RIO BRANCO

Cultura

Movimento indígena acreano está em luta contra os retrocessos

Nesta fronteira, estão as Terras Indígenas, Reservas Extrativistas, Projetos de Assentamentos e qualquer área onde habita um agricultor familiar ou comunidade tradicional.

Publicados

Cultura

Nesta fronteira, estão as Terras Indígenas, Reservas Extrativistas, Projetos de Assentamentos e qualquer área onde habita um agricultor familiar ou comunidade tradicional.

O ano de 2019 começou com ataques contra os povos indígenas do Brasil. O novo governo Federal faz renascer o espírito Plano de Integração Nacional (PIN), que abre caminho para o agronegócio e exploração comercial, destruindo qualquer coisa que considerem empecilho. 

Nas primeiras horas como presidente, Bolsonaro tratou logo de começar a ofensiva contra os povos indígenas. Com a Medida Provisória (MP) nº 870, a demarcação de Terras Indígenas (TIs) é transferida da Fundação Nacional do Índio (Funai) para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O órgão está sob o comando de Tereza Cristina da Costa (DEM), que foi líder da bancada do agronegócio na Câmara Federal, grupo que sonhava em estar no controle das terras brasileiras.

Entre outras ações, está também o Decreto nº 9.667, que simplesmente tira da Funai o dever de realizar o licenciamento ambiental de empreendimentos que impactam os povos e terras indígenas. Aqui, está aberto o caminho para qualquer exploração desenfreada dentro dos territórios tradicionais, onde cresce uma cultura totalmente diferente das cidades.

Em todo o país, as organizações indígenas estão indo para o embate, não se calando diante destes ataques feitos pelo Estado Brasileiro. Agora, não mais apenas com arcos e flechas, mas com conhecimento jurídico, com parceiros, buscando diálogo e reconhecimento à Constituição Federal.

Leia Também:  Бездепозитные бонусы и фриспины за регистрацию в казино

Primeiro, a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) entrou com uma representação junto à Procuradoria Geral da República (PGR), pedindo que a Procuradora Raquel Dodge ingresse com uma ação judicial para suspender os atos da presidência. Logo, os movimentos indígenas em todos os estados também se organizaram para ampliar este debate e mostrar o tamanho do perigo que são esses ataques.

No Acre, um grupo formado pela organizações dos Povos Indígenas do Juruá (Opirj), dos Professores Indígenas do Acre (Opiac), das Mulheres Indígenas do Acre, Sul do Amazonas e Noroeste de Rondônia (Sitoakure) e do Movimento dos Agentes Agroflorestais Indígenas do Acre (Amaaiac) também entrou com representação no Ministério Público Federal (MPF), em Rio Branco.

Nesta segunda-feira, 7, as lideranças apresentaram documento apontando os retrocessos e às afrontas à Constituição para a procuradora da república Luciana de Miguel Cardoso Bogo. Foi um importante momento para apresentar o cenário nacional e local em que vivem a população indígena, com constante medo de ataques e com o preconceito que cresce ainda mais ao se ter um chefe de nação legitimando barbáries.

Leia Também:  Portador de necessidades especiais é resgatado por militares em Feijó

“Nossa preocupação que queiram botar as Terras Indígenas como um problema para o país. Nossos territórios não podem ser colocados como interesses de instituições, nacionais e internacionais, temos voz e vontade próprias”, declarou Francisco Piyãko, liderança do povo ashaninka e coordenador da Opirj. “Nos deprime ver o tamanho do preconceito contra os povos indígenas, pessoas tentando nos humilhar. Já ouvimos nossos vizinhos da terra comentando que agora terão a terra de volta”, disse Yaka Shawandawa, coordenadora da Opiac.

As falas demonstram o posicionamento firme e consciente do movimento indígena acreano, que há mais de 30 anos está se organizando e conquistando políticas públicas para sua população. A luta deles continuará muito grande por pelo menos mais quatro anos, enfrentando novamente o espírito irresponsável da integração.

Os povos indígenas acreanos vivem uma experiência de fortalecimento cultural, executando projetos próprios de desenvolvimento sustentável, produção de espécies nativas e retomada da espiritualidade. As noites, nos terreiros, têm sido de muita conexão com os bons espíritos da floresta com a força da Ayahuasca, Nixi Pae, Uni e tantas outras denominações desta bebida sagrada. Os ensinamentos para esses tempos sombrios vêm de muito longe.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Cultura

Empreendedorismo: Governo fortalece turismo de base comunitária na Trilha Chico Mendes, em Brasileia

Publicados

em

Comunidade da Trilha recebendo os certificados da capacitação – Foto: cedida

Visando organizar e fortalecer o turismo de base comunitária na Trilha Chico Mendes, em Brasileia, o governo do Estado, por meio da Secretaria de Empreendedorismo e Turismo, realizou nos dias 23 a 25, cursos para a comunidade.

Em parceria com a SOS Amazônia e com financiamento do Programa REM do Banco KFW, foram ministrados para 33 pessoas da comunidade, os cursos de qualidade no atendimento ao turista e condução de turistas em ambientes naturais.

A moradora da trilha, Evelina Liberalino, conhecida como Nena, participou dos dois cursos ofertados. “Conhecimento é sempre válido e necessário. Para nós que atuamos com a recepção de turistas é bom esse tipo de curso que nos capacita a atender melhor”, garante.

Além disso, foi feito o mapeamento de necessidades levantadas pelos próprios moradores e pelos técnicos da Secretaria a fim de melhorar o turismo na região.

“O programa de capacitação do Turismo de base comunitária é um dos alicerces do turismo acreano. Nossas equipes vêm capacitando e preparando toda a cadeia de receptivo turístico dessas comunidades. O turismo de base é gerador de renda o ano inteiro para as famílias que ali vivem. Esse papel de transformação social é muito gratificante!”

Leia Também:  Tião Viana prestigia 14ª edição do Festival Yawa, em Tarauacá

Trilha Chico Mendes

A Reserva Extrativista Chico Mendes é referência no circuito de trilhas, compostas por caminhadas que podem durar até quatro dias na floresta, onde o turista vivencia o cotidiano dos habitantes das matas.

O trajeto percorre seringais e várias partes da reserva, permitindo ao caminhante sentir a floresta densa e preservada em toda sua plenitude, com cheiros e sons da mata e das inúmeras espécies de animais que ali habitam.

Sendo apontada como uma das mais interessantes do mundo para se fazer trekking (caminhadas de longa duração na natureza), pelo blog de turismo escalando. O site levou em consideração quesitos como beleza panorâmica e a distância percorrida, apontando trilhas conhecidas mundialmente, como a de Córsega, na Itália, Rota Laugavegurinn, na Islândia, e Travessia do Himalaia, no Nepal, entre outras.

A Trilha Chico Mendes está localizada na Reserva Extrativista que leva o mesmo nome, entre os municípios de Assis Brasil, Brasileia e Xapuri.

Assessoria – Agência / Secom

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: Muitas são as dúvidas, e eu esclareço algumas. Quem tem direito a receber o abono pago com a sobra do recurso do Fundeb, anunciado pelo Governo do Acre? Uma grande manifestação foi realizada durante todo dia pela manhã em frente à casa civil e a tarde na sede da PGE – Procuradoria Geral do Estado.

Leia Também:  Com 13,84m o Rio Juruá alcança a segunda maior cheia já registrada

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter: 3 de Julho Notícias

Youtube: 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook: 3 de Julho Notíci

Página do Instagram: 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA