Geral

Secretário diz que jamais pretendeu culpar a imprensa por criminalidade

Emylson Farias usou o Facebook para rebater as críticas feitas pelo advogado Sérgio Quintanilha.

Publicados

Geral

Emylson Farias usou o Facebook para rebater as críticas feitas pelo advogado Sérgio Quintanilha.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Nesta segunda-feira (16), o secretário da Polícia Civil, Emylson Farias, afirmou que nunca pretendeu transferir a culpa da criminalidade à imprensa e que estava se manifestando sobre o episódio para acabar com possível mal-entendido a cerca de suas declarações durante um programa de entrevista na semana passada.

Emylson usou sua página no Facebook para rebater as críticas do advogadoSérgio Quintanilha, que disse que o secretário foi deselegante e sofria de ‘grave depressão, estafa mental e desequilíbrio emocional momentâneo’ por acreditar que os jornalistas seriam os responsáveis pelos altos índices de violência.

Para o secretário, ao se posicionar dessa forma o advogado estaria demonstrando estar desinformado. Ele disse que apenas fez referência à cultura da violência de forma genérica e citou que ‘alguns meios de comunicação’ fomentam a violência.

“Qualquer pessoa minimamente sensata entenderia que, em nenhum momento da entrevista, insinuei que era o (a) jornalista que puxava o gatilho, que assaltava, que se armava, ou que fosse culpado dos problemas relacionados à segurança pública. Veria que o que fiz foi emitir opinião sobre os efeitos ou impactos que toda a mídia voltada para a violência causava à sociedade. Uma coisa é informar, cobrir um fato que envolva violência ou notícia policial. Outra é fazer sensacionalismo em cima das desgraças noticiadas com o fito de obter audiência”, explica.

Veja o post de Sérgio Quintanilha AQU

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Núcleo do Procon em Cruzeiro do Sul inicia operações de fiscalização na área comercial do município

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Geral

Defensoria Pública se reúne com Diretoria da Unimed em busca de melhorias no atendimento infantil

Publicados

em

Na tarde desta quarta-feira, 18, a Defensoria Pública do Estado do Acre (DPE/AC) se reuniu com a Diretoria da Unimed Rio Branco, para expor as reclamações recebidas dos usuários do atendimento prestado no único hospital de urgência e emergência infantil do estado do Acre, a Urgil, credenciada pela Unimed.

De acordo com o ofício enviado a DPE/AC pela Urgil, 95% do total de atendimentos do hospital são provenientes de usuários de planos de saúde, dos quais 70% são usuários da Unimed.

Na oportunidade, a Diretoria da Unimed, composta pelo presidente, Antônio Herbert Leite Militão, pelo vice-presidente, Marcus Vinicius Shoiti Yomura e pelo superintendente, Renato Correia da Silva, além do assessor jurídico Maurício Spada, mostrou-se sensível à problemática e se comprometeu a encontrar alternativas que não deixem as crianças que necessitem de atendimento de urgência e emergência em situação de total dependência da Urgil.

O encontro ainda possibilitou esclarecimentos sobre o modo de atuação da operadora de saúde e culminou com o agendamento de nova reunião para o dia 28 de junho, quando então a Unimed apresentará a DPE/AC medidas mais concretas para a melhoria dos serviços.

Leia Também:  Paciente que adquiriu infecção hospitalar deve receber R$ 10 mil de indenização do Hospital Santa Juliana

Os defensores públicos Celso Araújo Rodrigues, do Núcleo da Cidadania, Rodrigo Chaves, do Subnúcleo de Superendividamento e Ações do Consumidor, a defensora pública Juliana Caobianco, do Subnúcleo de Direitos Humanos 1 (SDH1), a assistente do SDH1, Larissa Damasceno e as representantes dos usuários do plano de saúde, arquiteta Talita Gomes e a advogada Vanessa Facundes, demonstraram satisfação com os encaminhamentos da reunião, reiterando a necessidade de a Unimed adotar medidas céleres e efetivas que resguardem os direitos desses consumidores.

“Foi muito importante esse diálogo para reafirmamos a nossa preocupação e compromisso com nossos usuários, além de esclarecer que estamos procurando um caminho, uma solução”, disse o presidente da Unimed Rio Branco, Herbert Militão.

O defensor público Rodrigo Chaves, destacou que a instituição está à disposição para contribuir, ouvir e atuar de forma conjunta para dar mais celeridade ao caso.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA