Geral

PM conclui 2º Curso de Operador de Aeronave remotamente pilotada para área de Inteligência

Publicados

Geral

A Polícia Militar do Acre (PMAC), por meio da Assessoria de Inteligência e Análise Criminal (ASSEIAC), concluiu nesta sexta-feira, 10, o 2º Curso de Formação de Operadores de Aeronaves Remotamente Pilotadas (RPA) – conhecido popularmente como drone – voltado à atuação da Inteligência Policial. A solenidade de encerramento ocorreu no auditório da Escola do Poder Judiciário, do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC).

O curso que ocorreu de 06 a 10 de junho, contou com a participação de policiais militares, civis, penais, federais e rodoviários federais, além de membros do Tribunal de Justiça, Ministério Público, Agência Brasileira de Inteligência – ABIN e da Secretaria de Justiça e Segurança Pública (SEJUSP). Com duração de 50h, os profissionais saem com experiência na pilotagem dos RPAS.

Durante as instruções, os profissionais tiveram acesso aos conteúdos de Aspectos Introdutórios de RPA, Configuração do Drone, Legislação Aplicada, além da Prática e Segurança de Voo, Planejamento de Ações de Inteligência com o uso de RPA e Operações de Inteligência. Os profissionais estão habilitados a executarem suas atividades de forma mais segura e eficiente.

Leia Também:  UFAC inicia mais um curso de doutorado com apoio de emenda do deputado Leo de Brito

Comandante-geral da Polícia Militar do Acre (PMAC), coronel Paulo César Gomes da Silva, “Aos alunos que participaram, essa interação não tem preço. Em um curso desse você cria um ciclo de amizade que você utilizará em toda sua carreira profissional. Nosso objetivo final é o mesmo, levar a nossa população maior segurança, que é o que todos nós desejamos”, enfatizou o comandante.

O chefe da Assessoria de Inteligência da PMAC, tenente-coronel Prigulin Araújo, destacou a importância das relações institucionais na área de Segurança Pública. “O uso da tecnologia é muito importante, mas visualizo outro objetivo maior aqui neste curso, que é esse contato que os senhores estabelecem, que vocês proporcionaram, através desse curto período de convivência no curso”, disse.

Ivanilson Rodrigues, 38, lotado na Companhia de Feijó, atua no serviço de Rádio Patrulha (RP). O militar se deslocou da sua cidade para poder se capacitar na área e desempenhar melhor sua atividade. “É uma ferramenta a mais a ser utilizada na repressão e combate à criminalidade, principalmente em Feijó onde tem muitas regiões de mata, o Drone é fundamental”, disse o cabo.

Leia Também:  Nível do rio Acre na capital baixa ainda mais e marca 1,97m

Estiveram presentes ao evento, coronel Roberto Marques, Diretor de Planejamento da PMAC; tenente-coronel Ellen Pontes, Diretora de Logística e Patrimônio; o delegado da Polícia Federal, Rafael Fernandes Guimarães; o delegado de Polícia Civil, Nilton Boscaro; Samuel Carneiro, representante da ABIN; o major Airton Leitão, Diretor de Ensino, a Banda de Música da PMAC, e demais oficiais e praças.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Geral

Foco de raiva bovina foi detectado em Sena, onde 18 animais morreram com suspeita da doença

Publicados

em

Apenas um caso foi confirmado por exame de laboratório, segundo o Idaf, mas 18 animais morreram no período e a suspeita é que tenha sido com a doença transmitida pelo morcego – Foto: Arquivo/Idaf

Um foco de raiva bovina foi detectado em uma propriedade rural, na cidade de Sena Madureira onde 18 animais morreram com suspeita da doença. As informações foram confirmadas pelo Instituto de Defesa e Agropecuária Florestal (Idaf), que faz o monitoramento.

Ainda conforme o Idaf, só foi possível fazer a coleta de um dos animais, que teve o caso confirmado por exame laboratorial, mas considera como foco devido às outras mortes terem ocorrido no mesmo período e os animais terem apresentado sintomas.

A raiva em bovinos é transmitida pela mordida do morcego, que além de matar o animal infectado pela doença, também pode ser transmitida para humanos.

Em junho do ano passado, o Idaf tinha registrado a morte de sete animais da área rural de quatro cidades no interior do Acre nos meses de dezembro de 2020 e maio de 2021. Os casos deste ano foram informados ao Instituto no início de junho.

“Nessa área, nós temos um foco de raiva, com um caso positivo laboratorial e na investigação foi detectado que na propriedade morreram 18. Não podemos afirmar porque não foi possível fazer o exame, mas, pelo período da doença, é detectado como raiva. Se morrer algum animal, em um período de três meses com os mesmos sintomas, a gente considera que ainda seja raiva, pelo período de incubação da doença”, disse a chefe do Programa de Combate da Raiva do Idaf, a veterinária Maria do Carmo Portela.

Leia Também:  Polícia Militar recupera motocicleta que havia sido roubada em Rodrigues Alves

Quando o veterinário foi até a propriedade, foi feita a orientação aos moradores sobre a vacinação do rebanho, além de investigar se as pessoas tiveram contato com o animal infectado, com a saliva, que é o que a via de transmissão.

“A saliva é o que contém o vírus, e quem trabalha na área rural, pode ter machucado nas mãos, então, é feita a investigação para ver se a pessoa teve contato com a saliva e, no caso, é enviado para a secretaria de saúde do município para a pessoa tomar a vacina. Também é solicitado ao proprietário faça a vacinação do rebanho”, acrescentou.

O trabalho do Idaf, nestes casos é orientar quem teve contato com o animal doente busque a unidade de saúde, e também faça a vacinação do rebanho. Se tiver muitos sinais de mordidas de morcego, ainda é feita a captura dos animais para tentar amenizar a situação, com o controle da colônia dos morcegos.

A propriedade está sob monitoramento e deve receber mais uma visita técnica, com um levantamento se houve mais alguma propriedade com sinais de espoliações de morcego e ou morte com sintomas de raiva, para que seja feito um trabalho de educação sanitária na área.

Leia Também:  Vereadores precisam chamar a Polícia Militar para fazer fiscalização na falta de medicamentos na farmácia

Sintomas

Entre os sintomas estão o isolamento do animal, perda de apetite, salivação abundante, perda de equilíbrio, quedas e estiramento do pescoço.

Caso um animal apresente os sintomas, o caso deve ser comunicado ao Idaf e as pessoas devem evitar o contato.

Além disso, a veterinária orienta a população que em caso de agressão do animal, e vale até mesmo para cães e gatos, procure a unidade de saúde para tomar a vacina. Do G1 Acre

Animal espoliado por morcego: Foco da raiva bovina é identificado em propriedade rural no interior do AC; 18 animais morreram com sintomas da doença – Foto: Arquivo / Idaf

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA