Geral

Rio Juruá ultrapassa cota de alerta e atinge cerca de 250 famílias em Cruzeiro do Sul

Publicados

Geral

Rio Juruá ultrapassa cota de alerta e atinge cerca de 250 famílias em Cruzeiro do Sul — Foto: Bruno Vinícius/Rede Amazônica

O Rio Juruá continua subindo e ultrapassou a cota de alerta, que é de 11,80 metros, em Cruzeiro do Sul, no interior do Acre. Segundo dados da Defesa Civil Municipal, o manancial marcou 12,28 metros neste sábado (19) e já atinge cerca de 250 famílias.

O coordenador municipal da Defesa Civil da cidade, José Lima, informou que ainda não foi preciso retirar nenhuma família de suas residências, mas que o órgão monitora as áreas de risco. Segundo ele, a água do rio já está nos quintais de muitas casas, o que já atrapalha a locomoção dos moradores.

Entre os bairros já atingidos estão: Lagoa, Miritizal, Várzea e Cruzeirinho

Plano de contingência

O coordenador explicou ainda que o risco de enchente existe até o mês de abril e que a Defesa Civil já está com plano de contingência preparado para ser colocado em ação caso seja necessário. Somente após o rio alcançar a marca de 13,30 metros é que iniciam os trabalhos para montagem de abrigos.

Leia Também:  Vídeo: Deputado Leo de Brito denuncia que quase 79 mil famílias vão ficar sem renda no Acre

“Estamos 48 centímetros acima da cota de alerta, mas o rio está estabilizado desde sexta [18] à noite. O plano de contingência está pronto, sabemos que alagação pode ocorrer até o mês de abril. A partir da cota de transbordo, que é de 13 metros, até 13,30 metros, as famílias são levadas para aluguel social. Passou disso, começa a construção dos abrigos. Também só após atingir a cota de transbordo é que começa a ser desligada a energia elétrica dos locais atingidos”, informou Lima.

Com a subida do rio, o coordenador orienta que as famílias tenham cuidado com animais peçonhentos. “É preciso ter atenção nessa época, porque esses animais, principalmente cobras e escorpiões, saem do seu habitat e vão para dentro das residências a procura de abrigo e alimentos.” Por G1 Acre.

E Veja Também no 3 de Julho Notícias – Acre 24 Horas

Veja o Vídeo Abaixo: Os servidores da Educação do estado estão revoltados, com tanto descaso do governo Gladson Cameli com a maior categoria do Acre. Os servidores liderados pelo Sinteac, alegam que o governo descumpriu acordo judicial firmado com a categoria e que só iniciam o ano que vem tiver cumprimento do que foi acordado. Os servidores estiveram mais uma vez na frente da casa Civil e manifestaram sua insatisfação com Gladson Cameli.

Leia Também:  Noiva faz declaração de amor em outdoor de Cruzeiro do Sul

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter: 3 de Julho Notícias

Youtube: 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook: 3 de Julho Notíci

Página do Instagram: 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Geral

Projeto Rhuamm, que cria rede de proteção de crianças e adolescentes, é lançado pela Defensoria Pública

Publicados

em

Depois de quase um ano de elaboração, articulações e formação de parcerias, o Projeto Rhuamm – Rede Humanizada de Apoio a Meninas e Meninos, coordenado pelo Núcleo da Cidadania da Defensoria Pública, foi lançado na manhã desta terça-feira, 24, reunindo representantes das instituições que atuarão em conjunto para ampliar as ações preventivas de forma a evitar o abuso e a violência praticada contra crianças e adolescentes em Rio Branco, cidade que abrigará o projeto-piloto.

O nome e a motivação para a criação do projeto vieram do caso envolvendo o menino Rhuan, morto de forma violenta em 2019 pela mãe e a namorada dela, em Brasília. A Defensoria Pública do Acre, por meio do defensor Celso Araújo Rodrigues, que hoje coordena o Núcleo de Cidadania, responsável pelo projeto, se mobilizou para trazer ao Acre o corpo da criança e apoiar a família paterna.

“A Defensoria Pública, diante de uma das suas prerrogativas, que é proteger a criança e o adolescente, criou, desenvolveu e está executando este projeto. A intenção é acolher e tratar crianças vítimas de violência. Os casos serão encaminhados ao núcleo do Projeto, principalmente pelas escolas”, explica o defensor Celso Araújo.

A defensora-geral, Simone Santiago, lembra que o projeto “nasceu naquele fim de semana trágico”. “Primeiro nasceu no coração do Dr. Celso e ele veio conversar comigo e com a Dra. Roberta e nós o abraçamos. Sabíamos que sozinhos, com nosso instrumento, não poderíamos fazer com que esse projeto alcançasse seu objetivo. Minhas palavras são de agradecimento. Sabemos que estamos no caminho certo e avisamos a sociedade de que estamos atentos, que existem vários atores que estão olhando para as crianças. Este é o nosso recado. Estamos todos abraçados por uma causa, das mais justas, que é a proteção de crianças e adolescentes”, ressaltou a defensora-geral.

Leia Também:  Tribunal de Justiça defere pedido de professora para redução na carga horária de trabalho para cuidar de filho deficiente

O Rhuamm visa estabelecer parceria com o sistema de garantia de direitos e irá capacitar profissionais envolvidos no projeto e nas escolas de ensino infantil e fundamental de Rio Branco, oferecendo também orientação aos gestores escolares e aos pais das crianças de 0 a 11 anos, público-alvo do projeto, entre outras atribuições.

Família de Rhuan participa de solenidade

Parte da família paterna de Rhuan, avós, tias e primo, compareceu ao lançamento do projeto. “Esse projeto é muito importante para as crianças. Vou morrer e ele vai ficar aí pra dar orgulho pra minha família. Espero que as escolas, as diretoras procurem conversar com as crianças, quando verem uma criança triste pra saber o que está acontecendo. Que todas as escolas façam parte desse projeto, porque é muito bom e vai dar resultado”, disse Francisco das Chagas, avô de Rhuan.

A secretária adjunta dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Fernanda Ramos Monteiro, que participou do evento de forma virtual, apresentou projetos e ações da política nacional de prevenção à violência contra crianças e adolescentes.

Leia Também:  Enquanto Gladson come do bom e do melhor, servidores terceirizados amargam o salário atrasado

A secretária adjunta divulgou dados que apontam a redução de 41% do número de mortes por agressão a crianças e adolescentes no Brasil em comparação à média registrada entre 2012 e 2018.

São parceiros do Projeto Rhuamm o Tribunal de Justiça do Acre, Ministério Público, Defensoria Pública da União, Ministério Público do Trabalho, Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente, Sebrae, Polícia Militar, Centro Universitário

Uninorte e Prefeitura de Rio Branco, por meio do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente, SASDH, Seme, Centro Especializado de Referência em Assistência Social, Semsa, Centro Pop e Conselho Tutelar.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA