RIO BRANCO

Geral

SAFRA: Cheia causar prejuízos à agricultura no Acre

Cheia já começa a causar graves prejuízos à agricultura de Rio Branco e SAFRA age intensamente para apoiar ribeirinhos

Publicados

Geral

Cheia já começa a causar graves prejuízos à agricultura de Rio Branco e SAFRA age intensamente para apoiar ribeirinhos

Foto: Marcos Vicentti

Foto: Marcos Vicentti

A prefeitura de Rio Branco, através da Secretaria Municipal de Agricultura e Floresta (SAFRA), está reforçando o apoio aos ribeirinhos e produtores em toda a zona rural da cidade atingida pela cheia do Rio Acre e seus afluentes. Embora parte da produção tenha sido perdida, a SAFRA está ajudando os moradores de regiões mais distantes e aqueles que não têm como adotar providências por si próprios.

O trabalho de apoio aos ribeirinhos está sendo coordenado pelo diretor do Departamento de Produção Rural da Secretaria de Agricultura, Jorge Rebouças. Na última terça-feira, 24, ele e o titular da SAFRA, Mário Jorge Fadell, e seus técnicos estiveram vistoriando a situação nas comunidades do Catuaba, Liberdade, Belo Jardim, Extrema e Panorama, Colibri, Limoeiro e Oriente.

Foto: Marcos Vicentti

Foto: Marcos Vicentti

Os moradores do Liberdade e do Catuaba estão neste momento isolados pela via terrestre. A ponte sobre o Igarapé Liberdade foi tomada pelas águas. Esta ponte liga as comunidades ao ramal Belo Jardim sendo a única via de acesso terrestre. Os danos à estrutura da ponte ainda não podem ser avaliados.

Leia Também:  Dupla é presa por roubar carreta com de óleo de cozinha em Rio Branco

Outro ponto de isolamento é a ponte sobre o Igarapé Preto, que liga a comunidade do Catuaba e Vista Alegre ao Ramal Belo Jardim, região que registra vários pontos de alagação que impedem a passagem de veículos.

Nas comunidades do Colibri, Limoeiro e Orientes foram perdidos três hectares de mandioca e milho. No Catuaba, Liberdade e Extrema foram perdidos mais de 20 hectares de mandioca e quiabo. Para evitar prejuízo total, os produtores optam, como medida emergência e não rotineira, arrancar a mandioca e fabricar goma. Essa medida é antieconômica, segundo a SAFRA, porque reduz em 50% o ganho de produção devido à antecipação forçada da colheita.

Foto: Marcos Vicentti

Foto: Marcos Vicentti

Produtores antecipam colheita como medida emergencial

Além das orientações a respeito da cheia do rio Acre, a prefeitura de Rio Branco também está fazendo um levantamento dos danos e prejuízos causados, além de fornecer transporte para que os produtores possam escoar a produção que não foi perdida até a cidade.

Para não perder a produção que ficou debaixo d’água, os agricultores anteciparam a colheita, parte dela já comprometida com a cheia. Além disso, muitas famílias trabalham em regime de mutirão, já que a maior dificuldade nesta época do ano é em relação à mão-de-obra.

Leia Também:  Jovem é preso com cocaína que saiu de Brasiléia rumo a Xapuri

Assim como ocorreu no ano passado, antecipar a colheita tem sido a tônica entre os produtores. O fato da prefeitura de Rio Branco, através da SAFRA, estar presente no cotidiano dos agricultores com um processo de mecanização que apoia na produção ajudou a recuperar boa parte dos produtos, mesmo com o nível do rio acima dos dezesseis metros.

Casas começam a ficar isoladas pela água

Além do transporte, em situação emergencial a Prefeitura de Rio Branco também ajuda no fornecimento de água potável para os moradores que estão ilhados e não tem como sair de suas casas até que o nível das águas comece a baixar. Até a terça-feira, três residências estavam alagadas no Colibri e Limoeiro. Nas demais comunidades não foram encontradas residências afetadas, informa o relatório da SAFRA.

O apoio da Prefeitura, reafirmou Mário Jorge Fadell, tem reduzido de maneira substancial os danos e perdas durante a alagação.

Foto: Marcos Vicentti

Foto: Marcos Vicentti

Fonte: oriobranco.net

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Geral

Cuidados com iluminação natalina devem ser redobrados para evitar acidentes, alerta Defesa Civil de Rio Branco

Publicados

em

Luzes de natal (Foto: Reprodução | Pinterest | Bloglovin/)

Com a chegada das festas de fim de ano e o uso dos tradicionais enfeites natalinos nas decorações, acende bem mais do que o clássico pisca-pisca, mas também o alerta em alguns cuidados que devem ser adotados para evitar acidentes, segundo orientações da Defesa Civil de Rio Branco.

O coordenador da Defesa Civil, major Claudio Falcão, afirma que é preciso ficar atento aos materiais manipulados nesta época.

“Na instalação de pisca-pisca, por exemplo, às vezes são usados vários plugs na mesma tomada e isso faz aquecer. Também tem que ver a qualidade devido ao superaquecimento que acontece, porque têm alguns que não são certificados pelo Inmetro [Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia] e quando ficam por várias horas ligados, o superaquecimento leva ao risco de incêndio”, explicou.

Um curto-circuito causou um incêndio em um pet shop na noite de sábado (4), na Avenida Chico Mendes. Segundo o Corpo de Bombeiros, a suspeita é que, possivelmente, o foco tenha sido no ar-condicionado, um curto-circuito. “Não sabem precisar se foi do ar-condicionado ou se das luzes de Natal que estavam próximas ao aparelho”, disse o comandante do 2º Batalhão, tenente Alexandre Veras.

Leia Também:  Motocicleta é recuperada durante Operação Saturação Máxima, na capital

Falcão disse ainda que os materiais de enfeites natalinos, geralmente são inflamáveis, ou seja, de fácil combustão.

“Mas, a questão elétrica deve ser muito bem observada, se tem certificação, quantas horas o material pode ficar ligado para não correr riscos, com o cuidado de fazer as divisões da quantidade de lâmpadas por tomadas, para evitar carga elétrica, para evitar acidentes que podem ocorrer muito”, acrescentou.

Além disso, outro alerta é para que quando se trata de uma instalação maior, é necessário que o responsável seja alguém especializado. “Normalmente, em estabelecimentos comerciais, requer uma quantidade maior do que a residencial, então, que eles procurem alguém que tenha conhecimento para prestar auxílio.”

Mais dicas:

As ligações desses enfeites devem ficar longe do alcance de crianças e de ornamentações como cortinas, tapetes ou móveis de MDF.

Artigos decorativos não devem ser instalados próximos aos postes ou fios da rede elétrica.

Em ambientes externos deve-se atentar para cercas, grades ou qualquer parte metálica.

Na hora da reutilização dos enfeites é importante conferir a integridade do condutor de energia (fio).

Emendas e conexões malfeitas devem ser evitadas ao máximo, pois os fios não devem ter seu isolamento (capa protetora) rompido ou conexões e emendas com folga.

Leia Também:  Quedas na comunicação na fronteira foi ocasionada por queimadas

Não deixe os fios no chão, onde há circulação de pessoas, veículos e animais. Por G1 ACre.

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: O Gefron apreendeu dentro de Van do município de Brasileia aproximadamente 150 kg de entorpecente, seria esta a maior apreensão daquela regional. De acordo com informações preliminares, o veículo da prefeitura iria realizar mais um transporte de pacientes que estão fazendo tratamento em Rio Branco quando foi surpreendido pelo policiais, após revistarem os pacientes e o veículo encontraram em uma sacola preta com todo o entorpecente.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter: 3 de Julho Notícias

Youtube: 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook: 3 de Julho Notíci

Página do Instagram: 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA