RIO BRANCO

Geral

Bombeiros resgatam homem que subiu em árvore para pegar buriti e não conseguiu descer

Populares viram a situação e acionaram bombeiros para resgatar homem da árvore que tinha mais de 13 metros. Caso ocorreu nesta terça (21) em Feijó.

Publicados

Geral

Populares viram a situação e acionaram bombeiros para resgatar homem da árvore que tinha mais de 13 metros. Caso ocorreu nesta terça (21) em Feijó.

Um homem de 51 anos precisou ser resgatado pelo Corpo de Bombeiros após subir em um buritizeiro de mais de 13 metros de altura e não conseguir descer. O caso ocorreu nesta terça-feira (21), no bairro Cohab, no município de Feijó, interior do Acre. Ele não ficou ferido.

Conforme os bombeiros, o homem escalou a árvore para pegar buriti mas, algumas palhas acabaram quebrando no momento em que tentava alcançar os cachos e ele ficou sem condições de descer.

“Ele subiu em uma escada e depois usou as palhas para a escalada, mas acabaram quebrando e ele foi parar em um local onde não tinha mais acesso para descer. Como era na cidade, logo os populares viram a situação e acionaram nossa equipe”, disse o major Cláudio Falcão, dos bombeiros.

O trabalho de salvamento durou cerca de 45 minutos. O major explicou que a equipe usou a técnica de ascensão e rapel para fazer o resgate do homem.

Leia Também:  Polícia encontra mais de 14 quilos de maconha em Cruzeiro do Sul

“A gente sempre orienta duas coisas: primeiro que as pessoas tenham maior cuidado para que não ocorra esse tipo de acidente, porque no caso de uma queda, praticamente termina com óbito, porque é muito alto. E, segundo que, se fizerem esse tipo de escalada, que estejam acompanhadas, porque se ficam presos na altura, precisam que alguém chame o socorro”, afirmou. Com informações do G1 Acre

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Geral

Poder Judiciário do Acre retoma plantão extraordinário com 30% da força de trabalho

Publicados

em

Portaria Conjunta Nº 5/2022 institui novas medidas administrativas para afastar a propagação do vírus neste momento – Foto Reprodução

Nesta segunda-feira, 17, a presidência do Tribunal de Justiça juntamente com a Corregedoria-Geral da Justiça tornou pública a Portaria Conjunta n° 5/2022, determinando a redução do quantitativo de servidores e colaboradores em regime presencial da instituição até o dia 24 de janeiro.

Deste modo, está autorizada a retomada do trabalho remoto e atuação, por meio de escala de revezamento, do trabalho presencial com no máximo 30% dos integrantes de cada setor, excetuando os casos em que se observe prejuízos aos serviços prestados pela unidade.

A medida considerou o aumento progressivo no número de casos de Covid-19 em todo o estado, principalmente nas últimas semanas, assim como o teor da Portaria GDG Nº 4, de 08 de janeiro de 2022, em que o Supremo Tribunal Federal autoriza a adoção do regime de teletrabalho excepcional ou, na impossibilidade, que se promova escala de revezamento para os servidores e colaboradores.

Leia Também:  Governo divulga resultado final da prova discursiva da Polícia Civil

Assim, a gestão decidiu manter a política instaurada desde o início da pandemia para o resguardo e segurança à saúde dos magistrados e magistradas, servidores e servidoras, estagiários e estagiárias, todas e todos terceirizados e público externo.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

EDUCAÇÃO

CONCURSO

ESPORTE

MAIS LIDAS DA SEMANA