RIO BRANCO

Geral

Governo trabalha na limpeza da ponte de acesso a Brasileia

O Rio Acre continua apresentando sinais de vazante em Brasileia e Epitaciolândia.

Publicados

Geral

O Rio Acre continua apresentando sinais de vazante em Brasileia e Epitaciolândia.

Por Andrey Santana

(Foto: Sérgio Vale/Secom)

(Foto: Sérgio Vale/Secom)

Às 16 horas desta quinta-feira, 26, o nível das águas nas duas cidades chegou à marca de 13,51 metros,  baixando 35 centímetros em quatro horas, o que possibilitou o início das ações de limpeza.

Homens do Corpo de Bombeiros realizaram uma operação de limpeza na ponte que liga Epitaciolândia a Brasileia e Assis Brasil para, a partir daí, verificar as condições de liberação do tráfego de veículos entre as cidades. A estimativa é de que nas próximas horas o nível do Rio Acre baixe mais ainda.

Algumas pessoas já iniciaram o processo de limpeza em imóveis comerciais, mas a Defesa Civil ainda não liberou o retorno às casas. As vítimas da alagação de Brasileia permanecem em abrigos. Com a vazante do rio, os prejuízos começam a aparecer – carros inundados, casas danificadas e muito lixo.

Ao todo, são 286 famílias abrigadas em 24 locais públicos e mais de 500 em casas de parentes e amigos. Em Epitaciolândia, são 94 famílias em cinco abrigos públicos e 265 em casa de parentes. Esse número pode ser ainda maior, uma vez que a Defesa Civil não possui o controle daqueles que saíram por conta própria.

Leia Também:  Davi Friale alerta para temporais nas próximas horas no Acre

Apoio incondicional

O governo do Estado tem garantido todo o suporte necessário aos municípios, tanto nas ações da Defesa Civil quanto na assistência direta por intermédio de mais de dez secretarias. Além de água potável, foram fornecidos 250 colchões para os desabrigados.

“Verificamos a necessidade de alguns colchões dentro dos abrigos. Então encaminhamos 150 colchões para Brasileia e 100 para Epitaciolândia. Eles serão entregues às famílias, após uma análise de quem precisa, e anotaremos o CPF do representante de cada família, para depois fazermos a prestação de contas”, afirmou Carlos Batista, coordenador da Defesa Civil.

Judiciário acompanha todos os procedimentos

Representantes do Estado, Ministério Público, Tribunal de Justiça e Prefeitura de Epitaciolândia 

Representantes-do-Estado-Ministério-Público-Tribunal-de-Justiça-e-Prefeitura-de-Epitaciolândia-300x180O promotor de Justiça Vinicius Evangelista esteve no Alto Acre representando a Procuradoria Geral do Ministério Público do Acre, no intuito de acompanhar os procedimentos realizados na região. “Viemos com uma equipe técnica que já tem certa experiência com alagações em Rio Branco, para ajudar as prefeituras e os órgãos públicos nesse processo de assistência das famílias, alimentação e colchões no momento de crise”, enfatizou Evangelista.

Leia Também:  Palácio da Justiça oferece exposição permanente sobre as Cinco Décadas do Poder Judiciário

Na última quarta-feira, 25, a juíza de Epitaciolândia orientou a Defesa Civil a permitir o transporte de pessoas apenas em barcos utilizados pelas equipes que coordenam a assistência às famílias, para evitar acidentes, devido à forte correnteza do Rio Acre.

secom_acre_brasiléia_SV_26022015-15 secom_acre_brasiléia_SV_26022015-16 secom_acre_brasiléia_SV_26022015-17 secom_acre_brasiléia_SV_26022015-18

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Geral

Em 5º lugar entre os estados que mais desmatam a Amazônia, Acre cria grupo de trabalho para fiscalização remota

Publicados

em

Grupo de trabalho vai gerar informações georreferenciadas de desmatamento, além de monitorar e fiscalizar de forma remota esses crimes ambientais – Foto: Reprodução

Com objetivo de monitorar e fiscalizar remotamente o desmatamento no estado do Acre, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Políticas Indígenas (Semapi) criou um grupo de trabalho formado por órgãos ambientais. A portaria foi publicada na edição desta terça-feira (26) do Diário Oficial do Estado (DOE).

O grupo vai ser formado por representantes da Semapi, do Instituto de Meio ambiente do Acre (Imac), Instituto de Mudanças Climáticas (IMC), Secretaria de Produção e Agronegócio (Sepa) e Instituto de Terras do Acre (Iteracre).

Conforme a portaria, o grupo deve definir, avaliar, elaborar propostas de fluxos, normas, critérios e procedimentos técnicos e jurídicos para produção de informações georreferenciadas de polígonos de desmatamento. Além da elaboração de procedimentos de monitoramento e fiscalização remota no estado.

Para a criação do grupo foi considerada a necessidade de trabalho conjunto envolvendo a equipe técnica da Semapi e os técnicos do Imac.

O documento diz ainda que o estado não possui um sistema de informações estruturado, com rede lógica e equipamentos para a utilização de geotecnologias, armazenamento e compartilhamento de dados. Também não há um gerenciador de projetos organizados e sistematizados para um monitoramento e controle eficientes.

Leia Também:  Motociclista fica ferido após bater de frente com ônibus em rodovia do Acre

O grupo deve se reunir conforme a necessidade. Ainda segundo a publicação, a participação dos membros vai ser considerada prestação de serviço público não remunerada.

Desmatamento no Acre

O estado acreano registrou um aumento de 40% no desmatamento no mês de setembro deste ano, em comparação com o mesmo mês do ano passado. Dados são do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) obtidos via Sistema de Alerta do Desmatamento (SAD).

Conforme os dados, o estado desmatou uma área de 118 km², enquanto em 2020, o mês fechou com 84 km². Com esse resultado, o Acre ficou em quinto lugar entre os estados que mais desmataram a Amazônia nesse período.

A Amazônica Legal teve 1.224 km² de desmatamento, o que resultou em um aumento de 1% em relação a setembro de 2020, quando o desmatamento somou 1.218 km². O desmatamento do Acre representou 10% do total na Amazônia.

Degradação

Em relação à degradação das florestas, o Acre teve um aumento exorbitante comparando os dois meses de 2020 e 2021 e saltou de 3 km² para 18 km², o que corresponde a 500% de aumento, conforme os dados.

Com esse dado, o estado ficou em primeiro lugar entre os estados da Amazônia Legal com maior degradação. Veja mais no G1 Acre 

Leia Também:  Confira quais são os serviços online e presenciais oferecidos pelo Detran durante a pandemia

Desmatamento no Acre tem aumento de 40% no mês de setembro em comparação com o mesmo período de 2020 – Foto: Arquivo/BP-AC

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: Vereadora Neiva Badotti – “Não me manda recado, mais! Este tipo de recado é de quem deve, é de quem está com medo, eu vou continuar fiscalizando, denunciando doa a quem doer. Eu tenho certeza que essas denuncias não vão passar despercebidas, eu confio plenamente no Poder Judiciário na Policia Federal que não vão usar dois pesos e duas medidas para ninguém. Ninguém está acima da Lei, nem a senhora prefeita, nem o Governo do Estado e nem o presidente da República interfere na PF, não me mande mais recado!!”, concluiu a parlamentar.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter 3 de Julho Notícias

Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook 3 de Julho Notíci

Página do Instagram 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA