentar de carne humana e urina.

humanos mortos

mort..

Temidos pelos indianos, a tribo Aghori, que vive em Varanasi, uma cidade do estado de Uttar Pradesh, na Índia, conhecida localmente como Kashi, se alimenta de carne humana e cultiva rituais estranhos a nós. 

As imagens que você verá agora foram feitas pelo fotógrafo Cristiano Ostinelli, que passou algum tempo entre eles para tentar conhecer mais do modo de vida dos Aghori. 

Ostinelli capturou estas imagens de tirar o fôlego, que mostram os tribais com rostos pintados de brancos e usando colares, entre outras curiosidades. 

Os membros da tribo misteriosa vivem em cemitérios e locais de cremação da Índia, por acreditam que o deus Shiva e a deusa Kali Ma ali habitam. Ele também comem a carne humana dos cadáveres jogados no rio e bebem urina, como parte de seus rituais. 

Além disso, mastigam as cabeças de animais vivos e meditam sobre os cadáveres, a fim de alcançarem iluminação espiritual. 

Leia Também:  Desabamento de teto de igreja na Nigéria mata 160 pessoas

De acordo com Ostinelli, os indianos os temem e dizem que os Aghori podem prever o futuro e andar sobre as águas. 

Os monges da tribo usam uma combinação de maconha e álcool para meditarem, a fim de se aproximarem do venerado deus hindu, Shiva. 

Os Aghori também evitam bens materiais e andam completamente nus nas ruas.

humanos mortos 1

Fonte: Daily Mail /techmestre.com

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Mundo

Veja o Vídeo: travestis rasgam orelha e quebram 3 dentes de policial federal

Publicados

em

Metrópoles – Um policial federal foi espancado por pelo menos três travestis na madrugada deste sábado (23/10), na Avenida Colombo, no município de Maringá (PR). As imagens mostram o momento em que elas reclamam de falta de pagamento por um programa.

A gravação flagrou diversos golpes desferidos contra o agente. A confusão ocorreu em frente ao prédio da Secretaria de Mobilidade (Semob) do município. O federal, de camiseta cinza, tenta fugir, mas em certo momento, uma delas grita: “Não deixa ele entrar no carro”. Uma outra afirma que o policial a ameaçou com uma arma.

Outra tomada mostra o homem caído no chão, com agentes da Semob no local após intervenção para conter o linchamento. Ainda assim, uma travesti levanta a cabeça do policial caído e acerta outro golpe. “Se mostra agora, mostra o seu rosto”, grita.

Segundo o boletim de ocorrência registrado na Polícia Civil do Paraná (PCPR), o agente teve três dentes quebrados e uma orelha rasgada, além de várias lesões pelo corpo.

Leia Também:  Desabamento de teto de igreja na Nigéria mata 160 pessoas

Questionado na delegacia sobre como teria começado a confusão, ele afirmou não lembrar de nada. O homem apresentou carteira funcional da corporação, confirmando ser servidor. Apesar disso, no documento consta ser “agente federal sem posse de arma”. Foi questionado a PF o porquê de estar suspensa a posse de arma do funcionário público, mas não obteve resposta até a última atualização deste texto.

O homem foi levado à 9ª Subdivisão Policial de Maringá, já que estava com uma arma de fogo, da Tauros, modelo G2C, calibre 9mm. A arma de fogo foi apreendida. Nenhuma das travestis foi detida.

Veja o Vídeo:

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: Vereadora Neiva Badotti solicita do secretário de Ação Social providências sobre as crianças Haitianos que fica na ponte todo os dias pedindo dinheiro, e que o Poder Público proporcione dignidade para essas crianças. Neiva solicita também que seja encaminhado um oficio para a gerente do hospital para saber se chegou algum saco funerário doado pela prefeitura, comprado com o dinheiro do covid, e que solicita que seja agendado novamente a reunião com a secretaria de segurança pública do estado, para se tratar sobre o IML, pois a mais de 20 anos o problema se arrasta e até o momento nada foi resolvido.

Leia Também:  Dois homens atira contra caixão em um velório e coloca fogo na igreja

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter 3 de Julho Notícias

Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook 3 de Julho Notíci

Página do Instagram 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA