RIO BRANCO

Geral

Eletrobras aparece em ranking como a 3ª em interrupções de serviço no AC

Empresa tem até 2 meses para apresentar plano de melhoria do serviço. Dados fazem parte de levantamento produzido pela Aneel.

Publicados

Geral

Empresa tem até 2 meses para apresentar plano de melhoria do serviço. Dados fazem parte de levantamento produzido pela Aneel.

Eletroacre (Eletrobras Distribuição Acre) é a 3ª do pais que mais interrompeu o fornecimento de energia em 2014 (Foto: Reprodução Tv Acre)

Eletroacre (Eletrobras Distribuição Acre) é a 3ª do pais que mais interrompeu o fornecimento de energia em 2014 

Levantamento feito pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) mostrou que a Eletrobras Distribuição Acre é a terceira distribuidora do país que mais interrompeu o fornecimento de energia em 2014, os chamados “apaguinhos”. A empresa ficou atrás apenas da Companhia Energética de Roraima (CERR) e da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA).

De acordo com o indicador de Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (DEC) da Aneel, durante o ano passado, a Eletrobras Acre praticou uma média de 63 horas de interrupção do fornecimento de energia. Valor superior ao limite estabelecido pela agência, que é de 38 horas.

A Aneel informou que, no total, 16 distribuidoras de todo o país são responsáveis pela maior parte dos apaguinhos em 2014. Elas, incluindo a Eletrobras Acre, têm o prazo de até dois meses para apresentar planos de resultados junto a agência, que deve acompanhar diretamente as ações para melhoria do serviço de forma trimestral. A não adequação pode acarretar multa de até 2% do faturamento anual.

Leia Também:  Ossada achada no Rio Juruá era de adolescente que foi decapitado

Para fazer o ranking, a Aneel levou em consideração, além da média de apaguinhos, o Índice de Satisfação do Consumidor (IASC) e as reclamações registradas na Central de Teleatendimento.

O diretor-presidente da empresa acreana, Joaquim Rolim, explica que a distribuição de energia nos estados da região Norte possuem especificidades que já foram apresentadas à Aneel, como densidade demográfica e quantidade de chuvas. Apesar disso, ele afirma que nas regiões urbanas do estado, o serviço apresentou melhoras. O problema maior seria na zona rural, embora o serviço também já tenha apresentado melhoras.

“Quando a distribuição é feita com pouca densidade demográfica, no Acre é de 4 habitantes por km², os custos aumentam, porque temos que colocar uma viatura para atender poucas pessoas. Outro desafio é a quantidade de chuvas, que é fator preponderante em distribuição de energia. Além disso, o Acre é um estado em desenvolvimento de estradas, infraestrutra e telecomunicações, que são essenciais para a distribuição de energia”, diz.

No entanto, Rolim deixou claro que não questiona os dados da Aneel e garantiu que o plano de melhorias já está sendo elaborado. “Estamos longe dessa meta estabelecida, mas estamos melhorando a passos largos. Estamos convictos que o plano que vamos apresentar vai continuar nossa trajetória de melhoria. Nossa percepção é que conseguiremos atender o que foi estabelecido”, acrescenta.

Leia Também:  No Acre, professor se nega a pagar corrida de táxi até motel e é preso nu

Caio Fulgêncio Do G1 AC

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Geral

Em 5º lugar entre os estados que mais desmatam a Amazônia, Acre cria grupo de trabalho para fiscalização remota

Publicados

em

Grupo de trabalho vai gerar informações georreferenciadas de desmatamento, além de monitorar e fiscalizar de forma remota esses crimes ambientais – Foto: Reprodução

Com objetivo de monitorar e fiscalizar remotamente o desmatamento no estado do Acre, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Políticas Indígenas (Semapi) criou um grupo de trabalho formado por órgãos ambientais. A portaria foi publicada na edição desta terça-feira (26) do Diário Oficial do Estado (DOE).

O grupo vai ser formado por representantes da Semapi, do Instituto de Meio ambiente do Acre (Imac), Instituto de Mudanças Climáticas (IMC), Secretaria de Produção e Agronegócio (Sepa) e Instituto de Terras do Acre (Iteracre).

Conforme a portaria, o grupo deve definir, avaliar, elaborar propostas de fluxos, normas, critérios e procedimentos técnicos e jurídicos para produção de informações georreferenciadas de polígonos de desmatamento. Além da elaboração de procedimentos de monitoramento e fiscalização remota no estado.

Para a criação do grupo foi considerada a necessidade de trabalho conjunto envolvendo a equipe técnica da Semapi e os técnicos do Imac.

O documento diz ainda que o estado não possui um sistema de informações estruturado, com rede lógica e equipamentos para a utilização de geotecnologias, armazenamento e compartilhamento de dados. Também não há um gerenciador de projetos organizados e sistematizados para um monitoramento e controle eficientes.

Leia Também:  No Acre, professor se nega a pagar corrida de táxi até motel e é preso nu

O grupo deve se reunir conforme a necessidade. Ainda segundo a publicação, a participação dos membros vai ser considerada prestação de serviço público não remunerada.

Desmatamento no Acre

O estado acreano registrou um aumento de 40% no desmatamento no mês de setembro deste ano, em comparação com o mesmo mês do ano passado. Dados são do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) obtidos via Sistema de Alerta do Desmatamento (SAD).

Conforme os dados, o estado desmatou uma área de 118 km², enquanto em 2020, o mês fechou com 84 km². Com esse resultado, o Acre ficou em quinto lugar entre os estados que mais desmataram a Amazônia nesse período.

A Amazônica Legal teve 1.224 km² de desmatamento, o que resultou em um aumento de 1% em relação a setembro de 2020, quando o desmatamento somou 1.218 km². O desmatamento do Acre representou 10% do total na Amazônia.

Degradação

Em relação à degradação das florestas, o Acre teve um aumento exorbitante comparando os dois meses de 2020 e 2021 e saltou de 3 km² para 18 km², o que corresponde a 500% de aumento, conforme os dados.

Com esse dado, o estado ficou em primeiro lugar entre os estados da Amazônia Legal com maior degradação. Veja mais no G1 Acre 

Leia Também:  Ossada achada no Rio Juruá era de adolescente que foi decapitado

Desmatamento no Acre tem aumento de 40% no mês de setembro em comparação com o mesmo período de 2020 – Foto: Arquivo/BP-AC

E Veja Também no 3 de Julho Notícias

Veja o Vídeo Abaixo: Vereadora Neiva Badotti – “Não me manda recado, mais! Este tipo de recado é de quem deve, é de quem está com medo, eu vou continuar fiscalizando, denunciando doa a quem doer. Eu tenho certeza que essas denuncias não vão passar despercebidas, eu confio plenamente no Poder Judiciário na Policia Federal que não vão usar dois pesos e duas medidas para ninguém. Ninguém está acima da Lei, nem a senhora prefeita, nem o Governo do Estado e nem o presidente da República interfere na PF, não me mande mais recado!!”, concluiu a parlamentar.

Acompanhe nossas Redes Sociais

Twitter 3 de Julho Notícias

Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos

Página Facebook 3 de Julho Notíci

Página do Instagram 3 de Julho Noticias

Veja o Vídeo:

Veja-se no  Twitter 3 de Julho Notícias, seja membro e compartilhe

Veja-se no  Youtube 3 de Julho Notícias Vídeos, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página Facebook 3 de Julho Notíci, seja membro e compartilhe.

Veja-se na  Página do Instagram 3 de Julho Noticias, seja membro e compartilhe

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA