Geral

Funcionários dos Correios estão em greve em sete Estados

Paralisação afeta SP, Rio, Tocantins, Rio Grande do Norte e do Sul, Rondônia e Pernambuco

Publicados

Geral

Paralisação afeta SP, Rio, Tocantins, Rio Grande do Norte e do Sul, Rondônia e Pernambuco

Funcionários dos Correios fazem paralisação em tempo indeteminado Marcos Bezerra/Futura Press/Estadão Conteúdo

Funcionários dos Correios fazem paralisação em tempo indeteminado
Marcos Bezerra/Futura Press/Estadão Conteúdo

Do R7, com Agência Record e com Agência Brasil

Os funcionários dos Correios começaram uma greve, por tempo indeterminado, na noite de quarta-feira (11). Além de São Paulo, aderiram à paralisação os Estados do Rio de Janeiro, Tocantins, Rio Grande do Norte, Rondônia, Rio Grande do Sul, Pernambuco, além das regiões do interior paulista, como Sorocaba, Bauru, São José dos Campos e São José do Rio Preto.

Os servidores, que têm data-base este mês, não aceitaram a proposta da empresa de aumento de 5,27%, abaixo da inflação anual, de 6,27%, medida pelo IPCA (Índice de Preços do Consumidor Amplo), como explica o presidente do Sintect-RJ (Sindicato das Empresas de Correios e Telégrafos do Rio), Marcos Sant’Aguida.

— Os 5,27% de aumento que os Correios apresentaram está bem abaixo da inflação. A inflação é direito, e nós queremos o aumento real do salário. Na reunião [terça-feira (10)], nós falamos que caso a empresa não apresentasse uma nova proposta, nós iríamos entrar em greve.

Leia mais notícias de Cidades

O sindicalista disse ainda que além de reivindicar melhores salários, a categoria busca o fortalecimento da empresa.

— Queremos que tenha uma entrega ampla em todo o território nacional, mais trabalhadores, mais infraestrutura de transporte e mais atendimento ao público. Nós colocamos 62 itens na reunião com os Correios.

Em nota, os Correios informaram que estão em processo de negociação do acordo coletivo de trabalho com as entidades sindicais e continuam abertos ao diálogo, não havendo, portanto, justificativa para a paralisação. “A empresa ofereceu reajuste de 5,27% sobre os salários e benefícios. Este índice, somado à progressão anual concedida no ano passado, equivale ou ultrapassa os índices inflacionários do período, impedindo perdas aos trabalhadores”.

Ainda segundo os Correios, “estamos adotando uma série de ações preventivas para garantir a prestação de serviços à população em caso de paralisação parcial dos trabalhadores, como mutirão e contratação de pessoal para entrega de correspondência nos finais de semana para atender à população”.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Fundação lança editais de música e artes visuais no 'Dia da Cultura'

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Geral

Defensoria Pública se reúne com Diretoria da Unimed em busca de melhorias no atendimento infantil

Publicados

em

Na tarde desta quarta-feira, 18, a Defensoria Pública do Estado do Acre (DPE/AC) se reuniu com a Diretoria da Unimed Rio Branco, para expor as reclamações recebidas dos usuários do atendimento prestado no único hospital de urgência e emergência infantil do estado do Acre, a Urgil, credenciada pela Unimed.

De acordo com o ofício enviado a DPE/AC pela Urgil, 95% do total de atendimentos do hospital são provenientes de usuários de planos de saúde, dos quais 70% são usuários da Unimed.

Na oportunidade, a Diretoria da Unimed, composta pelo presidente, Antônio Herbert Leite Militão, pelo vice-presidente, Marcus Vinicius Shoiti Yomura e pelo superintendente, Renato Correia da Silva, além do assessor jurídico Maurício Spada, mostrou-se sensível à problemática e se comprometeu a encontrar alternativas que não deixem as crianças que necessitem de atendimento de urgência e emergência em situação de total dependência da Urgil.

O encontro ainda possibilitou esclarecimentos sobre o modo de atuação da operadora de saúde e culminou com o agendamento de nova reunião para o dia 28 de junho, quando então a Unimed apresentará a DPE/AC medidas mais concretas para a melhoria dos serviços.

Leia Também:  Recém-nascido morto volta a respirar após cinco horas

Os defensores públicos Celso Araújo Rodrigues, do Núcleo da Cidadania, Rodrigo Chaves, do Subnúcleo de Superendividamento e Ações do Consumidor, a defensora pública Juliana Caobianco, do Subnúcleo de Direitos Humanos 1 (SDH1), a assistente do SDH1, Larissa Damasceno e as representantes dos usuários do plano de saúde, arquiteta Talita Gomes e a advogada Vanessa Facundes, demonstraram satisfação com os encaminhamentos da reunião, reiterando a necessidade de a Unimed adotar medidas céleres e efetivas que resguardem os direitos desses consumidores.

“Foi muito importante esse diálogo para reafirmamos a nossa preocupação e compromisso com nossos usuários, além de esclarecer que estamos procurando um caminho, uma solução”, disse o presidente da Unimed Rio Branco, Herbert Militão.

O defensor público Rodrigo Chaves, destacou que a instituição está à disposição para contribuir, ouvir e atuar de forma conjunta para dar mais celeridade ao caso.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA