RIO BRANCO

Geral

Ibama detecta envolvimento de índios na venda de madeira ilegal

‘Sem medo de errar, eu diria que 80% dos índios da aldeia daquela região estão envolvidos’, diz Ibama. Operação ocorreu por 30 horas ininterruptas. Máquinas e madeiras foram apreendidas no local.

Publicados

Geral

‘Sem medo de errar, eu diria que 80% dos índios da aldeia daquela região estão envolvidos’, diz Ibama. Operação ocorreu por 30 horas ininterruptas. Máquinas e madeiras foram apreendidas no local.

O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama), junto com o Exército, fez a segunda fase de uma operação que ocorre em três cidades do Norte, inclusive na terra indígena Caxarari. Foram apreendidos maquinários e 60 m³ de madeira extraída ilegalmente.

Após as apreensões, Carlos Gadelha, superintendente do Ibama no Acre, disse que foi constatado que indígenas participam diretamente da extração e venda de madeira ilegal. Além da madeira, foram apreendidos 7 caminhões e 45 tratores.

As ações ocorreram na região de divisa entre os estados do Acre, Amazonas e Rondônia e se concentraram na ponta do Abunã, em Rondônia, divisa dos estados do Acre e do Amazonas.

“Um detalhe que nos chamou a atenção e deixa um rastro de preocupação muito grande é que há uma forte participação dos índios na extração e comercialização da madeira. Sem medo de errar, eu diria que 80% dos índios da aldeia daquela região estão envolvidos na extração e venda ilegal da madeira”, enfatizou.

Leia Também:  Homem é atingido por dois tiros no bairro Cadeia Velha em Rio Branco

Gadelha destacou ainda que serão necessárias outras operações na região para conter o crime ambiental nas terras indígenas. “Porque são terras da união destinadas à comunidade indígena que está sendo vendidas suas madeiras”, finalizou.

Operação

O Ibama e o Exército, em maio deste ano, iniciaram essa operação contra o desmatamento ilegal na Ponta do Abunã. Na ocasião, o Exército colocou explosivos em uma pista clandestina construída em uma área da união que foi grilada. Além disso, novos flagrantes de desmatamentos ilegais foram registrados dentro da terra indígena Caxarari.

Na região, proliferam o desmatamento e a extração ilegal de madeira. Nos últimos dois anos, segundo o Ibama, foram desmatados 50 mil hectares de floresta. O equivalente a 50 mil campos de futebol ou uma área maior que a cidade de Porto Alegre.

Do G 1 Acre

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Geral

Terremoto de magnitude 7,5 na Amazônia peruana é sentido em cidades do Acre

Publicados

em

Moradores relatam que o tremor foi de forte intensidade e durou alguns minutos. Epicentro foi no Peru – Foto: Reprodução / Reuters

Moradores de pelo menos três cidades do Acre sentiram o tremor de terra causado pelo terremoto na Amazônia peruana, na manhã deste domingo (28). De acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), o terremoto foi de 7,5 de magnitude.

O epicentro do tremor foi identificado a cerca de 98 quilômetros do município de Santa Maria De Nieva, na província de Condorcanqui, e a uma profundidade de 131 quilômetros.

No Acre, moradores de Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima e Santa Rosa do Purus relataram que sentiram o tremor que começou às 6h. O morador de Cruzeiro do Sul, João Dias, gravou um vídeo em que mostra os móveis da casa balançando.

“Olha como balança dentro de casa, ventilador balançando. É um forte tremor de terra. A estante balançando muito, olha só”, diz ao gravar as imagens.

Em Santa Rosa do Purus, município isolado do Acre, Sandra Brito conta que estava deitada quando sentiu o tremor.

“Às 6h, eu estava no quarto e percebi que estava tremendo, fiquei observando e vi que era tremor de terra. Parou, saí do quarto e vi que na cozinha também estava tremendo as panelas, já uma segunda vez”.

A professora Camila Melo está internada no Hospital de Mâncio de Lima, também no interior do estado, e contou que acordou ao sentir a cama do hospital balançar.

Leia Também:  Friagem deve atingir Rio Branco, frente fria derruba a temperatura no leste e sul do Acre

“Me acordei , senti balançando e pensei que era o filho da senhora que está no mesmo quarto que eu. Aí, olhei pra ele e perguntei se estava sentindo e falou que estava balançando e falou que estava. E quando vi o soro balançando caiu a ficha. Foi coisa rápida. Depois a gente só ouviu os comentários”, relembrou.

“Terremotos como este evento, com profundidades focais entre 70 e 300 km, são comumente chamados de terremotos de “profundidade intermediária”. Terremotos de profundidade intermediária representam deformação dentro de lajes subduzidas, em vez de na interface da placa rasa entre as placas tectônicas subduzidas e superiores. Eles normalmente causam menos danos na superfície do solo acima de seus focos do que é o caso com terremotos de foco raso de magnitude semelhante, mas grandes terremotos de profundidade intermediária podem ser sentidos a uma grande distância de seus epicentros”, destaca o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS).

No Peru

Imagens compartilhadas em redes sociais mostram pedaços das fachadas de edifícios e parte de casas destruídas após o forte tremor que foi sentido também na cidade equatoriana de Loja.

Em outubro, um tremor de menor magnitude mas mais próximo à superfície, também no norte peruano, chegou a ser sentido em alguns estados do Brasil.

Leia Também:  Bradesco garante ao Procon, melhoria no serviço ao público em Rio Branco

Localizado no Círculo de Fogo do Pacífico, região global de alta atividade sísmica gerada pelo encontro de placas tectônicas, o Peru está habituado a tremores.

A Marinha do Peru disse em um comunicado que não foi identificado risco de tsunami na costa do país por conta do forte abalo.

Tremor de terra foi registrado na Amazônia Peruana  — Foto: Reprodução/USGS

Tremor de terra foi registrado na Amazônia Peruana – Foto: Reprodução/USGS

Por Tácita Muniz, G1 Acre

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: Muitas são as dúvidas, e eu esclareço algumas. Quem tem direito a receber o abono pago com a sobra do recurso do Fundeb, anunciado pelo Governo do Acre? Uma grande manifestação foi realizada durante todo dia pela manhã em frente à casa civil e a tarde na sede da PGE – Procuradoria Geral do Estado.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter: 3 de Julho Notícias

Youtube: 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook: 3 de Julho Notíci

Página do Instagram: 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA